Pesquise neste blog

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

ARTE & CULTURA


1ª Mostra de Textos Curtos de Stand Up Comedy – Textículos


No dia 23 de outubro, evento reunirá 18 comediantes no Centro Cultural de Brasília

Se um comediante já faz rir, imagina 18 juntos? Críticas sociais, situações cotidianas e também atípicas, discussões hilárias sobre signos, minorias, preconceitos diversos, bullying no colégio, humor politicamente incorreto, debates sobre o machismo e feminismo, idades e os seus consequentes pesos, infância, vivências pessoais, relacionamentos, alcoolismo, uso de anabolizantes e até a capital do País e suas regiões administrativas vão estar em evidência na 1ª Mostra de Textos Curtos de Stand Up Comedy. Idealizada pelo ator e humorista Paulo Hoth, o evento nomeado Textículos - em alusão a textos pequenos, mas sem deixar a pronúncia ambígua da palavra de lado - vai ocupar , o Centro Cultural de Brasília - CCB (601 Norte) no dia 23 de outubro (domingo), às 20h.

Nos palcos, comediantes do Distrito Federal vão se revezar para fazer o público gargalhar até cair da cadeira. Serão de 3 a 5 minutos de “textículos”. Ou seja, de textos pequenos que abordarão temáticas diversas e particulares de cada apresentador de stand up comedy, a conhecida comédia apresentada por só um ator em cena, geralmente em pé.

De Valparaíso a Ceilândia, Taguatinga até São Sebastião, o evento reunirá artistas do circuito alternativo do DF. Haverá de tudo um pouco e também de peculiaridades destas regiões administrativas e de cada apresentador, que vai poder colocar às luzes da ribalta suas produções autorais pra lá de bem-humoradas. Apesar da comédia, cada texto conta ainda com conteúdos que levam o espectador à reflexão e consequente identificação.

Sobre Textículos

A 1ª Mostra de Textos Curtos de Stand Up Comedy – Textículos é um espetáculo independente, que tem como objetivo juntar forças para que atores ganhem mais espaço no cenário de Brasília. A ideia é que a mostra se torne trimestral e estimule os comediantes a se reunirem para movimentar o teatro e seus talentosos artistas nem sempre conhecidos na cidades.

Compõem este grande elenco os atores Alex Santos, Daniel Obregon, Diego Rastichong, Denison Carvalho, Élia Cavalcante, Fellipy Lima, Fillipe Guedes, Hugo Perpétuo, Lucas Oliveira, Lucas Ramos, Magno Martins, Paulo Hoth, Peterson Andrade, Phellipe Fogaça, Rafhael Gleydson, Raphael da Matta, Tiago San e William Costa.

Confira as esquetes e ficha técnica dos atores

1 – Alex dos Santos Teixeira (Alex Santos) – O comediante de Planaltina sai da linha do comum para buscar detalhes que transformam a piada. Em seu texto, ele fala sobre o cotidiano, mas sempre com um quê de reflexão e sarcasmo.

2- Daniel Obregon - O comediante brasiliense falará sobre a capital federal e suas peculiaridades, além de retratar sua própria infância.

3- Denison Carvalho – Morador de Ceilândia, o comediante vai abordar temas como a pobreza e a escola pública.

4- Diego Rastichong – O carioca residente em Brasília abordará diversos temas de acordo com a cadência da plateia. Situações cotidianas de um profissional de rádio, minorias, signos, médicos, felinos, o que é ser gordo, branquelo. Tudo em um tempo recorde.

Élia Cavalcante
5 - Élia Cavalcante (foto) – Com a comediante, o machismo ao contrário estará em questão. Élia vai brincar com trocadilhos, onde irá questionar o universo masculino relacionado em conivência social com o machismo e sua transposição para o feminino. A ideia é abrir um questionamento para nossas próprias relações pessoais.


6 - Fellipy Lima - O ator abordará em seu stand- up o convívio com a sua avó, com a política, com a cidade de Samambaia e ainda mostrará os preconceitos de quem faz teatro no Brasil.


7- Fillipe Guedes - Humorista de 24 anos é um dos fundadores da Cia de Comédia Tarja Preta. Ele traz para os palcos uma série de fracassos e desencontros vividos ao longo de sua vida. Para isto, ele vale do humor ácido para tratar seus problemas com uma leveza que fará o público rir das mais absurdas situações.


8 - Hugo Perpétuo – O comediante brasiliense morador do Cruzeiro Novo vai falar sobre a relação com o pai, com a família, além de abordar o uso de anabolizantes e citar porque começou a beber.


9 - Lucas Oliveira – O ator de São Sebastião vai falar sobre o Nordeste e a “internet ruim por lá”; além de abordar assuntos como sexo e a conectividade (ou a falta de..) nas regiões administrativas.

 10 - Lucas Ramos - O comediante de Taguatinga já começará a brincadeira falando que, segundo sua família, fazer stand up não é trabalho. Seu humor é controverso e observacional.

11 - Magno Martins – Também da cia Tarja Preta, o comediante vai colocar uma pitada de acidez em temas cotidianos, da infância e ainda destacar coisas que só acontecem na cabeça de cada um.

Paulo Hoth
12 - Paulo Hoth (foto) – O comediante de Valparaíso (GO) vai trabalhar com compilações de  piadas de uma linha, conhecidas como piadas online em uma trama literária. O ator entra no humor politicamente incorreto que, às vezes, beira o non-sense (sem sentido, absurdo). Sem impor limites, ele mescla críticas sociais com humor autodepreciativo.

 

13- Peterson Andrade - Nascido em São Sebastião, Peterson vai abordar o preconceito na época de colégio e a falta de apoio dos pais no seguimento da carreira de ator.

14- Phellipe Fogaça – O comediante de Taguatinga vai, além de falar sobre o seu nome, questionar o fato de parecer velho, e citar assuntos de família e de relacionamentos amorosos.

15- Raphael da Matta – O ator da Cia de Comédia Os Fantásticos trabalhará com uma comédia física, ou seja, performática e sem imitações.

16- Rafhael Gleydson – O humorista, escritor e roteirista da companhia Tarja Preta vai falar sobre cotidiano, sem perder a “comédia de peso”.


Tiago Santineli
17 - Tiago Santineli (foto)- O humorista e roteirista, cofundador da Cia de Comédia Tarja Preta, contará no palco, com muito bom humor, como o cidadão comum enfrenta as crises da vida, área na qual possui, como ele mesmo diz, muita experiência.

 

18 - William Costa – O comediante mineiro e hoje atual morador de Samambaia contará ao publico como foi morar em Itambacuri, cidade do interior de Minas Gerais onde nasceu. A cidade foi apelidada por William de "a cidade esquecida por Deus". Seu repertório conta com uma comparação da capital do país com a terra natal, além de mostrar seus primeiros dias hilários em Brasília.
 

Serviço:

1ª Mostra de Textos Curtos de Stand Up Comedy – Textículos

Dia: Domingo, 23 de outubro de 2016

Horário: 20h

Local: Centro Cultural de Brasília – CCB (601 Norte)

Ingressos: R$ 15 (meia-entrada)

Não recomendado para menores de 12 anos
 

(*) Fonte: Baú - Comunicação Integrada

Nenhum comentário: