Pesquise neste blog

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

INDEFINIÇÕES


Não posso mais ir embora,
Não sei mais para onde ir,
Acho que não posso mais ir embora,
Me contaram que não há mais espaço para mim por lá,

Mesmo que eu vá para longe,
Que fique aonde não possa mais voltar,
Tu carrega consigo as minhas chaves,
E assim morreria se não a visse por lá,

Acredite não posso mais ir embora,
Pois odeio ver você chorando,
Tento admitir que não posso deixá-la,
Pois sei o quanto é bom compartilhar contigo,
Não posso mais ir embora,
Mesmo que rasgue o silencio que te consome,
E implore minha partida,
Não irei desistir de nada,

Pode até achar que irei juntar os cacos dessa minha vida,
Ou que não encontrarei outro amor,
As vezes acho que não sou mais o homem que eu era,
Mesmo assim não irei partir, não irei desistir dessa vez.

Agora vou fechar meus olhos,
Mergulhar em meus pensamentos,
Estarei bem mais alto que suas lagrimas,
Ou mais fundo que seus sussurros,
E assim tentarei me recompor.


Por Daniel Atta , Advogado, Escritor, Poeta e Colaborador do Jornal de Sobradinho


Nenhum comentário: