Pesquise neste blog

quinta-feira, 22 de junho de 2017

SAÚDE


Casos de dengue em residentes do DF caem 80% em 2017

De acordo com a Secretaria de Saúde, até a primeira quinzena de junho foram registrados 3.148 casos da doença, contra 18.921 no mesmo período do ano passado

(*) Cibele Moreira

Os registros de dengue em residentes do Distrito Federal se mantêm com tendência de queda em 2017. Até a primeira quinzena de junho, a Secretaria de Saúde registrou 2.730 casos prováveis da doença em moradores da região e 418 em oriundos de outras unidades da Federação.

No ano passado, foram computadas 18.921 ocorrências – 16.862 vítimas residiam no DF e 2.059 eram do Entorno. A redução foi de aproximadamente 80%. Os dados são do Informativo Epidemiológico nº 25, divulgado nesta quarta-feira (21).

As regiões administrativas mais atingidas pela doença causada pelo mosquito Aedes aegypti são: Planaltina, Samambaia, São Sebastião, Gama, Ceilândia, Santa Maria, Taguatinga, Guará, Sobradinho II, Sobradinho, Recanto das Emas, Estrutural, Paranoá e Itapoã.

Juntas, elas concentraram 84% dos casos prováveis. O boletim aponta ainda que a maioria dos registros se deu na faixa etária de 20 a 49 anos de idade (59,35%).

No grupo até os 19 anos, foram computados 22,52% dos casos. Os de mais de 50 anos concentraram 18,13% das notificações.

Quantidade de mortes também diminuiu

De acordo com o levantamento, o número de mortos entre residentes do DF também diminuiu consideravelmente neste ano. Foram registrados nove casos graves e três óbitos em 2017. No mesmo período de 2016, ocorreram 39 notificações graves e 21 mortes.

As duas outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti também tiveram redução. A febre chikungunya apresentou 374 incidências prováveis no ano passado e 118 neste.

Os casos registrados no Distrito Federal (91) se concentraram nas regiões de Taguatinga, Santa Maria, Ceilândia, Guará e Samambaia.

Os casos prováveis da doença aguda causada pelo zika vírus somaram 74 em 2017 – 54 residem no DF e 20 no Entorno. Em 2016, no mesmo período, foram 380.


(*) Fonte Cibele Moreira  e Edição : Vanildo Mendes – Agência Brasília, Foto/Ilustração: Divulgação

Nenhum comentário: