Pesquise neste blog

quarta-feira, 21 de junho de 2017

ACONTECENDO...


Gasolina já é vendida a R$ 2,99 no Distrito Federal

(*) Hamilton Ferrari.

Os consumidores não têm do que reclamar. Na guerra de preços travada entre os postos de combustíveis, são eles os maiores ganhadores. O litro da gasolina já está sendo vendido abaixo de R$ 3 em estabelecimentos de Taguatinga.

Em um posto próximo à Feira dos Goianos, o litro da gasolina é ofertado por R$ 2,99. Na entrada do Pistão Sul, é possível encontrar o combustível por R$ 3 o litro. Se o cliente estiver no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), pode abastecer por R$ 3,08. No Guará 1, o litro do combustível está saindo por R$ 3,09.

Segundo os especialistas, demorou, mas os postos estão repassando, quase que integralmente, as reduções de preços promovidas pela Petrobras nas refinarias. Antes dessa guerra entre os postos, os empresários embolsavam a diferença para engordar os lucros.

Um dos motivos que está levando os postos a favorecerem os consumidores é o elevado volume de estoques de combustíveis. Como a demanda está fraca, é melhor reduzir a margem de lucro do que ficar com a mercadoria encalhada. É a lei de mercado.

Governo comemora

O consumo fraco decorre do elevado nível de endividamento das famílias. No entender dos especialistas, as famílias estão cortando tudo o que podem, e combustíveis não são prioridade. As pessoas preferem manter os carros na garagem e utilizar transporte público. É bem mais barato.

Quem também está comemorando a queda dos preços dos combustíveis na bomba é o governo. Por uma razão simples: isso ajuda muito no controle da inflação. A queda do preço da gasolina está sendo tão forte, que a capital do país vem registrando deflação, ou seja, queda média de todos os preços.

Pelas projeções médias do mercado, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho terá queda de 0,07%. As instituições que mais acertam as pesquisas de preços do Banco Central, os Top Five, apostam em retração de 0,16%. Pelos cálculos da Fundação Getulio Vargas (FGV), a deflação em junho está em 0,24%.

Os especialistas recomendam, porém, cuidado na hora de abastecer. Preços baixos demais podem significar gasolina “batizada”. Portanto, pesquise bem o histórico dos postos, pois o barato pode sair caro demais se os carros derem defeitos.


(*) Hamilton Ferrari/ CB - Brasília, 13h01min

Nenhum comentário: