Pesquise neste blog

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

ARTE & CULTURA - Mulheres de Sobradinho comandam o break no Festival Nacional de Danças Urbanas – Batom Battle nesta sexta, sábado e domingo





 
Festival Nacional de Danças Urbanas – Batom Battle
 
Em sua 4ª edição, evento traz gratuitamente workshops, competições, mostras de dança não-competitiva e uma maior visibilidade para as divas da capital e do país
A cidade serrana de Sobradinho estará bem representada pela Bgirl Kelly (Sandra Kelly) que nasceu em Sobradinho e é uma das produtoras e competidoras do evento. 

E Fabiana Balduína, idealizadora, dá aulas de dança e faz um trabalho incrível com a OnG Desfrutare ( de Sobradinho). Aliás, eles vão estar presentes no evento. 

 
            A arte começou nas ruas, vai para as ruas e clama pela igualdade, respeito e sobrevivência. Foi com base nas batalhas diárias pelo reconhecimento, direitos iguais entre os sexos, autossuficiência e empoderamento feminino que um grupo de mulheres do Distrito Federal se juntou em 2003 para levar a arte para todos os públicos, sem discriminação.

            As autoras são as meninas do Brasil Style BGirls (BSBGIRLS), o primeiro grupo de breaking (estilo de dança de rua) formado exclusivamente por mulheres do Distrito Federal. E parte delas a criação do Festival Nacional de Danças Urbanas – Batom Battle. Um evento democrático, com entrada franca, e que neste ano chega a sua 4ª edição de sexta a domingo (2 a 4 de dezembro) para concretizar mais uma vez a subcultura respirada e exalada pelas B-girls: as mulheres do break de Brasília e das suas periferias.

            O conhecido Batom – nome em referência à maquiagem – vai ocupar o Tokata Instituto de Música (516 Sul), na sexta-feira, das 15h às 18h. No sábado e domingo, das 9h às 20h, o evento acontece no salão principal do clube dos Previdenciários de Brasília (712/912 Sul).

            Serão três dias inteiros de workshops, DJs, oficinas, competições, rodas de dança, mostra - uma vitrine da produção coreográfica da cena atual e, como a proposta já diz, muito requebrado e performances. Tudo de graça, incluindo as inscrições para participar das categorias competitivas e não-competitivas.

            A edição de 2016 oferecerá o maior prêmio nacional em competições de Breaking. A grande vencedora do duelo entre as estrelas do break levará R$ 3 mil para casa. A competição final e o resultado da finalista acontecem no domingo, a partir das 18h30. Outro destaque será a Mostra Batom que, pela segunda vez, irá abrir espaço para mulheres e também para os homens (B-boys) mostrarem seus talentos, sem a pressão de competir. A ideia é se divertir, dançar e também fomentar o portfólio das artistas intérpretes. 

            Dentre as 10 concorrentes selecionadas para a mostra não-competitiva há representantes de quatro regiões do País. Do Nordeste, chegarão ao DF o B-boy Jessé, Jack Keysy, o Grupo Soul Brasil, Dallianny Santos e a B-girl Pekena. Já o Norte será representado por Sara Lamam. Na região Sudeste, Ingrid Teles, Natasha Virgilio e o grupo Samba Bgirls prometem botar para quebrar. Do Centro-Oeste, Bots Crew foi o escolhido para representar a região. Há também presenças internacionais, como as Bgirls Kepsa, do México, e Viola Elisabeth, da Alemanha. No total, somam-se 10 coreografias dentro desta vitrine revezada entre solos e grupos.

            Já na categoria competitiva, duas alas estarão participando. O carro-chefe do evento que pretende destacar as mulheres de Brasília e do Brasil será a competição entre as B-girls, o Bgirling. Nesta linha de frente, uma mulher compete contra outra. E quem ganhar leva o troféu e R$ 3 mil, sendo que as outras três finalistas sairão com R$ 500.

            Ainda na competitiva, o segmento chamado “Bonnie&Clyde” irá exaltar no palco do clube Previ, a competição que envolve uma dupla de homem e mulher, como define a nomenclatura. Nesta disputa de 2X2, um casal de sexo diferente combate o outro. A dupla campeã será premiada com R$ 1 mil. O nome faz referência ao casal de jovens Bonnie Elizabeth Parker e o namorado Clyde Barrow, dois apaixonados norte-americanos famosos por uma série de assaltos e pela morte brutal na década de 30. Mais de 50 participantes já se inscreveram para a categoria competitiva. Quem quiser, ainda dá tempo de se inscrever até sexta-feira.  A inscrição é gratuita, mas as competidoras/es devem realizar uma ação social em sua comunidade ou participar de todos os workshops e oficinas do evento para garantir vaga na disputa. A ideia não é cobrar pelas inscrições de forma convencional, mas incentivar os artistas do break. Veja regulamento em: www.facebook.com/notes/batom-battle/regulamento-geral/941557642639130. Todas as participantes serão anunciadas na abertura do evento, na sexta.

            Segundo a idealizadora do Batom, a produtora, educadora e incentivadora do break no DF, Fabiana Balduína, 33, a ideia é resgatar estes termos dos EUA e transformá-los na identidade dos guetos urbanos tupiniquins. “Se não fosse plágio, por aqui o termo Bonie&Clyde receberia o clássico nome Lampião e Maria Bonita. E a nomenclatura Batom vem do símbolo que é esta maquiagem representante do feminino. A ideia não é excluir os homens, até porque eles participam. Pretendemos apenas dar visibilidade, vez e voz às mulheres. A arte nos empodera e eleva a autoestima. Muitas se tornaram hoje independentes por isto, pela arte”, frisa Fabiana, feliz pelo sucesso do festival.  

Programação intensa

            O Festival Nacional de Danças Urbanas – Batom Battle terá início na sexta, 2 de dezembro, às 15h. O dia terá recepção, um workshop de fotografia e coffe break, às 15h, no  Tokata Instituto de Música (516 Sul).

            Já no sábado (3 de dezembro) e domingo (4), das 9h às 20h, o Clube dos Previdenciários (712/912 Sul) vai receber Talkshows sobre sistemas/modelos de julgamento, Talkshow sobre DJs e sua importância: Os aspectos importantes da discotecagem durante as competições sob a visão das DJs e Bgirls”, Bgirls Tur Batom 2016, competições, rodas de dança (Cyphers), Mostras Batom, oficinas e DJs locais e nacionais. Dentre elas, Dina (RJ), Donna (DF), Prix (DF), Simmone (SP) e Miria (SP), que vão animar a pista durante o intensivão urbano com suas pick ups. 

            Haverá ainda workshop de Acrobacia/Saltos - Air Track Puma Jumpers, às 10h de domingo, e as grandes finais das categorias Bonnie&Clyde e Bgirling, também no dia de encerramento, às 18h30. Os campeões serão revelados às 19h e, em seguida, haverá os cyphers (rodas de dança) livre e o encerramento oficial de celebração com a DJ Donna. Os workshops e oficinas são abertos para público em geral, com ou sem experiência. Para garantir a entrada franca, basta chegar na hora e retirar o ingresso. O Batom é um evento inteiramente gratuito. Apenas as dançarinas de break devem comprovar experiência para competir. Confira a programação completa: www.facebook.com/batombattle.

Júri do Bem da Batom

            E já que novidades não faltam, neste ano três grandes B-girls foram chamadas para serem juradas. A residente B-girl Nitro (SP) e a conceituada B-girl  Morgana (SP) estarão presentes para dar o ar da graça e o louvor do prêmio para a preferida. Ainda, a fenomenal campeã da última edição da Batom realizada em 2015, a B-girl Branca (GO) vai comandar o evento como júri após passar por um problema de saúde que tirou todos os seus movimentos corporais e a fez se afastar do grande amor: o break. O caso levantou e levou às ruas a comunidade do hip hop e das mulheres que a trazem novamente para o cenário e para sua arte, já que ela começou a retomar alguns movimentos e deseja estar presente no evento.

Sobre o Festival

            O Festival Nacional de Danças Urbanas - Batom Battle é idealizado pelo Brasil Style BGirls (BSBGIRLS), primeiro grupo de breaking do Distrito Federal formado exclusivamente por mulheres. Ao promover a expressão da dança de rua com foco em gênero, o evento tem ganhado relevância no cenário nacional e, atualmente, reúne lideranças femininas de diferentes regiões do Brasil. Além de dar visibilidade às danças urbanas praticadas por mulheres, o Batom Battle objetiva oferecer condições que possibilitem a troca de conhecimentos entre participantes, público e apoiadores; premiações significativas e inéditas; performances e intervenções artísticas; atividades de capacitação, saúde e formação. Além de workshops e atividades, todas gratuitas para todos os públicos. O festival nasceu em 2011 com o intuito levar arte para jovens mulheres de situações de risco no Distrito Federal. Com uma pausa em 2012, voltou em 2013 e foi novamente inviabilizado por falta de incentivos. Em 2015, no entanto, a Batom voltou à cena ocupando o Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental) e o Conic (Setor de Diversões Sul), grande centro urbano do Plano Piloto.

            Neste ano, em sua 4ª edição, o Festival Nacional de Danças Urbanas Batom Battle 2016 está sendo patrocinado pelo programa "O Boticário na Dança", que apoia projetos culturais voltados exclusivamente para a área da dança, através da LIC – Lei de Incentivo à Cultura do DF. O programa é estruturado com a finalidade de contribuir para a preservação, a valorização e o acesso à dança e às suas diversas manifestações; fortalecer a produção cultural de grupos, criadores e artistas; e estimular a formação de público e talentos para a área. Mais informações no site: http://www.oboticarionadanca.com.br/.


Serviço

4ª edição do Festival Nacional de Danças Urbanas – Batom Battle

Sexta (2 de dezembro), das 14h às 18h, no Instituto de Música Tokata, localizado na 516 Sul – Bloco C  (W2 Sul).

Sábado e domingo (3 e 4 de dezembro), das 9h às 20h, no Clube dos Previdenciários (712/912 Sul)

Entrada franca.

Informações: 3878-7001.

Programação completa: www.facebook.com/batombattle

Classificação livre.

 

(*) Fonte: Baú - Comunicação Integrada

Visite nosso blog: bit.ly/baucomunicacao

Nenhum comentário: