Pesquise neste blog

sábado, 18 de outubro de 2014

Governador Agnelo garante que serviços públicos funcionarão até fim do mandato




Em reunião com secretariado foram definidas as obras a serem entregues ainda neste ano, entre as prioridades estão Upas e creches


O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, determinou aos secretários e dirigentes de empresas públicas do DF que apresentem até 31 de outubro um balanço de cada área, nos quatro anos de mandato. Os documentos serão analisados pela Casa Civil e Secretaria de Planejamento.
  

A determinação foi dada durante reunião na manhã desta sexta-feira (17), na Residência Oficial de Águas Claras. No encontro, o governador, o vice Tadeu Fillipelli e demais integrantes do Executivo local discutiram a agenda de trabalho até 31 de dezembro.

  
Segundo o governador, o principal objetivo é manter todos os serviços públicos em pleno funcionamento. "Nosso compromisso é com a população do DF. As decisões políticas serão tomadas com o pensamento de entregar uma cidade melhor do que recebemos", enfatizou Agnelo Queiroz.
  

Entre as principais inaugurações previstas estão 17 creches, moradias do Programa Morar Bem, além de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), em Ceilândia e no Gama. Além disso, serão entregues projetos como o do aterro sanitário, do centro de triagem e de gestão integrada de segurança, que começou a ser implantado durante a Copa do Mundo.
  

O vice-governador destacou que  as obras que não puderem ser entregues não serão iniciadas. "A meta é economizar. Vamos dar ênfase na economia. Além disso,  cerca de 1,2 mil cargos comissionados vagos serão extintos", explicou Filippelli.
  

RELATÓRIOS – A partir do balanço entregue pelas secretarias, o GDF vai elaborar dois relatórios. Um deles reunirá informações e será impresso para consultas da população. O outro, de cunho técnico-operacional, será submetido ao Tribunal de Contas do DF e à equipe de transição do próximo governo.
  

De acordo com o secretário da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, cada secretaria e empresa terá de montar uma comissão interna para realizar seus levantamentos e elaborar seus relatórios. Até 31 de outubro, todos esses documentos serão recolhidos e compilados. “Não há tempo a perder. Assim que cada secretário deixar essa reunião, já tem de começar a redigir seus respectivos documentos”, enfatizou.
  

A previsão é que as equipes de transição comecem seus trabalhos assim que for definido com quem ficará a gestão do DF a partir de 2015.


 Fonte: Agência Brasília

Nenhum comentário: