Pesquise neste blog

sexta-feira, 30 de junho de 2017

CURSO EM SOBRADINHO

Senac ensina a customizar roupas e acessórios


As aulas para o curso Customização de Roupas e Acessórios na unidade do Senac em Sobradinho começará dia 3 de julho, às 19h. Os alunos aprenderão a escolher os tecidos, aviamentos e técnicas de customização para aplicar em peças de vestuário e acessórios, valorizando o acabamento, visando a transformação em um novo produto com qualidade e valor agregado. Os interessados devem ter no mínimo 16 anos e 6° ano/7° série do ensino fundamental. O investimento é de R$ 306, que pode ser parcelado no cartão de crédito em até 3x ou boleto bancário em parcela única. Mais informações: 3313-8877.

Por Silvia Mello

MOBILIDADE/ REGIÃO NORTE DO DF - BR 020

Trecho da BR-020 terá alteração de trânsito no domingo (2)
Intervenção será feita para construção de passarela em frente ao condomínio Nova Colina, em Sobradinho


(*) VINÍCIUS BRANDÃO

Para dar andamento à construção de uma passarela para pedestres na BR-020, em Sobradinho, o trecho da via sofrerá alterações de sentido no próximo domingo (2). A estrutura, quando terminada, levará mais segurança para a travessia dos moradores do condomínio Nova Colina.



Trecho da BR-020 terá alterações de tráfego no domingo (2), para uma das etapas de construção de passarela.


Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), as alterações serão feitas em dois momentos diferentes para cada eixo da via.



Primeiro, das 8 horas ao meio-dia, o sentido para Planaltina será fechado, e o tráfego, alterado para a via contrária. Nela, as duas faixas serão divididas para ter o fluxo nos dois sentidos.

Mais tarde, das 13 às 17 horas, a alteração é invertida. O sentido para o Plano Piloto é fechado, e o tráfego duplo será convertido para o eixo com sentido original para Planaltina. Com isso, o DER-DF poderá fazer aplicação de concreto na passarela.

Previsão é que passarela seja finalizada em julho

Em processo de construção no Km 12,1 da BR-020, a passarela em frente ao condomínio Nova Colina terá estrutura de ferro e concreto e está prevista para ser entregue em julho.

A obra, feita por licitação, tem orçamento específico para construção de passarelas em Brasília no valor de R$ 2.275.877.

(*) pOR VINÍCIUS BRANDÃO, EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA, FotoS: Dênio Simões/Agência Brasília

SOBRADINHO/ DIA C

Cooperativas do DF oferecem serviços gratuitos em Sobradinho no sábado
O Dia de Cooperar acontece no estacionamento do Estádio Augustinho Lima, das 9h às 15h
Em parceria com o Banco Central, associados e voluntários da Organização das Cooperativas do Distrito Federal (OCDF) e do Serviço de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop-DF) vão realizar um dia de atividades e serviços gratuitos para a comunidade de Sobradinho no próximo sábado (1/7). O Dia de Cooperar (Dia C) acontece no estacionamento do Estádio Augustinho Lima, das 9h às 15h. É esperada participação de 3 mil pessoas.
Cinco cooperativas e 150 voluntários serão mobilizados para prestar atendimento oftalmológico, odontológico e jurídico gratuitamente ao público. O evento contará ainda com apresentações culturais, atividades recreativas para crianças e uma palestra do Banco Central sobre educação financeira.
“As cooperativas estão preocupadas com o legado que vão deixar para as próximas gerações. E é com este programa que podem oferecer, voluntariamente, sua contribuição para as comunidades em que estão inseridas, a partir da promoção de iniciativas que beneficiam milhares de pessoas em todo o país”, afirma a presidente do Sistema OCDF-Sescoop/DF, Márcia Ionne Ramos Behnke.

Dia C

O projeto começou com a Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg) e se espalhou por todo o país em 2014. Desde então, o Dia C é realizado todos os anos no primeiro sábado de julho.


De acordo com os organizadores, os últimos anos foram cruciais para oferecer e estimular cooperativas a promoverem iniciativas socioambientais e transformar realidades em todo o país. Em 2016, 1.278 cooperativas desenvolveram 1.180 projetos com a mobilização de mais de 86 mil voluntários. Essas atividades foram realizadas em 777 cidades das 27 unidades da Federação. Este ano, a meta é beneficiar mais de 1 milhão de pessoas por meio de projetos contínuos.


Por RAIANE WENTZ/Foto : Jason Magalhães - Metrópoles

quinta-feira, 29 de junho de 2017

AGRICULTURA / REGIÃO NORTE DO DF

Vazio sanitário da soja começa no sábado (1º) em todo o DF

Produtores rurais devem eliminar as plantas vivas para combater a incidência de ferrugem asiática. Impedimento vai até 30 de setembro e quem descumprir está sujeito a multa de R$ 15 mil a R$ 50 mil

(*) MARYNA LACERDA

A partir de sábado (1º), produtores de soja do Distrito Federal devem eliminar todas as plantas vivas da cultura — o chamado vazio sanitário. Durante 90 dias, os agricultores estão proibidos de semear ou de manter pés do cultivo.
Lavoura de soja na região de Planaltina: a partir de sábado (1º) fica proibido por 90 dias o cultivo da planta no DF
 A medida visa à quebra do ciclo do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática. A doença é a principal causa de perdas na lavoura, uma vez que leva ao amarelecimento precoce de folhas e caule e prejudica o enchimento dos grãos.

A eliminação das plantas pode ocorrer de forma mecânica, como remexer o solo por meio de maquinário ou ao colocar o gado para se alimentar dos pés de soja. O uso de aditivos químicos para morte do cultivo também é uma opção. O impedimento vai até 30 de setembro.

Equipes da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Ruralfarão fiscalização em toda a área plantada de soja na última safra. São cerca de 71 mil hectares de lavoura em 200 propriedades em todo o território.

71 mil Quantidade de hectares ocupados com plantação de soja em 200 propriedades

Quem desobedecer à restrição será notificado e está sujeito à multa de R$ 15 mil a R$ 50 mil, além da obrigatoriedade de erradicar as plantas vivas, conforme determina a Lei Distrital nº 4885, de 11 de julho de 2012.

O vazio sanitário tem o objetivo de tirar do fungo a oferta de alimento, no caso, o pé de soja. Além disso, a suspensão do cultivo serve para pôr fim ao microorganismo que estiver presente no ambiente mesmo após a retirada da planta.

Pesquisas mostram que o fungo consegue sobreviver de 55 dias a 60 dias no solo. “Por isso, no DF estabeleceu-se o prazo de 90 dias, tempo superior ao ciclo de vida dele”, conta a gerente de Sanidade Vegetal da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, Marília Angarten.

Prevenção protegerá a lavoura na próxima semeadura

Sem ter como se desenvolver, o microorganismo também não produz esporos, unidades de reprodução. “Dessa forma, quando chegar a próxima semeadura, em novembro, a ferrugem asiática não atinge tão fortemente a lavoura”, explica a gerente de Sanidade Vegetal.
  
Reduzir a incidência de ferrugem asiática resulta também em economia na produção, uma vez que demanda menor aplicação de fungicidas. “O produtor gasta menos com agrotóxicos e tem maior produtividade”, destaca Marília.

Em caso de suspeita de descumprimento do vazio sanitário, deve-se alertar a pasta da Agricultura. Denúncias podem ser enviadas pelo telefone (61) 3051-6422 ou por meio do endereço eletrônico gsv.defesa.seagri@gmail.com 

(*)fonte:  MARYNA LACERDA, EDIÇÃO: VANNILDO MENDES - Foto: Tony Winston/Agência Brasília – 13.1.2016

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


PMDF ENCONTRA PÉS DE MACONHA SENDO CULTIVADOS EM SOBRADINHO

Hoje (29) por volta de 17h30 policiais militares da Rotam encontraram no Horto Florestal em Sobradinho vasos com pés de maconha.

Os policiais patrulhavam a cidade quando foram informados por um cidadão sobre o provável plantio. Os policiais foram ao local indicado e lá encontraram vários vasos com pés de maconha. A droga foi recolhida e apreendida na delegacia. Ninguém foi preso.


(*)Fonte:  Cícero Feitosa/PMDF

SOBRADINHO


Urbanizadora Paranoazinho lança campanha para incentivar a regularização


Com o mote “Regularização em Suas Mãos”, a campanha pretende mostrar que o sonho de legalização está ao alcance de todos os moradores da região


Há quase 10 anos a Urbanizadora Paranoazinho - UPSA trabalha para promover a regularização na Fazenda Paranoazinho. Atualmente, cerca de 30% dos mais de seis mil lotes da área já possui escritura ou está em processo de regularização. Para esclarecer dúvidas, no dia 27 de junho, a Urbanizadora lançou a campanha Regularização em Suas Mãos. Estiveram presentes ao evento a presidente do Instituto Brasília Ambiental – IBRAM, Jane Vilas Bôas, o administrador de Sobradinho, Valter Leite, o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Distrito Federal - ANOREG/DF, Allan Guerra e o diretor-presidente da UPSA, Ricardo Birmann - além de mais de 100 moradores interessados em saber mais sobre o processo.

A regularização significa valorização do patrimônio, preservação do meio ambiente e melhoria na qualidade de vida das pessoas. Porém, ainda existe resistência e desconhecimento por parte de alguns. Uma das metas da campanha é conscientizar que quanto mais cedo o morador procurar a UPSA e iniciar a negociação, melhores serão as condições oferecidas. “O objetivo é recuperar a plena legalidade no uso do solo da Fazenda Paranoazinho e valorizar toda a região”, afirmou Ricardo Birmann.

A campanha servirá como instrumento de conscientização. “A regularização está nas mãos do morador e ele está totalmente empoderado para, a partir de sua iniciativa, chegar até a legalização do seu imóvel”, declarou Birmann. E ainda ressaltou que regularizar vai além da escritura. “É valorização do patrimônio, responsabilidade com a cidade e com o meio ambiente. Fortalece todos os aspectos que fazem com que sejamos uma sociedade”

A campanha Regularização em Suas Mãos mostra aos moradores, por meio de outdoors, informativos, panfletos, redes sociais e mídia em veículos impressos e eletrônicos, quais os passos que devem ser percorridos para a tão esperada regularização. Além disso, uma cartilha com os benefícios e vantagens da legalização também será distribuída.

Comprovação do trabalho realizado

Em relação ao impacto da regularização ao meio ambiente, Jane Vilas Bôas, presidente do Ibram, explicou que a ocupação irregular do solo impacta negativamente no direito constitucional ao meio ambiente saudável.  “O parcelamento impacta o solo, a fauna, a flora e o sistema hídrico porque são feitos todos os procedimentos necessários como a terraplanagem e a impermeabilização e isso vai se expandindo e é preciso fazer de uma maneira que continue a ter um ambiente saudável. O grileiro não tem esse cuidado, ele se apropria do que é de todos nós e vê na terra uma oportunidade de fazer um patrimônio sem dar nada para a sociedade”, declarou. O presidente da Associação dos Notários e Registradores do Distrito Federal - Anoreg/DF, Allan Guerra, assegurou que a UPSA sempre cumpriu as exigências feitas pelos  cartórios. “A UP conseguiu passar por todas as etapas e chegou ao registro de loteamento em cartório”, reconheceu.

Valter Leite, administrador de Sobradinho, parabenizou a Urbanizadora pelo comprometimento com a cidade. “Eu vejo que vocês tiveram o compromisso, a paciência e a persistência de fazer tudo certo.” O administrador lembrou ainda das cartas de habite-se que estão sendo assinadas. “Nesses dois meses que estou à frente da Administração, já tive a oportunidade de assinar algumas cartas de habite-se e dar maior credibilidade ao processo”, relatou.

Os moradores presentes puderam obter informações verdadeiras e atualizadas sobre o processo de regularização dos seus condomínios, além de expor as expectativas e esclarecer dúvidas.


Fonte: Luiz Ribeiro, Karolina Kopko – Ascom santaféideias

quarta-feira, 28 de junho de 2017

EDUCAÇÃO

Alunos da EJA passam por desafios para se manter na escola
O animador de eventos Genilson Lopes optou pela modalidade de ensino a distância pela flexibilidade de horários. Aos 40 anos, ele sonha em se especializar em marketing de entretenimento

(*) GABRIELA MOLL

Aos 3 anos de idade, Genilson Lopes recebeu do irmão o apelido que levaria para a vida profissional. “Gostei e sou chamado assim desde sempre”, conta o morador de Vicente Pires, conhecido como Palhaço Psiu.
O ofício de animador começou cedo, aos 10 anos, como brincadeira, e, desde os 20 anos, como forma de sustento. Como precisava trabalhar para sobreviver, ele largou a escola na 5ª série do ensino fundamental, quando ainda vivia no orfanato em que morou até completar 18 anos.
Genilson Lopes, de 40 anos, cursa a EJA na modalidade a distância. Sonha em fazer faculdade e se especializar em marketing de entretenimento. Foto: Andre Borges/Agência Brasilia

Hoje, aos 40 anos, Genilson tem o sonho de levar o talento para a diversão um pouco mais além. Ele quer fazer faculdade e se especializar em marketing de entretenimento. “Assim, agrego meu conhecimento como palhaço à vontade de crescer”, planeja.
Para conquistar o sonho da faculdade, em 2015, o animador de festas ingressou na educação de jovens e adultos (EJA) pela modalidade do ensino a distância.
Ele está na segunda etapa do ensino médio, equivalente ao segundo ano no ensino regular. “É difícil estar novamente em sala de aula, temos receio, medo de passarmos por constrangimentos por sermos mais velhos”, confessa.

“A caminhada é árdua, mas nunca é tarde para aprender”Genilson Lopes, aluno da segunda etapa do terceiro segmento da educação de jovens e adultos

Além da força de vontade e do incentivo da namorada, o estudante conta com outro apoio fundamental para continuar. “Os professores são muito atenciosos, sempre nos motivam a não desistir quando bate a preguiça ou quando estamos desanimados. É isso o que nos fortalece”, resume.
Na educação a distância, os docentes estão disponíveis para tirar dúvidas por e-mail e, no caso de complicações, pessoalmente, em monitoria diária que ocorre no Centro de Estudos Supletivos Asa Sul (Setor de Grandes Áreas Sul, Quadra 602).
A unidade da Asa Sul é a única das 122 escolas que oferecem educação de jovens e adultos no DF que também tem ensino a distância. Atualmente, 2,1 mil pessoas são atendidas na modalidade — 800 no fundamental e 1,3 mil no médio.
“A caminhada é árdua, mas nunca é tarde para aprender”, acredita o aluno. A previsão é que ele termine o ensino médio no primeiro semestre de 2018.
Estudantes da EJA presencial conciliam o trabalho e a escola


A dificuldade de conciliar estudos e trabalho também faz parte da rotina da empregada doméstica Maria Luzia de Deus, aluna do EJA na Escola Classe 16 de Sobradinho. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O ensino a distância foi determinante para Genilson pela flexibilidade dos horários, que lhe permite dedicar-se aos estudos e à profissão. “Além do que, acho mais simples do que estar em sala de aula”, elenca o estudante, que também trabalha como motorista durante a semana.
A dificuldade de conciliar estudos e trabalho também faz parte da rotina da empregada doméstica Maria Luzia de Deus. Aos 48 anos, ela decidiu retomar os estudos interrompidos na 4ª série do ensino fundamental pela vontade de aprender coisas novas. “Via todo mundo estudando e eu ficava intrigada” conta.
Em 2017, ela ingressou na terceira etapa do primeiro segmento na Escola Classe 16 de Sobradinho, onde estuda das 19 às 22 horas. Desde que entrou na unidade, a moradora da região de Nova Digneia abriu mão de outros afazeres e passou a dormir mais tarde, mas continua acordando no mesmo horário para ir ao trabalho, às 5 horas. O marido estudou até o segundo ano do ensino médio e está desempregado.
“Depois da aula faço os deveres e arrumo as coisas. É puxado, mas vale a pena”, confessa Maria Luzia, que de vez em quando pede ajuda para os três filhos para concluir as tarefas.
“As dificuldades de aprendizado são exatamente as mesmas das crianças, o que muda é a maturidade: o que levamos uma semana para ensinar para uma criança, eles aprendem no mesmo dia”Valdines Barbosa, coordenadora pedagógica do EJA na Escola Classe 16 de Sobradinho

Os desafios enfrentados por ela são comuns aos estudantes dessa faixa etária, como explica a professora Gizely Ribeiro Porto. “Eles têm problemas inerentes à vida adulta, como administrar a casa, filhos, coisas para resolver no trabalho. Levamos tudo isso em conta”, avalia a professora das etapas iniciais do primeiro segmento.
Como o programa pedagógico para jovens e adultos prevê esse tipo de obstáculo, nenhum aluno reprova por falta. “Se o estudante tiver aptidão no nível de aprendizagem, ele pode passar para a próxima etapa”, acrescenta Gizely.
Ler receitas e aprender as medidas são os motivos que levaram o maranhense Cláudio Roberto de Alcântara, de 33 anos, a assistir às aulas da professora Gizely. Funcionário da escola desde 2015, o auxiliar de serviços gerais sonha em ser cozinheiro inspirado pela mãe, que era merendeira.
Quando tem um tempo no trabalho na unidade de Sobradinho, ele corre para aprofundar o conteúdo com a educadora. “O que mais gosto de fazer é ditado”, conta o estudante. Ele largou a escola aos 13 anos para trabalhar.
Para prender a atenção dos alunos, a professora de ciências Aline Andrade Rosa, que dá aula para os estudantes da quinta à sétima etapa do segundo segmento, gosta de levar slides com figuras e atividades lúdicas. “Eles são mais interessados, estão aqui porque querem muito”, confirma.
Para prender a atenção dos alunos, a professora de ciências na Escola Classe 16 de Sobradinho Aline Andrade Rosa gosta de levar slides com figuras e atividades lúdicas. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
A coordenadora pedagógica do primeiro segmento na unidade de Sobradinho, Valdinês Barbosa, ressalta o interesse como característica principal dos estudantes dessa faixa etária. “As dificuldades de aprendizado são exatamente as mesmas das crianças, o que muda é a maturidade: o que levamos uma semana para ensinar para uma criança, eles aprendem no mesmo dia.”
Ela conta que a maioria vem direto do trabalho e que fatores como a rotina de trabalho e o cansaço aumentam os atrasos e a evasão dos estudantes. Para tentar evitar os casos de evasão, a coordenação da escola trabalha com palestras motivacionais e com a oferta de cursos profissionalizantes.

Educação de jovens e adultos existe no DF desde 1996

A educação de jovens e adultos existe no DF desde 1996. A modalidade foi criada para atender quem quer retomar os estudos e reconhecer a educação como direito básico. A idade mínima para ingressar no fundamental é de 15 anos. Para o nível médio, o estudante deve ter pelo menos 18.
O ensino é dividido em três segmentos. O primeiro e o segundo são formados por quatro etapas, correspondente aos anos iniciais (alfabetização) e finais do ensino fundamental, respectivamente. O terceiro segmento é composto por três etapas, referentes ao ensino médio. Em 2016, 50.963 alunos foram matriculados na EJA.
(*) FONTE: GABRIELA MOLL - EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA – FOTOS: Andre Borges, Toninho Tavares /Agência Brasília

VEM AÍ...


Curso Técnico em Secretariado do Senac inicia em julho


Para interessados em ser um profissional técnico em secretariado, o Senac está com uma turma aberta na unidade de Sobradinho. As aulas terão início dia 3 de julho, no período noturno, das 19h às 22h30. Os alunos aprenderão sobre atividades administrativas relativas ao funcionamento de uma empresa ou instituição, pública ou privada, observando os ciclos de gestão, as políticas e as inter-relações. Para cursar é preciso ter no mínimo 16 anos, o 2º ano do Ensino Médio ou terceiro segmento do EJA. O investimento é de R$ 2.970, podendo ser parcelado no cartão de crédito em até 11x ou no boleto bancário em até 12x. Mais informações: 3313-8877.

Fonte: Silvia Mello

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO



POLÍCIA CIVIL PRENDE JOVEM NO DENOCS COM MACONHA, CRACK, COCAÍNA, PISTOLA 9MM E 52 MUNIÇÕES DO MESMO CALIBRE.

(*) Claudio Martins

Por volta das 15h de terça-feira, 27/06, policiais civis da Delegacia da Criança e do Adolescente, DCA, prenderam Thiago Melo dos Santos, 18 anos, pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito, na quadra 02 conjunto 01 da Vila Dnocs. Com Thiago os policiais apreenderam diversas porções de maconha, duas porções de crack, uma porção de cocaína, além de uma pistola calibre 9mm e 52 munições intactas do mesmo calibre da arma de fogo.

Os policiais realizaram a prisão de Thiago, no momento em que estavam em diligências na quadra no conjunto 01 da Vila Dnocs e ao solicitar o proprietário de uma certa residência, perceberam Thiago correndo para os fundos da residência e pulando os muros.

Os policiais adentraram a residência e no interior, localizaram maconha, crack, cocaína e munições calibre 9mm. Thiago foi perseguido pelos policiais e foi preso em outra residência do mesmo conjunto. Os policiais realizaram buscas na residência e apreenderam uma pistola calibre 9mm, municiada. No total foram apreendidas 52 munições calibre 9mm.

Thiago foi preso, conduzido à 13ª Delegacia de Polícia e autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito.

ÁGUIA-33 RECUPERA PISTOLA ROUBADA DE POLICIAL MILITAR EM SOBRADINHO II.

A ARMA FOI APREENDIDA NO ACAMPAMENTO DOROTY, EM NOVA COLINA E O INDIVÍDUO QUE ESTAVA COM A ARMA, CONSEGUIU FUGIR DOS POLICIAIS, PELO O MATAGAL.


Por volta das 17h de sábado, 24/06, policiais militares do serviço de inteligência do 13º Batalhão de Sobradinho apreenderam uma pistola calibre .40, com quinze munições intactas, no Acampamento Dorothy, em Nova Colina. A arma, pertencente à Polícia Militar do Distrito Federal, foi roubada de um policial militar em Sobradinho II.

A informação que chegou aos policiais foi de que a arma, roubada de um policial militar, em Sobradinho II, na noite de quinta-feira, (22), estava com um indivíduo, no interior do Acampamento Dorothy, em Nova Colina.

Os policiais chegaram ao endereço e avistaram o indivíduo, que estava nervoso. Na tentativa de abordagem, o suspeito correu e após ser perseguido pela a equipe do Águia-33, retirou a arma da cintura e a jogou ao chão. O indivíduo adentrou ao matagal e não foi localizado. A arma foi apreendida e conduzida à 13ª Delegacia para ser periciada.


(*) Fonte: Claudio Martins/ Blog Informativo Flagrante

MEIO AMBIENTE/ ÁGUA


Obras no Bananal estão 41% executadas

Subsistema vai reforçar em 726 litros por segundo o sistema de abastecimento de água do DF. Rollemberg acompanhou o andamento das intervenções na manhã desta quarta-feira (28)

(*) GUILHERME PERA

Companhia de Saneamento do Distrito Federal (Caesb) já executou 41% das obras do Subsistema Produtor do Bananal. Trata-se da primeira grande intervenção de captação de água desde a Bacia do Piripipau, há 16 anos. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, vistoriou o andamento dos trabalhos na manhã desta quarta-feira (28).


Subsistema Produtor do Bananal vai reforçar em 726 litros por segundo o sistema de abastecimento de água do DF.  Governador Rollemberg acompanhou o andamento das intervenções na manhã desta quarta-feira (28).
Está quase concluso o desvio do rio para que possam ser iniciadas outras etapas da obra. A elevatória 1, próxima ao rio, já está em fase de execução das fundações. A elevatória de água 2 está na fase final das obras.
“Este é mais um investimento para terminar de vez o problema de falta de água no DF. Até o fim de setembro, já deveremos ter começado a captação aqui no Bananal”, disse Rollemberg.
Todos os equipamentos foram comprados por meio de licitação. As bombas já se encontram no local da obra. Os trabalhos começaram em novembro de 2016.
O que é o subsistema do Bananal



O Bananal significa um reforço de 726 litros por segundo para o Sistema de Produção Santa Maria-Torto. O investimento é de R$ 20 milhões, provenientes do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, do Banco do Brasil.
“Apesar de outras dificuldades na seca, é nesse período que as obras de infraestrutura se desenvolvem com mais rapidez”, observou o presidente da Caesb, Maurício Luduvice. “A agilidade nos trabalhos mantém o cronograma estabelecido.”
170 mil Quantidade de pessoas que serão beneficiadas com as intervenções, que incluem captação no Ribeirão Bananal e bombeamento para a Estação de Tratamento de Água de Brasília
Cerca de 170 mil pessoas serão beneficiadas com as intervenções, que incluem captação no Ribeirão Bananal e bombeamento para a Estação de Tratamento de Água de Brasília.

Outras grandes obras de captação de água no DF
Também para setembro está prevista a entrega das obras de captação emergencial no Lago Paranoá. Serão 700 litros por segundo para abastecer a Asa Norte, o Itapoã, o Lago Norte, o Paranoá, parte de Sobradinho II e o Taquari. Serão investidos R$ 42 milhões, vindos do Ministério da Integração Nacional.
Em 11 de maio, as obras na parte goiana do Sistema Produtor Corumbá 4 foram liberadas. O fornecimento será de até 5,6 mil litros por segundo e vai ampliar em 70% a capacidade de abastecimento do DF, além de desafogar o Descoberto. O orçamento é de R$ 540 milhões, divididos de forma igualitária entre o DF e o estado vizinho.
A parte do DF independe de recursos do Ministério das Cidades, que havia suspendido o repasse após recomendação do Ministério Público Federal. Portanto, não estava parada do lado brasiliense. Havia suspeita de superfaturamento apenas na parte de responsabilidade de Goiás.
“Quando terminarmos as obras, os problemas de abastecimento no DF acabarão por cerca de 30 anos. A parte do DF nesta obra está cerca de 70% realizada”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília
Compete ao estado vizinho a captação hídrica e a construção de 12,7 quilômetros da adutora. Outros 15,3 quilômetros são de responsabilidade do DF, assim como a estação de tratamento de Valparaíso, de onde a água será bombeada para o DF e o Entorno.
“Quando terminarmos as obras, os problemas de abastecimento no DF acabarão por cerca de 30 anos. A parte do DF nesta obra está cerca de 70% realizada”, disse Rollemberg.
A Caesb tem também um projeto, já licitado, para captar, armazenar, tratar e distribuir água do Lago Paranoá de forma definitiva. As obras estão orçadas em R$ 480 milhões — o governo de Brasília negocia financiamento com a Caixa Econômica Federal.
Serão atendidas 600 mil pessoas no Paranoá, no Lago Oeste, no Tororó, nos condomínios Jardim ABC, Jardim Botânico e Alphaville e em Sobradinho.
Pequenas obras de captação de água no DF
No fim de março deste ano, a Caesb reativou a captação no Rio Alagado, no Gama. São 20 litros por segundo, que beneficiam cerca de 16 mil pessoas na região. Foram recuperados 4 quilômetros de trechos da adutora e instalada uma válvula redutora de pressão. A água captada passa por um tratamento simplificado e é encaminhada para a própria rede de distribuição.
Também no Gama, cerca de 15 mil moradores são abastecidos pelo córrego Crispim desde novembro de 2016. São captados 40 litros por segundo desde a reativação de 3 quilômetros de adutora e a construção de mais 180 metros de redes. A água é tratada e encaminhada para o reservatório do Gama.
Nas proximidades do Jardim Botânico e no Lago Sul, a captação do Córrego Cabeça de Veado — que desemboca no Lago Paranoá e complementa o abastecimento nas duas regiões administrativas — foi aprimorada. Quatro bombas de captação foram revitalizadas. Isso possibilitou o aumento da vazão de captação no córrego de 110 litros para 150 litros por segundo.
Outra medida foi a ativação de um poço, em São Sebastião, com capacidade de produção de 10 litros de água por segundo. A estrutura beneficia aproximadamente 4 mil pessoas.
Volume morto do Descoberto
Questionado sobre a necessidade de usar o volume morto Descoberto, Rollemberg observou que o ritmo de diminuição do nível de água está menor do que nos anos anteriores, devido a medidas como o racionamento do abastecimento.
“Isso sem contar que, no fim do período de seca, teremos mais 1,4 mil litros de água por segundo captados com a conclusão do Bananal e a captação emergencial do Lago Paranoá”, disse. No entanto, não descartou a medida. “Estamos estudando todas as possibilidades.”
(*) fonte: GUILHERME PERA,  EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA - Fotos: Tony Winston/Agência Brasília

CÂMARA DOS DEPUTADOS/ ACONTECENDO...


Câmara conclui a Regularização Fundiária

Depois de mais de seis horas de debates, a MP sobre regularização fundiária foi concluída e segue para a sanção do presidente da República. Apesar das tentativas dos partidos de oposição para barrar a regularização de terras urbanas e rurais no DF e em todo Brasil, a o direito à escritura ficou garantido.

Para o deputado Izalci Lucas (foto)- PSDB/DF, ganhou a população que verdadeiramente sofre com falta de moradia e de terras regulares para produzir. “Perderam aqueles que têm como cabos eleitorais os movimentos dos “supostamente” sem-terra e sem-teto. Grupos que sustentam a esquerda atrasada e violenta neste país”, afirmou o tucano.

A MP já havia sido aprovada na Câmara e no Senado e enquanto aguardava a sanção presidencial, foi alvo de liminar acatada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso no último dia 20, em razão de mudanças feitas no texto final. Apesar das mudanças serem apenas para corrigir vicio de linguagem ou técnica legislativa, deveriam ter retornado ao Plenário da Câmara para serem referendadas. E foi isso que ocorreu na madrugada desta quarta-feira.

A primeira emenda aprovada inclui um dispositivo no texto para que a Secretaria de Patrimônio da União seja autorizada a regulamentar a Proposta de Manifestação de Aquisição (PMA) permitindo ao ocupante do imóvel propor a sua compra.  A outra emenda diz respeito a doações de terreno pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) para fins de regularização fundiária em áreas urbanas e rurais dos municípios de Manaus (AM) e Rio Preto da Eva (AM). Foi corrigida a data final que passa a ser aquela da publicação da MP 759 (22 de dezembro de 2016).

Outra emenda aprovada acrescenta a permissão para que qualquer imóvel que tenha construções de casas ou cômodos seja instituído como Condomínio Urbano Simples.

Segundo o deputado Izalci Lucas, a medida beneficia milhões de brasileiros que moram em residências, lotes ou condomínios com alguma irregularidade. “Aqui no DF, metade da população depende da aprovação dessa matéria para ter a sua escritura. A aprovação dessa medida não serve só para condomínios. Nós temos cidades aqui que têm 150 anos, e as pessoas moram em casas sem escritura”, alertou o tucano.


Fonte: William Santa'Ana

terça-feira, 27 de junho de 2017

EXTRA! EXTRA!



Já encontra-se em CIRCULAÇÃO, nas BANCAS e REVISTARIAS de SOBRADINHO I, II, GRANDE COLORADO, DENOCS, SETOR DE MANSÕES e REGIÃO NORTE DO DF  a Edição nº 325  referente a 2ª QUINZENA de Junho de 2017.

Confira aqui também, a edição eletrônica no canto esquerdo da tela do Blog Jornal de Sobradinho pelo link Calameo.  http://www.calameo.com/books/003027461e43de43f5800

JUSTIÇA

Júri condena quatro por morte de homem baleado com 15 tiros no DF
Jurados consideraram que vítima estava sem possibilidade de defesa, pois foi atropelada antes de levar os tiros. Segundo denúncia, o carro e uma das armas do grupo eram roubados.
  

Fórum de Sobradinho no Distrito Federal (Foto: Google/Reprodução)

Quatro homens foram condenados pelo Tribunal do Júri por matar uma vítima após atropelar e atirar mais de 15 vezes contra ela, em Sobradinho, no Distrito Federal. A agressão aconteceu em outubro de 2015, e deixou a vítima debilitada por causa do atropelamento, sem chance de defesa.

Com placa adulterada, o carro usado pelos agressores era roubado, assim como uma das armas, que tinha sido pega da casa de um policial militar.

Dentro do veículo foram apreendidas balas intactas, carregadores de arma de fogo, um revólver e duas pistolas

Os condenados foram enquadrados no crimes de homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e receptação.

Um deles terá que cumprir 22 anos de prisão, outros dois foram condenados a 16 e o que estava dirigindo o carro no momento do crime recebeu pena de14 anos de reclusão, ele foi absolvido do crime de porte ilegal de arma.


(*) Fonte: G1/DF

segunda-feira, 26 de junho de 2017

ECONOMIA

Lei autoriza preço menor para compras em dinheiro

A partir desta terça-feira (27), comerciantes estão autorizados a oferecer preços diferenciados para pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito ou débito. O texto foi sancionado sem vetos nesta segunda-feira (26) em cerimônia no Palácio do Planalto pelo presidente da República, Michel Temer, e vai entrar em vigor amanhã, com a publicação da lei no Diário Oficial da União.

A nova lei tem origem no Projeto de Lei de Conversão 6/2017, decorrente da Medida Provisória (MP) 764/2016 e aprovado no Senado no último dia 31.

O texto também obriga o fornecedor a informar, em local visível ao consumidor, os descontos oferecidos em função do meio e do prazo de pagamento. Se ele não cumprir a determinação, ficará sujeito a multas previstas no Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/1990).

Apesar de proibida em lei, a prática já era adotada por muitos comerciantes, que ofereciam descontos para quem pagasse com dinheiro. Com a diferenciação na cobrança, eles buscavam evitar as taxas cobradas pelos cartões e a demora para receber o dinheiro.

A proposta não obriga a diferenciação de preços, somente oferece essa possibilidade ao comércio. No entendimento do relator da medida provisória, deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), o estímulo ao pagamento à vista e em dinheiro pode criar uma situação de concorrência que leve as administradoras de cartão a baixar as taxas cobradas dos estabelecimentos comerciais.

Segundo o Executivo, a diferenciação de preços beneficia empresas e consumidores e estimula queda no valor médio dos produtos. A medida também evitaria a prática do chamado subsídio cruzado — quando os consumidores que não utilizam cartão pagam o mesmo preço que os consumidores que utilizam esse sistema de pagamento, sobre o qual incidem taxas.


(*) Fonte: Agência Senado

ARTIGO por Henrique Matthiesen



UM TRIBUTO AO SILÊNCIO


Busco no poeta e romancista francês, Jacques Prévert, o sábio pensamento: “Há momentos na vida em que se deveria calar e deixar que o silêncio falasse ao coração, pois há emoção que as palavras não sabem traduzir.”
Paulo Coelho, escritor, pondera: “Ame como a chuva fina. Esta cai em silêncio, quase sem fazer notar, mas é capaz de transbordar os rios.”
A globalização deu à espécie humana a possibilidade inimaginável das relações instantâneas, empoderando todo tipo de absolutismo opinativo, desprovido das cautelas essenciais e presumíveis.
Todo mundo hoje tem opinião de tudo e de todos. Um festival de besteiras, preconceitos, conceitos torpes invadem as ditas redes sociais e as inter-relações num movimento raso desprovido de qualquer razoabilidade de lastro.
O silêncio surgiu como uma ação precária sossega, como reflexivo. Algo que vem de dentro, que serena, que pondera, quando se agiganta aquieta, produz discernimento, brota sabedoria.
Indubitavelmente há uma correlação entre sabedoria e o estado silencioso. O conhecimento científico, filosófico, tecnológico, teológico são frutos da mais densa observação silenciosa.
Assustador, incomoda, perturba, carrega em si o enigma do mundo das idéias não expressas emanando de uma energia brutal, o silêncio grita mais feroz dos que os vernáculos.
Linguagem da alma é a metamorfose da sabedoria, da astúcia, da clarividência, da sensatez, é a palavra não dita, mas compreendida.
Diferentemente do que podemos ajuizar, o silêncio é, muito mais virtude do que vício, está na placidez, no mergulho da alma, no hábito sadio do escutar. Ele harmoniza e edifica.
Entretanto, em sua tirania inapropriada, gera a sua face covarde, o silêncio do rancor, do ódio, da pusilanimidade, da mágoa, da traição e é tão maléfico como o brado escaldante.
Caos auditivo, somos ruidosos, obcecados pelo vazio, cultivamos o hábito irritante do estridente, e somos inconvenientes nas verdades mentirosas.
Shakespeare, em sua monumental obra “Hamlet”, no conflito invencível do “ser ou não ser” nos traz a imprescindível lição após todos os ditos e não ditos de todo drama do rei da Dinamarca.
O que resta, o que sobeja, o que sobra é o silêncio.
Afinal, o resto é silencio.
Ou o prosaico ditado popular, boca fechada não entra mosquito.
  
(*)Por  Henrique Matthiesen (foto) - Bacharel em Direito, Jornalista e colabora com o Blog Jornal de Sobradinho

ACONTECENDO...

Nota oficial
  
O governo de Brasília lamenta e recorrerá da decisão da Câmara Legislativa do Distrito Federal de editar um decreto legislativo revogando o decreto que regulamenta a lei anti-homofobia.

Trata-se de uma atitude ilegal por invadir área jurídica restrita do Executivo, e que não encontra respaldo na realidade dos dias de hoje.

O Estado tem que garantir a liberdade de expressão, de credo religioso e o direito de orientação sexual de cada cidadão, evitando qualquer tipo de preconceito e violência.

O Governo de Brasília está seguro de que, mais uma vez, o Tribunal de Justiça reconhecerá a autonomia do Poder Executivo de regulamentar a legislação sobre este tema e de outros de interesse da sociedade.

Rodrigo Rollemberg

Governador de Brasília

ACONTECENDO...

Sobradinho Lança Operação Quadras Limpas

Nesta segunda-feira (26), o administrador de Sobradinho Valter Soares, deu início a implementação do programa Operação Quadras Limpas, uma força tarefa montada pela equipe da Administração para realização de ações de manutenção e limpeza pública.

A abertura do projeto será na quadra 01 de Sobradinho. Serviços como: operação tapa buracos; revitalização de bueiros, boca de lobo e meios-fios; retirada de lixos e entulhos e pequenas podas farão parte dessas ações.  “Nossa cidade merece e precisa desse cuidado constantemente. Esse projeto é cíclico, passando por todas as quadras várias vezes até o final da gestão”, afirmou o Administrador.

CRONOGRAMA DE AÇÕES – OPERAÇÃO QUADRAS LIMPAS

26/06 a 30/06 – Quadra 01
03/07 a 7/07 – Quadra 03
10/07 a 14/07 – Quadra 05
17/07 a 21/07 – Quadra 07
24/07 a 28/07 – Quadra 09
31/07 a 04/08 – Quadra 02
7/08 a 11/08 – Quadra 04
14/08 a 18/08 – Quadra 06
21/08 a 25/08 – Quadra 08
28/08 a 08/09 – Quadra 10
11/09 a 15/09 – Quadra 11
18/09 a 22/09 – Quadra 12
25/09 a 29/09 – Quadra Central
02/10 a 06/10 – Quadra 13
09/10 a 13/10 – Quadra 15
16/10 a 20/10 – Quadra 17
23/10 a 27/10 – Quadra 14
30/10 a 03/11 – Quadra 16
06/11 a 10/11 – Quadra 18
13/11 a 24/11 – Nova Colina e condomínios
27/11 a 01/12 - Dnocs
                                                                             
 (*) Fonte: Bruna Nascimento /Ascom- Administração Regional de Sobradinho