Pesquise neste blog

Secretaria de Estado da Casa Civil - DF

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

ARTE,CULTURA & MEIO AMBIENTE


Ambientalista apresenta o Projeto Reciclagem Verde ao Jornal de Sobradinho

Ação já acontece há nove anos e revitalizou diversos lugares da região

 
(*) Higor Sousa/JS

Com boa vontade e um enorme desejo de ver a cidade mais limpa e arborizada, o ambientalista Ilton Correa, de 50 anos, mais conhecido como Jamaica, decidiu fazer a diferença. Há nove anos ele planta diversas mudas pela cidade em objetos recicláveis. Seu trabalho, conhecido como Projeto Reciclagem Verde, já faz sucesso em vários lugares da região e foi apresentado ao Jornal de Sobradinho.

Desde que começou a pedir mudas de diversas plantas para as pessoas, seu projeto foi beneficiado com Ipê, Jacarandá, Óleo de Copaíba, Jambo Roxo e Amarelo, abacate e outros. O trabalho de Correa consiste em juntar as mudas, separá-las e decidir onde serão plantadas. Além disso, diariamente recebe pneus os quais são transformados em obras de arte, como aconteceu em uma praça da Fercal, Canela da Ema, Escola Vila Rabelo e CED (Centro Educacional) 4, de Sobradinho II.

Para não proliferar o mosquito da dengue em época de chuva, todos os vasos que Jamaica produz têm furos e buracos, para que a água não fique acumulada. Nos que não dá para fazer isso, o ambientalista enche o pneu de areia. Segundo ele, o lixão é um dos principais locais em que há o maior número de larvas do mosquito. “A maioria dos pneus que a gente pega e recolhe, vem do lixão. Lá há uma grande concentração de mosquito da dengue. Eu trago esses pneus para minha casa, onde tenho uma oficina, e os transformo em vasos de planta. Faço pintura e os modifico completamente”, declarou Correa.

A vontade de fazer algo de diferente, principalmente que tivesse a ver com o ambiente, surgiu quando Ilton Correa viu cortarem diversos pés de Ipês. “Isso tem bastante tempo e foi na quadra 9. Fiquei desolado com tudo isso e decidi mudar essa história. Aí foi quando eu comecei a pensar em um projeto e criei este. Graças a Deus deu certo”.

Materiais como pneus, aros de ferro, carrinho de mão, mangueira, tampa de lata e tudo que serve de criadouro do mosquito da dengue é reaproveitado no Projeto Reciclagem Verde. “Nós usamos cinco grandes palavras em nossas obras, como amor, perdão, fé, humildade e caridade”, relatou Rodrigues.


E para que o Projeto Reciclagem Verde continue avançando, Correa conta com a ajuda do técnico ambiental Nelson Rodrigues, de 41 anos, que há quase dois anos faz parte do grupo. Conforme explicou Rodrigues, ele acredita que a ação ainda vai alcançar muitos lugares, pois com a teoria dele e com a prática de Jamaica, diversas pessoas tem contribuído para melhoria da região. “Graças a Deus tudo está dando certo. Decidi fazer parte do projeto quando eu vi uma reportagem do Ilton. Percebi que ele trabalhava sozinho e quis ajudá-lo. Nada melhor que contribuir para uma melhor imagem da nossa cidade”.


De acordo com Rodrigues, quando o trabalho de revitalização é realizado em algum espaço público, muitos benefícios são colocados em prática. “Por exemplo, as pessoas começam a cuidar mais daquele local. Marginais deixam de frequentar ali e as pessoas têm mais segurança e limpeza”, enfatiza o técnico ambiental.

 
Atualmente, tanto Ilton Correa quanto Nelson Rodrigues têm mostrado e dado palestras em escolas, creches e faculdades da cidade. “Queremos passar nosso conhecimento a outras pessoas para que elas também tenham amor pela natureza. Se não fizermos nada agora, amanhã pode ser tarde”.

 
Para a empresária Kamila de Oliveira, de 32 anos, a boa vontade do Projeto Reciclagem Verde não tem preço. “Não há nada que pague isso. É preciso que todos nós cuidemos da natureza. Podíamos, cada um, nos espelhar neles dois e fazer o que eles estão fazendo. Se cada um fizer a sua parte, viveremos numa cidade mais limpa e que ofereça uma boa qualidade de vida”.

 
Para aquelas pessoas que queiram fazer alguma doação ao Projeto Reciclagem Verde, podem entrar em contato com Ilton Correa, mais conhecido como Jamaica, pelo telefone (61) 98478-6847.
 

(*) Por Higor Sousa/JS - Exclusivo para Edição nº 313 do Jornal de Sobradinho referente a segunda quinzena de 2016.

Nenhum comentário: