Pesquise neste blog

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Maioria da população de Sobradinho II atua no comércio e na administração pública





Dado refere-se aos moradores com ocupação remunerada e integra a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios divulgada hoje (2) pela Codeplan

(*) Samira Pádua

Perfil de sobradinho2Dos 49,14% de moradores de Sobradinho II com ocupação remunerada, 32,11% atuam no comércio, 22,16% na administração pública e 11,58% em atividades de serviços gerais. Entre os residentes, 23,81% trabalham na própria região administrativa, 39,41% no Plano Piloto e 17,82% em Sobradinho. Os números constam da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) 2015 divulgada na manhã desta quarta-feira (2) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

De acordo com o estudo, o número estimado de habitantes da região é de 100.775. No último levantamento, em 2013, era de 97.466, o que significa crescimento de 1,68% ao ano. Mulheres são maioria e representam 52,27% da população. Na análise por grupos de idade, 50,18% estão na faixa etária de 25 a 59 anos; já aqueles acima de 60 anos somam 12,68%.

Neste ano, a renda domiciliar média mensal em Sobradinho II foi de R$ 5.764,50, menor do que a apurada em 2013, de R$ 6.401,34. "Houve uma diminuição do número médio de pessoas por domicílio, uma redução do tamanho das famílias na região, e isso explica a redução no valor. Quando se olha em termos per capita, também tivemos uma pequena queda, quase estabilidade comparando-se 2015 com 2013", explica o diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Bruno Cruz. Segundo a pesquisa, a renda por pessoa passou de R$ 1.760,80 há dois anos para R$ 1.732,52 em 2015. Já a quantidade média de moradores por casa, que era de 3,65, passou para 2,27.

Sobradinho II tem 29.068 domicílios urbanos. Para ter representatividade, foi calculada, nesta região administrativa, uma amostra de 800 domicílios, que foram pesquisados em julho e agosto de 2015.

Migração

Dos residentes, 47,98% nasceram no Distrito Federal, e 52,02% são imigrantes. Desse total, a maioria é natural do Nordeste (50,18%). Em relação à origem por estados, Minas Gerais é o mais representativo, com 17,90%, seguido pela Bahia, com 13,74%, e por Goiás, com 13,12%.

Quanto ao responsável pelo domicílio, os homens representam 70,59%; e as mulheres, 29,41%. Por idade, a maior participação (36,68%) concentra-se no grupo com mais de 55 anos, seguido por aqueles de 46 a 55 anos (27,53%). Os que têm até 25 anos somam apenas 2%.

Infraestrutura

Ruas asfaltadas, meios-fios e calçadas estão presentes em cerca de 90% dos domicílios pesquisados; e iluminação pública, em 97,12%. A rede de água pluvial atende 66,58% dos moradores.

Em relação ao fornecimento de energia elétrica, a quase totalidade dos domicílios conta com fornecimento pela rede geral (99,87%). Quanto ao esgotamento sanitário, 51,81% dos domicílios drenam os esgotos em fossa séptica; 30,79%, na rede geral de coleta; e 17,40%, em fossa rudimentar.

Participaram da divulgação da pesquisa o presidente da Codeplan, Lucio Rennó, o diretor de Estudos Urbanos e Ambientais da companhia, Aldo Paviani, a arquiteta da Codeplan Eliana Klarmann, e o administrador regional de Sobradinho II, Estevão Reis.

História

No início da década de 1990, foi criado o Núcleo Habitacional Sobradinho II como parte da região administrativa de Sobradinho, em consequência do Programa de Assentamento da População de Baixa Renda, que tinha como objetivos transferir as famílias que residiam em um mesmo lote e fixar os moradores de invasões. Em 27 de janeiro de 2004, com a Lei nº 3.314, Sobradinho II foi desmembrada e transformada em região administrativa.


Leia também:


(*) Por Samira Pádua, da Agência Brasília

Nenhum comentário: