Pesquise neste blog

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

VEM AÍ...


A 1ª Caminhada Abraçando Gerações chama atenção para violência contra idosos

O evento conta o apoio do IMEB e visa destacar questões como o direito à saúde, ao lazer e à segurança das pessoas acima de 65 anos

Com o objetivo de sensibilizar a comunidade quanto às agressões sofridas por pessoas acima de 65 anos de idade, a Associação Comunitária de Saúde realizará, no dia 27 de agosto, das 8h às 11h, a 1ª Caminhada Abraçando Gerações, em Sobradinho. O evento é uma parceria com o IMEB (Imagens Médicas de Brasília) e visa ainda chamar atenção para os direitos à saúde, lazer e segurança das pessoas idosas.

A Associação Comunitária de Saúde, criada em 1988, presta assistência em educação continuada à saúde para a população, principalmente aos portadores de Diabetes e Hipertensão de Sobradinho e proximidades. Além disso, oferece cursos de trabalhos manuais gratuitos, aulas de Yoga, promove bazar permanente e possui uma vasta biblioteca à disposição do público.

Para que este trabalho seja possível, a ONG conta com voluntários e apoiadores, como o IMEB, que há 25 anos é parceiro social da entidade. “É fundamental que apoiemos entidades e ações que contribuam para a melhoria da saúde e da qualidade de vida das pessoas. Tal responsabilidade faz parte do nosso DNA enquanto instituição que preza pela humanização das relações, especialmente as que envolvem os idosos ”, ressalta Noêmia Barra, médica e diretora do IMEB.

Para participar da 1ª Caminhada Abraçando Gerações, os interessados devem contribuir com a doações de 1k de alimento não perecível, que serão revertidos a famílias carentes. As inscrições podem ser feitas por e-mail caminhada.acs@gmail.com ou através dos contatos (61) 3387-4446 / 99671-8922.

SERVIÇO:

Quando: 27 de agosto de 2017
Horário: Das 8h às 11h
Local: Associação Comunitária de Saúde – Quadra 10 Área reservada n0 3 Conjunto H – Sobradinho – DF - http://www.vivamelhor.org.br/acs/

Inscrição: doação de 1kg de alimento não perecível - (61) 3387-4446 / (61) 9-9671-8922 / Email: caminhada.acs@gmail.com


ARTE & CULTURA

Músicos e artistas gravam vídeo na Praça Teodoro Freire, onde será apresentado os evento do Projeto Arte na Praça
ARTE NA PRAÇA

Projeto artístico vai sacudir 
Sobradinho todo sábado

(*) José Edmar Gomes

Começa no próximo sábado, 26 de agosto, o maior projeto artístico-musical que Sobradinho já conheceu. O Arte na Praça apresentará shows musicais, palestras e oficinas de arte, inteiramente gratuitos, e será realizado todos os sábados, até março de 2018.

Maestro Alex Paz: População volta a ter acesso à produção artística e cultural de Sobradinho

Cada evento constará de uma feira de artesanato; quatro palestras; quatro oficinas; um show musical, com artistas do naipe de Gessé Lima, Luca Rodriguis, Amélia Pinheiro, Rose Maria, João Dutra, Célia Rabelo e outros do cenário musical de Sobradinho; feira de artesanato e de produtos orgânicos e praça de alimentação; totalizando mais de 250 atividades em oito meses.

O Arte na Praça será desenvolvido pela Artise (Associação dos Artistas de Sobradinho e Entorno), a partir de emenda do deputado Ricardo Vale, que deu origem a convênio com a Secretaria de Estado de Cultura, cujo Termo de Fomento Nº 06 está publicado no DODF de 29 de junho.

O deputado Ricardo Vale considera o Projeto um instrumento de integração comunitária e de fortalecimento da cultura regional. Ele se confessa feliz ao ver os artistas de Sobradinho valorizados, a cultura local fortalecida, além do benefício que o projeto trará aos comerciantes, estudantes e à comunidade.

“O Projeto Arte na Praça vai sacudir positivamente a Cidade e trazer a alegria de volta a Sobradinho”, comemora Ricardo Vale.

Luta - O maestro Alex Paz, ex-presidente da Artise e atual delegado regional de cultura, afirma que a Cidade e seus artistas transformaram Sobradinho na

Cidade-Arte do DF, título que vinha ficando distante devido à dificuldade de se conseguir verba para as atividades culturais.

Paz, no entanto, ressalta que a população agora volta a ter acesso à produção artística e cultural de Sobradinho, após o abnegado esforço do deputado Ricardo Vale, que travou uma luta sem descanso até ver a verba para a realização do Projeto Arte na Praça liberada.

“O Arte na Praça torna a arte local acessível a um público que quer engrandecê-la, defendê-la e multiplicá-la, de forma que a produção dos artistas locais possa se firmar como motor de transformação social, aliada à educação e à cultura”, afirma o maestro.

Autoestima - O presidente da Artise, o músico e compositor Angelo Macarius, por sua vez, acredita que, ao aproximar os artistas da juventude, através da música e de oficinas de arte, a entidade direciona a poderosa energia dos jovens - que, muitas vezes, é gasta em pichações, drogas e outras futilidades – para atitudes positivas que poderão construir uma nova realidade social.

Macarius destaca que o Projeto resgata os artistas, suas obras e, consequentemente, a sua autoestima, “que anda muito em baixa, devido à crise econômica e política que nos assola”.

O presidente da Artise observa que o Arte na Praça quer ir ao encontro dos adolescentes e estudantes da Cidade, justamente para sensibilizá-los na sua fase de afirmação social e busca profissional.

Angelo Macarius: Autoestima lá em cima


Da mesma forma, a participação dos professores, dos artistas e da comunidade, segundo Macarius, vai ampliar a cidadania e fortalecer os alicerces da história e da cultura de Sobradinho.

É para isto – segundo o presidente - que a Artise propõe a realização do Projeto Arte na Praça, oferecendo oficinas de música, artes plásticas, artes cênicas, artesanato, cinema, fotografia, criação de roteiro, construção de instrumentos musicais, DJ, dança, além de shows musicais.

Ricardo Vale considera o Projeto um instrumento de integração comunitária e de fortalecimento da cultura regional





(*) Fonte: José Edmar Gomes

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


PMDF RECUPERA MAIS UM VEÍCULO ROUBADO NA ÁREA DE SOBRADINHO

Nesta terça-feira (22), por volta de 19h, na Quadra 7, Conjunto D de Sobradinho, a PMDF recupera mais um veículo roubado abandonado em via pública.

Foi informado as viaturas do 13° Batalhão de Polícia Militar, que no Grande Colorado havia sido roubado, o veículo de cor branca. Durante patrulhamento o veículo foi visto pelos policiais militares o mesmo veículo cruzando a ponte entre Sobradinho I e II seguindo a direção da Quadra 7/9, mas não sendo possível interceptá-lo. Pouco tempo depois o veículo foi encontrado no conjunto D abandonado em via pública sem ocupantes. Foi informado ao proprietário, que se dirigiu juntamente com o veículo à delegacia para registro.


ANIMAL SILVESTRE É RESGATADO EM CONDOMÍNIO DE SOBRADINHO


(*) Carolina Lopes

Policiais militares resgataram um quati na manhã desta terça-feira (22), em uma quadra do condomínio Império dos Nobres, localizado em Sobradinho. O cachorro de um morador do local encontrou o animalzinho e o cercou. Quando o homem percebeu, solicitou apoio da Polícia Militar, que fez o resgate. O quati estava com um ferimento na cabeça e foi conduzido ao Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres).

CARRO ROUBADO É RECUPERADO EM SAMAMBAIA RECEPTADORES SÃO DETIDOS PELA PMDF


(*)Wallace Ximenes

Quatro suspeitos foram detidos por receptação, por volta das 20h desta segunda-feira (22), na Quadra 834, em Samambaia.

Policiais da Rotam faziam patrulhamento na área de Samambaia quando visualizaram quatro suspeitos em um automóvel VW Fox. Feita a abordagem, foi constatado que o veículo havia sido roubado no dia 18/07/2017 em Sobradinho.

O condutor informou que se uniram fizeram um rateio e pagaram R$600,00 pelo veículo na feirinha de Sobradinho.

Os quatro abordados detidos e encaminhados à DCA ll e 26°DP para serem tomadas as medidas cabíveis.



(*) Fonte: Comunicação Social PMDF

ECONOMIA/SOBRADINHO-DF

Prospera concede mais R$ 682 mil de microcrédito
Com novo lote, investimento em 2017 por meio do programa chega a R$ 5,4 milhões. Sílvia Saunders vai usar o recurso para comprar maquinário e material de costura


(*) LARISSA SARMENTO

O governo de Brasília liberou mais R$ 682.890,51 em microcrédito produtivo por meio do Prospera. O 12º lote de 2017 beneficia 58 microempreendedores, sendo 39 urbanos e 19 rurais.

Sílvia Saunders foi um dos contemplados com o 12º lote do Prospera em 2017, entregue nesta terça-feira (22). Ela vai usar o recurso para comprar maquinário e material de costura.

São R$ 306.555,90 em créditos urbanos e R$ 376.334,61 em rurais.
A entrega das cartas ocorreu na manhã desta terça-feira (22), no Setor Comercial Sul, no auditório da Secretaria Adjunta do Trabalho, da pasta do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.
Entre os contemplados estava a costureira Sílvia Saunders Costa, de 62 anos, que montou na DF-425, próximo a Sobradinho, uma loja de roupas femininas com foco em moda praia e fitness.
Esta é a quarta vez em que a costureira ganha o microcrédito. Com o recurso, pretende comprar material e trocar o maquinário. Ela costura há 20 anos, mas sempre fez toda a produção na varanda de casa, em Sobradinho.
Sílvia se emociona ao contar que já pensou em largar o ofício. “Estava me sentindo velha e incapaz.” O ânimo voltou quando, há quatro meses, surgiu a oportunidade de montar uma loja com a irmã Ana Paula Saunders, de 53 anos.
Com o microcrédito obtido hoje, Sílvia poderá adquirir mais material para dar conta da produção, que já aumentou. Antes ela só comprava quando aparecia uma cliente. Agora, as freguesas podem escolher o tecido na hora, e Sílvia faz biquínis, maiôs e calças para academia, entre outras peças. Trabalha também com fantasias infantis. Ela diz se sentir bem melhor. “Até rejuvenesci”, garante.
Com esse 12º lote, já são R$ 5.447.376,71 distribuídos em 2017 para 495 microempreendedores. De acordo com a Secretaria Adjunta do Trabalho, a meta é investir R$ 11 milhões neste ano.
Como solicitar o Prospera

Todas as agências do trabalhador do DF podem auxiliar com informações, mas os pedidos de crédito do Prospera são feitos nas unidades do Plano Piloto (Setor Comercial Sul, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3).
O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas.
No caso da área rural, os interessados devem procurar um dos postos da Emater-DF, que também atendem de segunda a sexta. O horário é diferente: das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas.
O programa de microcrédito produtivo orientado da Secretaria do Trabalho é desenvolvido com o apoio do Banco de Brasília (BRB) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF).
Duas cartilhas (uma para o público urbano e outra para o rural) auxiliam com mais informações sobre o benefício.
Pedidos de crédito do Prospera DF

Para a área urbana
Nas Agências do Trabalhador do Plano Piloto (SCS, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3)
De segunda a sexta-feira
Das 8 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas

Para a área rural
De segunda a sexta-feira
Das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas
(*) FONTE: LARISSA SARMENTO - EDIÇÃO: MARINA MERCANTE - FotoS: Dênio Simões/Agência Brasília

AGRICULTURA - REGIÃO NORTE DO DF


Expedição Safra-Brasília mapeia áreas produtoras de maracujá
Objetivo é fazer diagnóstico completo do cultivo. A propriedade de Maria dos Anjos Silva, no Núcleo Rural Pipiripau, em Planaltina, foi uma das primeiras visitadas
(*) MARYNA LACERDA

A terceira edição da Expedição Safra-Brasília fará uma análise completa da cultura do maracujá no Distrito Federal. A ideia é coletar informações, por meio de questionários, sobre as técnicas adotadas pelos agricultores e o conhecimento agregado da atividade.
Maria do Anjos Silva, produtora de maracujá no Núcleo Rural Pipiripau, recebeu visita da Expedição Safra-Brasília.

Para isso, equipes da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF), da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cerrados) percorrerão 180 hectares de cultivo, em 126 propriedades.
O levantamento começa no Núcleo Rural Pipiripau, em Planaltina, e segue pelas demais regiões administrativas. Os dados serão armazenados em tablets, o que permitirá a avaliação mais rápida do conteúdo mapeado.
O gerente do escritório local da Emater, Geraldo Magela Gontijo, espera que o estudo traga benefícios à atividade. “O diagnóstico vai nos mostrar a real situação da área cultivada. Saberemos também o nível de tecnologia adotada e como ela está impactando a renda do produtor”, explica.
"O diagnóstico vai mostrar a real situação da área cultivada. Saberemos o nível de tecnologia adotada e como ela está impactando a renda do produtor"

Geraldo Magela Gontijo, gerente do escritório da Emater em Planaltina

Por meio da expedição, será possível também elaborar políticas públicas direcionadas para a produção da fruta.
A propriedade de Maria dos Anjos Silva, de 50 anos, no Núcleo Rural Pipiripau, foi uma das primeiras a serem visitadas pelos extensionistas e pesquisadores do projeto.
Há dez anos, ela cultiva maracujá na área e conta as peculiaridades do cultivo. “É serviço de domingo a domingo. Só trabalha com maracujá quem gosta, porque ele exige muita dedicação”, explica.

Mapeamento das características da cultura

A expedição permite ainda obter mais elementos sobre o dia a dia dos agricultores. “As informações passadas pelos produtores vão nos permitir encontrar os gargalos da produção de maracujá”, explica Gontijo.
Com isso, será possível mapear práticas que favorecem a produtividade e a mão de obra envolvida na produção. “Aqui, estou me adequando para trabalhar sozinha. Não consigo manter funcionários para me ajudar”, explica Maria dos Anjos.
O maracujá aqui cultivado alcança produtividade muito superior à média nacional. Enquanto o DF produz 35 toneladas por hectare, o índice nacional é de 14 toneladas por hectare.
 
Isso se deve, principalmente, aos procedimentos adotados em Brasília, como irrigação localizada (gotejamento), polinização manual e plantio de híbridos produzidos pela Embrapa Cerrados.
"É serviço de domingo a domingo. Só trabalha com maracujá quem gosta, porque ele exige muita dedicação"
Maria dos Anjos Silva, produtora de maracujá no Núcleo Rural Pipiripau

No caso de Maria dos Anjos, a produtividade alcançada é de 40 toneladas por hectare ao ano. “Tinha os 2 hectares plantados, mas reduzi para 1,3 para conseguir cuidar sozinha da plantação”, explica.
Uma parte do que colhe ela destina à produção de polpa. “Vendo cerca de 70 quilos para meus clientes em Planaltina”, explica.
A polinização manual é feita pelo próprio produtor, geralmente à tarde. Isso porque a flor do maracujá abre apenas uma vez, no período das 14 às 18 horas. A polinização natural é feita pela abelha mamangava, cientificamente chamada de Bombus.
O inseto tem esse curto período do dia para polinizar a flor. Se isso não ocorrer, não há produção de fruto. “Com a polinização manual, alcança-se um índice de 68% de flores polinizadas”, compara Gontijo.


A produtividade elevada se deve também ao método de cultivo adensado, que estabelece o espaçamento de 2 ou 3 metros entre um pé da fruta e outro. “Com isso, conseguem-se de 2 mil a 2,5 mil plantas por hectare”, conta o gerente da Emater Pipiripau.
Os dados coletados pela expedição servirão de subsídio para a criação de um livro, a exemplo do que ocorreu com a Expedição Safra Brasília — Grãos, no ano passado. “É uma forma de darmos amplo acesso às informações que obtivermos”, conta Gontijo. A segunda edição do projeto foi a de cultivo protegido, no primeiro semestre deste ano.

(*) FONTE: MARYNA LACERDA - EDIÇÃO: VANNILDO MENDES- FotoS: Tony Winston/Agência Brasília

ACONTECENDO...

Conselho Regional de Cultura de Sobradinho II

Estamos na luta pela a definição da área destina a cultura em Sobradinho II, a área já foi definida pela a TERRACAP, próximo do restaurante comunitário, Entregamos ao administrador de Sobradinho II Charles Magalhães o oficio do conselho solicitando urgência na definição e demarcação da área.

Defendemos para essa área um centro cultural que comtemple todos os segmentos culturais, espaço para cinema, teatro, artes plásticas, musica, dança, literatura, shows, salas para oficinas de fotografia, grafite, aulas de instrumentos musicais, oficina de DJs, balé, e outros... etc... Outras cidades satélites têm seus espaços, então lutaremos pelo o nosso e queremos o melhor para Sobradinho II.


(*) Jarbas Chagas /Conselheiro, segmento comunidade.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

SAÚDE

José Mauro - Foto: Arquivo Pessoal
Morador de Sobradinho espera há oito meses por tratamento de câncer no fígado

Justiça Federal determinou, há uma semana, que a cirurgia de José Rodrigues fosse feita, mas nada aconteceu

(*) Juliana Cavalcante

A crise na saúde do Distrito Federal parece não ter fim. Hospitais enfrentam um momento delicado, que reflete no tratamento dos pacientes que chegam às portas das unidades de Brasília. Muitos deles, vivendo casos parecidos com o de José Mauro Rodrigues, 53 anos, que espera tratamento de um câncer no fígado há oito meses. Ele precisou recorrer à Justiça para conseguir uma cirurgia.

Na última segunda-feira (14/8), o juiz Francisco Alexandre Ribeiro, da 8ª Vara da Justiça Federal do DF, concedeu uma liminar favorável a ele, na qual determinou à União e ao DF que providenciem a realização imediata de uma cirurgia. O magistrado ainda estabeleceu que seja assegurado a José Mauro um leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para a recuperação. Em caso de descumprimento da decisão, os entes terão de pagar R$ 10 mil.

“A Constituição assegura aos necessitados o tratamento de sua saúde, não podendo o Estado eximir-se de tal obrigação, sob o pálio da teoria da “reserva do possível”, tendo em vista estar em jogo o incontrastável direito fundamental à vida”, registrou o juiz na sentença.

Morador de Sobradinho, José Mauro foi diagnosticado com câncer há oito meses e deu início ao tratamento no Hospital Universitário de Brasília (HUB). No entanto, ele não poderia ser operado lá por falta de vaga na UTI.

Na ação em que pediu a cirurgia, ele apresentou um relatório médico atestando a gravidade da situação. De acordo com o documento, há possibilidade de disseminação da doença, com risco de morte.

Arquivo pessoal

O relatório apresentado ao juízo informa que o paciente vem sendo acompanhado há meses pela Unidade de Cirurgia Geral do HUB. Ele estaria com dores, náuseas, hiporexia, tumor com aumento progressivo, além de ter perdido 10 quilos durante o período.

Ao analisar o caso, o juiz Francisco Alexandre Ribeiro concluiu que há perigo na demora em se realizar a operação, “situação que evidentemente deve ser acautelada por este juízo”.

Espera prolongada

Conseguir um tratamento adequado parece tarefa hercúlea, segundo a filha de José Mauro. Thais de Oliveira Rodrigues, que acompanha o pai no hospital, diz que, mesmo com a decisão, a cirurgia continua a ser negada. “Ontem, para ter acesso ao hospital, foi um sacrifício. Trouxemos meu pai pelos Bombeiros, porque estava muito mal. Não conseguia nem andar”, contou à reportagem.

“Minha maior revolta é saber que já faz oito meses que ele descobriu, que faz o tratamento, e nunca tomou qualquer medicamento, nunca foi conduzido a nenhuma sessão de quimioterapia. Sempre pediam para esperar, esperar, esperar. Aí eu me pergunto, esperar o quê? Para morrer?”

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde afirmou que “tem se esforçado para suprir déficits de recursos humanos a fim de possibilitar a reabertura de leitos de internação na rede”. Segundo a pasta, “além do déficit de recursos humanos, alguns leitos estão bloqueados para a manutenção de equipamentos necessários para o funcionamento”.

O HUB não é administrado pela pasta, mas os leitos ocupados pelos pacientes encaminhados pela secretaria seguem a lista de regulação do GDF.


(*)Fonte:  Juliana Cavalcante/ Metrópoles

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

REGULARIZAÇÃO EM SUAS MÃOS

Urbanizadora Paranoazinho cobra valores abaixo do mercado
Moradores dos parcelamentos da antiga Fazenda Paranoazinho pagam até 30% do valor
A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) definiu no mês de junho e atualizou em agosto, o valor médio dos lotes do condomínio Ville de Montagne, no Lago Sul, para a venda direta: entre R$ 195 mil e R$ 199 mil, dependendo da localização no condomínio. Para determinar este valor o governo utilizou parâmetros de mercado e oferece 25% para quem quitar o pagamento à vista e os parcelamentos poderão ser feitos em até 240 meses.
No valor dos lotes apresentado foi deduzido os investimentos brutos em infraestrutura custeados pelos moradores e também o valor agregado das benfeitorias. A Terracap ainda vai negociar com a comunidade e haverá uma nova avaliação da infraestrutura do parcelamento. Mas o preço final não terá variações expressivas, segundo a agência.
Com essa ação a Terracap demonstra a preocupação da agência em tirar da irregularidade cerca de 30% da população do Distrito Federal. O condomínio Ville de Montagne foi o primeiro, mas a expectativa da agência é que os terrenos da Etapa 2 do Jardim Botânico e do Trecho 3 de Vicente Pires também tenham seus valores divulgados e passem pelo processo de venda direta em três meses. Ao todo, serão regularizados 1.042 lotes, na primeira região e 4.1 mil, na segunda.
Os moradores dos parcelamentos existentes na área da antiga Fazenda Paranoazinho, condomínios do Grande Colorado, Boa Vista e Contagem, já estão passando pelo processo de regularização. A Urbanizadora Paranoazinho, proprietária dos lotes da região, oferece diversos descontos e subsidia o preço, cobrando até 30% do valor. O objetivo da UPSA é recuperar a plena legalidade no uso do solo, de forma a valorizar toda a região. Essa estratégia permite à UPSA praticar os valores mais baratos de todo o Distrito Federal no processo.  “Em nenhuma outra área é possível receber a escritura pelos valores praticados por nós”, afirma o diretor-presidente da Urbanizadora Paranoazinho, Ricardo Birmann.
A regularização pode trazer diversos benefícios para os moradores. O imóvel que avança na regularização fundiária a partir da escritura pública tem, de acordo com avaliações, um acréscimo de 30% no valor de venda. Além disso cabe ressaltar que os imóveis irregulares, apenas com a posse da terra, tem a venda proibida via corretores, segundo o CRECI. “O imóvel que sai da situação irregular passa por uma transformação muito grande, com bom diferencial. Não só em termos de documentação, porque adquire credibilidade, com o registro no cartório e a escritura. Isso tudo influencia na negociação final, feita somente em imóveis desembaraçados e livres de qualquer problema”, ressalta Hermes Rodrigues de Alcântara, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 8ª Região (CRECI-DF).
Com a UPSA ninguém fica de fora da negociação
O contrato da Urbanizadora Paranoazinho não exclui pessoas que possuem outros imóveis residenciais no Distrito Federal, além disso a empresa trabalha com regime de excepcionalidade para casos como dificuldade financeiras, doenças graves na família, etc. “Pessoas em situação de vulnerabilidade são as que mais precisam de legalização e a UPSA quer garantir que elas não sejam excluídas do processo”, comenta Birmann.

Nenhum valor é devido à UPSA enquanto o lote não possuir matrícula regularizada e individualizada e o morador não assinar a respectiva escritura pública de aquisição na propriedade. “Esse procedimento visa dar tranquilidade e segurança jurídica”, diz o direitor-presidente. Os moradores podem ainda financiar o pagamento em até dez anos a partir da escritura diretamente com a UPSA. “Mas as famílias estão livres para buscar outras fontes de crédito no mercado.” Se o financiamento for a opção, a garantia da transição é o próprio lote, que fica alienado à Urbanizadora. Moradores interessados podem assinar um pré-acordo, em que a UPSA se compromete a manter o valor negociado até a data da escritura.
Fonte: santaféideias

AGENDA da ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SOBRADINHO I


ACONTECEU NA SEMANA

️Começamos nossa reunião semanal com a diretoria e definimos algumas prioridades e metas da semana. 📝📌

️ Nos encontramos em Planaltina com o Administrador, Salgueiro, e com os moradores do Arrozal e Nova Petrópolis para tratarmos sobre a definição da poligonal dessas áreas. 📍

️Fizemos uma visita as estradas do Pólo de Cinema e acionamos a equipe de rua para fazer a patrolagem no local. 🚜

️Estivemos na DF-440 para implementação de um quebra - molas em um local de grande fluxo de veículos e pessoas. 🚧🚗🛵

️Estivemos também na Rodoviária de Sobradinho acompanhados de um grupo de taxistas da cidade, para ouvir as demandas e carências da categoria. 🚕

️Temos a consciência que nossa cidade precisa de mais parques para nossas crianças, por isso, demos início à construção de um parquinho na quadra 15. 🎡

️E a reforma do próprio da quadra 15 também continua. 🚧

️Fomos aos Condomínios Uberaba e Dignéia para dar uma ótima notícia aos moradores: o projeto de iluminação dessas áreas já está aprovado e prestes a ser executado. 💡

️Estivemos na rádio na 98.1 📣🎙respondendo perguntas da comunidade.

️Participamos de um Workshop incrível sobre Gestão e Liderança com o Secretário das Cidades, Marcos Dantas. 📚✏

️Participamos de uma deliciosa feijoada na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE 🍲









Fonte: Bruna Nascimento/Chefe da Assessoria de Comunicação

SOBRADINHO/ AGRICULTURA


 Emater-DF oferece aulas de produção de alimentos para agricultura familiar

Empresa pública tem 17 cursos gratuitos abertos para o público por ela assistido. A moradora de Sobradinho Carla Burin aprendeu a fazer produtos sem glúten e sem lactose

(*) LARISSA SARMENTO

Em uma chácara a 17 quilômetros do centro de Brasília, Carla Burin, de 40 anos, e sua família trabalham com a mão na massa. Ela atuou por muitos anos como servidora pública, mas resolveu se dedicar à produção familiar.
A moradora de Sobradinho Carla Burin aprendeu a fazer produtos sem glúten e sem lactose. 
A agricultora e os pais dela — João, de 77 anos, e Bernardina, de 68 anos — comandam a Burin Alimentos Artesanais, que existe há três anos na área rural de Sobradinho.
Porém, desde muito antes, há mais de 20 anos, eles recebem o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) para o plantio e o cultivo de alimentos.
Depois de abrir a agroindústria por aconselhamento da empresa pública, Carla resolveu frequentar as aulas de processamento de alimentos oferecidos gratuitamente para agricultores familiares no Centro de Capacitação Tecnológica e Desenvolvimento Rural da Emater-DF.
Ela fez cursos de panificação e de geleias, mas se encontrou mesmo no de produtos diferenciados sem glúten e sem lactose. Com esse conhecimento, ela passou a produzir o pão de batata-doce, uma substituição ao tradicional pão de queijo.
A versão de Carla é vegana — ou seja, sem uso de produtos de origem animal — e sai do forno três vezes por semana.
“É uma tendência do mercado, não só para veganos. Muita gente procura esse tipo de alimento, como atletas e intolerantes à lactose”, diz a agricultora.
A renda da família dobrou com a venda do novo produto, que hoje é o principal da empresa. Eles atendem restaurantes, mercados e feiras.

       Emater-DF oferece aulas de produção de alimentos para agricultura familiar


Valorização da agricultura familiar do DF
A gerente do centro de capacitação da Emater-DF, Sandra Cristina de Sousa, destaca que o objetivo das capacitações é promover a segurança alimentar e nutricional para quem consome e aumentar a renda de quem vende.
“Quando encontra produtos artesanais, da agricultura familiar, o consumidor dá mais valor, mais do que ao industrializado.”

Há 17 cursos disponíveis, como laticínios, carnes, panificados, vegetais e hortaliças, produtos light, diet, sem lactose e sem glúten, geleias caseiras, biscoitos artesanais, molhos, temperos, alimentação saudável e aproveitamento integral dos alimentos.
Podem participar das aulas agricultores familiares assistidos pela Emater-DF. Até o fim do ano, serão abertas vagas também para o público urbano.
Os agricultores que tiverem interesse em participar devem procurar o escritório da Emater mais próximo à região administrativa em que fica a propriedade. São 18 unidades espalhadas por todo o Distrito Federal.
No site da Emater, é possível encontrar todos os cursos ofertados em agosto.
FONTE: LARISSA SARMENTO, EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA, FotoS: Tony Winston/Agência Brasília

domingo, 20 de agosto de 2017

CONCURSO PÚBLICO CLDF


Edital do concurso da CLDF sai segunda; veja aqui

Passados mais de dez anos da última seleção, a Câmara Legislativa do Distrito Federal realiza concurso público para contratação de servidores. Os aguardados editais para os cargos de Consultor Legislativo, Consultor Técnico-Legislativo e Técnico Legislativo serão publicados nesta segunda-feira (21) e poderão ser conferidos aqui. Já os editais para Procurador (uma vaga) e para as categorias de Agente de Polícia Legislativa (três vagas) e Inspetor de Polícia (uma vaga) serão divulgados, provavelmente, na terça-feira (22).

Serão oferecidas 86 vagas, além da previsão de cadastro de reserva. O concurso público, conforme anunciado, será organizado pela Fundação Carlos Chagas (FCC), sem gerar gastos para a Casa. As provas vão acontecer em, no mínimo, 90 dias após a publicação dos editais.


*Coordenadoria de Comunicação Social-CLDF

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

PMDF PROCURA HOMEM ARMADO E ACABA ACHANDO 35 PÉS DE MACONHA E ESTUFA

(*) Cícero Feitosa

Policiais militares do Grupo Tático Operacional 33 (Gtop 33) apreenderam na noite de ontem (19) vários pés de maconha que estavam sendo cultivados em uma estufa na área de Sobradinho.

Após denúncia afirmando que havia um homem armado na comunidade Queima Lençol, na Fercal em Sobradinho, o Grupo Tático foi ao local e após busca não encontrou o suspeito. Porém foram encontradas próximo a uma das residências várias mudas e maconha e em uma estufa atrás da mesma casa foram encontradas mais 35 mudas da mesma droga. Um homem que estava no local e que assumiu o cultivo do entorpecente foi preso e autuado por tráfico de drogas.


(*) Cícero Feitosa/PMDF

sábado, 19 de agosto de 2017

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO



PMDF RECUPERA COROLLA ROUBADO EM 

SOBRADINHO, NA BR 020 PRÓXIMO A EMBRAPA

(*) Romeu Pires

Por volta das 15h50 deste sábado (19/08), policiais do 14º Batalhão de Sobradinho recuperaram um veículo Toyota Corolla, que tinha sido roubado em Sobradinho.

A equipe do Gtop 34 durante patrulhamento recebeu informação do Águia 34 acerca de que o veículo Corolla, de cor Bege, produto de roubo na data de ontem na área de Sobradinho, estava transitando na área da Cachoeira da Embrapa, com dois elementos em seu interior.

Os militares lograram êxito em avistar o referido veículo, que empreendeu em fuga, descendo na contramão da via na BR 020 colocando várias vidas em risco, sendo interceptado alguns km depois. O único ocupante do veículo tentou fugir, saindo correndo em direção à área de cerrado, sendo alcançado e detido pelas equipes.

Feita a revista pessoal, nada de ilícito foi encontrado. Na casa do detido foi encontrado um simulacro de pistola utilizado no roubo, sendo encaminhado à 31 DP para registro.

TRAFICANTE JOGA 1KG DE MACONHA NO TELHADO E A “CASA CAI” PARA ELE

(*) Fabio Evangelista


Um homem foi preso pelos policiais militares da Rotam com 5kg de maconha na AR 07 de Sobradinho II. A equipe da PMDF recebeu a denúncia de tráfico no local, por volta das 20h desta sexta-feira (18). O serviço de inteligência monitorou o veículo com o suspeito e confirmou o comércio de drogas.

Ao perceber a presença dos policiais da Rotam, o suspeito abandonou o carro, correu para uma casa no conjunto 04 e arremessou 1kg de maconha e uma balança de precisão para o telhado. Ele foi detido pelos policiais que o seguiram tentando subir no teto da residência.

Dentro do veículo, foram encontrados mais 4kg de maconha e no interior da casa os policiais localizaram uma porção de cocaína e R$ 300,00 em espécie.

O suspeito, de 34 anos, foi conduzido para a 13ª DP para o registro do flagrante de tráfico de drogas. Ele tinha duas passagens pelo mesmo crime e sofrido uma tentativa de homicídio em 2016. De acordo com o detido, ele sofreu 16 disparos de arma de fogo vindo de desafetos de outra quadra.

BATALHÃO AMBIENTAL APREENDE 20 PÁSSAROS SILVESTRES EM RESIDÊNCIA DE SOBRADINHO I

(*) Wallace Ximenes


Um homem, de 63 anos, foi detido por criar em cativeiro 20 pássaros silvestres, por volta das 15h desta quinta-feira (17), na quadra 16, conjunto R em Sobradinho I. Com ele foram apreendidos 18 canários-da-terra, um periquito e um papa-capim.

A equipe do Batalhão Ambiental recebeu uma denúncia anônima pela central de controle sobre a criação dos pássaros em uma residência. Os policiais foram até o local e, após autorização do morador, foi verificado que se tratava de criação sem a devida permissão. Além das aves, foram apreendidas na residência nove gaiolas.

O homem foi detido e conduzido à Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente e Ordem Urbanística (DEMA), onde assinou um termo circunstanciado e vai responder pelo artigo 29 da Lei nº 9.605. Em seguida, ele foi liberado.

Os pássaros ficaram na DEMA e posteriormente serão encaminhados ao CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) para avaliação e tratamento adequado.

DOIS ASSALTANTES SÃO PRESOS APÓS ASSALTO À DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS EM SOBRADINHO II

(*) Wallace Ximenes


Dois homens foram presos após roubo à distribuidora de bebidas, por volta das 12h45 desta quinta-feira (17), na Avenida Central de Sobradinho II. Eles levaram R$ 257,00 em dinheiro, além de cinco carteiras de cigarro.

Os policiais militares faziam patrulhamento e foram acionados por populares. Rapidamente a equipe conseguiu interceptar os assaltantes que estavam em duas bicicletas. Na revista pessoal, foi encontrado com um deles um revólver calibre 32 com seis munições intactas e o dinheiro levado.

A vítima, de 20 anos, fez o reconhecimento dos autores, que foram conduzidos em seguida à Central de Flagrantes da 13ª DP, de Sobradinho I. Ambos já tinham passagens pela polícia.


Fonte : PMDF