Pesquise neste blog

Secretaria de Estado da Casa Civil - DF

sábado, 19 de novembro de 2016

A FÉ DOS HOMENS NA SERRANA


Cresce o número de pessoas que frequentam o Terço dos Homens da Paróquia Bom Jesus dos Migrantes

O evento acontece todas as segundas-feiras, das 20h às 21h

Crédito foto : Higor Sousa
O número de pessoas já chegou a alcançar 660 pessoas


(*) Higor Souza/JS

Com 10 anos de existência, o Terço dos Homens da Paróquia Bom Jesus dos Migrantes, localizada na quadra 4 de Sobradinho, conta com um público que alcança quase 200 pessoas todas as segundas-feiras. Esse número tem aumentado a cada semana, pois sempre novas pessoas comparecem ao local.

De acordo com um dos coordenadores do Terço dos Homens Maurício Alves, de 50 anos, que é representante comercial na região e que está há seis anos na coordenação, o número de público já chegou a alcançar 660 pessoas. “No dia 2 de outubro nós completamos 10 anos. Antigamente, só havia o Terço dos Homens aqui na nossa Paróquia. Mas aos poucos, nós fomos expandindo para outras igrejas para que o Terço fosse realizado em locais mais próximos das pessoas”. Ele também conta que atualmente são 96 igrejas que aderiram ao evento. “Nós implantamos na Fercal, em Formosa, em Unaí e em outras regiões. Todo mês são em média 12 mil homens rezando”.

O Terço dos Homens realizado na igreja da quadra 4 acontece das 20h às 21h. Nas três primeiras segundas-feiras de cada mês, o encontro acontece especialmente com os homens, mas nada impede que mulheres também possam participar. Já na última segunda-feira do mês, o evento é feito para a família. “Aí é quando mais lota a nossa Paróquia”, explica Alves.

O sucesso do evento foi se tornando tão grande que se criou uma Coordenação Nacional. Segundo o secretário da Secretaria Nacional do Terço dos Homens, José Feitosa de Carvalho, de 67 anos, que é servidor público, a sede da Secretaria fica em Olinda (PE), pois foi lá que se originou o Terço dos Homens. “O Terço foi vinculado ao Santuário de Olinda, da Mãe Rainha, em 1997. Mas mesmo assim, é um movimento novo. Mas o terço em si, já existe desde a época da escravatura”, afirma Feitosa.

Crédito: Higor Sousa
Pessoas que estão indo pela primeira vez são convidadas para receberem camisetas e terços

Durante o período em que o terço é rezado, músicas também são introduzidas no evento. Ao final, no telão, é mostrada a quantidade de pessoas que compareceram ao local. Pessoas que estão indo pela primeira vez são convidadas para receberem camisetas e terços. Foi o que aconteceu com a servidora pública Ilda Alves de Medeiros, de 55 anos. Para ela, o evento correspondeu às expectativas que tinha. “Gostei muito e achei bastante interessante. Eu não moro em Sobradinho, mas sempre que eu estiver por aqui, com certeza eu irei vir”.

Outra pessoa que também foi ao Terço dos Homens pela primeira vez foi o corretor de imóveis Edwilson Mendonça, de 50 anos. “Depois de receber diversos convites, resolvi aceitar e vir. Adorei. É tudo muito calmo e traz uma tranquilidade para nós”.

Para o motorista Aluízio Vicente, de 43 anos, que é motorista e mora em Planaltina, “paz de espírito” é o que define como ele se sentiu após participar do Terço dos Homens em Sobradinho. “Eu frequento o Terço dos Homens lá de Planaltina. Mas aqui de Sobradinho, esta foi a minha primeira vez. Como a palavrada de Deus diz, onde dois ou mais estiverem reunidos no nome dele, ele está presente. É uma alegria muito grande ter participado”.

Ao total, 20 homens fazem parte da coordenação. Entre eles, está o comerciante Júnior Aguiar, de 52 anos. Segundo ele, mais de 90% das Paróquias de Brasília e Entorno tem o Terço dos Homens. “Em Brasília, surgiu a partir daqui, da Bom Jesus dos Migrantes. Nós também implantamos o Terço em algumas cidades de Minas Gerais. Um dos objetivos principais do Terço é resgatar os homens para a igreja, para o sacramento”. Conforme informou Aguiar, o Terço dos Homens da igreja da quadra 4 se preocupa em não só ficar na oração. “Nós temos um projeto social no DNocs já há uns seis anos. No Natal e em datas comemorativas, a gente promove uma missa e distribuímos material escolar, roupa, brinquedos, cesta básica e damos um almoço que é feito no dia 25 de dezembro”, relata o comerciante.

(*) Por Higor Souza/JS - Exclusivo para o Jornal de Sobradinho - Edição nº 311 Referente a Segunda Quinzena de Novembro de 2016.

Nenhum comentário: