Pesquise neste blog

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

UTILIDADE PÚBLICA

Fercal terá ação contra leishmaniose neste sábado


Estão programadas palestras, entrega de coleiras e vacinação antirrábica

Depois de iniciar com palestras em instituições de ensino da Fercal, a Semana Distrital de Prevenção e Controle de Leishmaniose promove atividades até 29 de agosto, principalmente nas áreas de contaminação da doença.
No sábado (22), haverá ação das 9 às 13h30, na Feira Permanente da Fercal. Na programação, estão um posto de vacinação antirrábica, rodas de conversa, estandes para exposição do mosquito-palha, coleta para diagnóstico da leishmaniose visceral canina e doação de coleiras de proteção individual contra a doença no cão. Os objetos serão entregues para quem participar das rodas de conversa, for maior de 18 anos e apresentar documento de identidade.
No DF, quatro regiões são consideradas de risco: Sobradinho, Fercal, Lago Norte e Jardim Botânico. “Torna-se imprescindível a intensificação das ações preventivas e de controle da doença com o objetivo de reduzir e eliminar a transmissão no DF”, explica a diretora da Vigilância Ambiental da secretaria, Vaneide Pedi. "Escolhemos Fercal e Sobradinho por terem apresentado casos autóctones de leishmaniose visceral no primeiro semestre deste ano.”
As atividades estão a cargo da Diretoria de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde do DF, em parceria com as administrações regionais da Fercal e de Sobradinho, a Diretoria de Atenção Primária da Regional de Saúde de Sobradinho e a Coordenação Regional de Educação de Sobradinho.
Transmissão

Considerada uma zoonose — doença que pode ser transmitida do animal para o homem —, há dois tipos de leishmaniose: a tegumentar (cutânea) e a visceral. A primeira caracteriza-se por feridas na pele nas partes descobertas do corpo. Tardiamente, aparecem nas mucosas do nariz, da boca e da garganta.
A leishmaniose visceral atinge órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Apresenta alta letalidade em indivíduos não tratados, afetando principalmente crianças e idosos, e a transmissão é feita por meio do mosquito-palha infectado — que contrai a doença após picar um cão com leishmaniose visceral.
O cachorro doente, na maioria das vezes, não possui sinais clínicos. Quando adoece, pode apresentar emagrecimento, crescimento das unhas, queda de pelo e lesões de pele.

Semana Distrital de Prevenção e Controle de Leishmaniose

22 de agosto (sábado)
Feira Permanente da Fercal
9 horas: Abertura oficial da semana de prevenção
Das 9h30 às 13 horas: palestras, vacinação antirrábica e distribuição de coleiras

Fonte:  Secretaria de Saúde

Nenhum comentário: