Pesquise neste blog

quarta-feira, 5 de julho de 2017

ARTIGO / Colaboração por Ilcilene Fonseca

O Amor é Uma Arma Triunfante


Outro dia eu estava no Setor Militar Urbano de Brasília e, ao parar para alguns cliques fotográficos, não pude conter a minha vontade de realizar uma grande proeza: clicar um velho canhão do século XIX – não porque eu seja uma apreciadora incondicional de peças de artilharia – mas porque, mergulhada em minha subjetividade, percebi que, por trás da imponência daquele canhão todo adornado por tão delicadas flores, existe uma mensagem que edifica, e que nos convida a direcionar nossos olhos para os valores maiores da vida.
                
A velha peça de artilharia foi uma das armas do exército para atirar projéteis (quaisquer sólidos pesados que se movem no espaço) a grande distância; com intuitos maléficos. A imponência do velho canhão representa os perigos de um mundo vil que estão a nos espreitar por todos os lados. E a singeleza das flores nos fala acerca do amor e da esperança que, diante dos conflitos da vida, sempre lutam pra ficar.
                
“Be fun, be different, be you, because life is too short to be anything but be happy!” – Sahil Malik
                

Partindo do pressuposto de que o homem tem necessidade de proteção e a tendência à agressão, vemos que, ao longo da história, os seus esforços foram orientados para o desenvolvimento e fabricação de armas. Hoje, em virtude da acelerada evolução das indústrias bélicas, os exércitos modernos empregam armamentos de artilharia computadorizada para aumentar o poder de ataque ou defesa.
                
O canhão, ao longo da história da artilharia, tem evoluído bastante, contudo, foi superado pelos mais modernos sistemas de mísseis. O amor, muito mais do que sentimento efêmero, é um princípio de vida que jamais estará fora de moda. O amor não é um símbolo de fraqueza. Ao contrário, é uma arma insuperável e triunfante.

“Share your smile with the world. It’s a symbol of friendship and peace!” - Sahil Malik
                

Anos atrás, um jovem soldado do Corpo de Bombeiros de Sobradinho, Franklin Miranda, 33 anos, foi atacado por um Pit Bull enfurecido, próximo à casa onde mora, em Sobradinho II.
                
Os vizinhos solidários e destemidos ouviram os gritos de Franklin e o socorreram após matarem o cachorro. O jovem bombeiro declarou em entrevista ao jornal Correio Braziliense que, se não fosse o amor pelos seus filhos, não conseguiria enfrentar a fera. “Eu tirei forças de onde não tinha e pensei: ‘Tenho que viver para cuidar da minha família’”, disse ele.
                
Uma menina franzina e uma senhora caminhavam na rua e, naquele momento, o jovem militar era o único com força suficiente para enfrentar o cão. Ambos rolaram no chão e a luta durou 20 minutos. Mas o bravo herói, quase a sucumbir, marchou rumo ao triunfo, lutou com as armas do amor e da esperança e, embora ferido venceu a batalha contra o ódio e a imponência de um Pit Bull.
                
É maravilhoso saber que naquele dia obscuro o amor triunfou! Entretanto, dói saber que no mundo em que vivemos existe uma sociedade marcada pela insegurança e pelo ódio de seres humanos, Homo Sapiens que agem a exemplo de um Pit Bull enfurecido. Dói saber que presos em rebelião mataram tantas pessoas inocentes e até mesmo dois bombeiros queridos durante uma guerra fria em São Paulo.
                
Eu tiro meu chapéu para os bombeiros militares. Eles são bravos heróis, jardineiros de Deus que espalham pelos caminhos de espinhos o perfume do amor e da esperança. Cumprem na comunidade o papel de irmãos e amigos, pois estão sempre com uma mão estendida, resgatando seres humanos feridos, atropelados pelas vicissitudes da vida.
                
Ao passo em que muitos estão por aí, com intuitos maléficos, atirando as armas do ódio e do egoísmo a grande distância, cabe a nós, que ainda nos sensibilizamos diante de tanta hostilidade, empunhar a Bíblia com amor.


Enquanto muitos escolhem hoje ser hostis atirando uma palavra ferida contra alguém...
Escolha hoje ser dócil atirando uma flor.
Enquanto muitos escolhem hoje ser inflexíveis atirando o rancor...
Escolha hoje ser longânimo atirando o perdão.
Enquanto muitos escolhem ser egoístas atirando seus interesses próprios...
Escolha hoje ser altruísta atirando o amor desprendido.

https://www.youtube.com/watch?v=IXCSnYhwiwg – Austin Mahone – Shadow

https://www.youtube.com/watch?v=V0W-dirPVNA – Grupo Compasso Livre – Uma força chamada amor


(*) Ilcilene Fonseca

 (*) Autora: Ilcilene Fonseca  - colaboração para o Blog Jornal de Sobradinho -  Fotos: João Paulo Silva.

Nenhum comentário: