Pesquise neste blog

Blog do Emicles - CLDF - Institucional - Novo Normal

sábado, 19 de setembro de 2020

MEIO AMBIENTE

 Parque dos Jequitibás passa por reformas

 Localizado em Sobradinho, espaço ecológico recebe intervenções como pintura, conserto de banheiros e remoção de formigueiros 


O Parque Ecológico Jequitibás, em Sobradinho, recebeu foi a 12ª unidade de conservação a receber o mutirão de melhorias, em ações que são coordenadas pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e pelo Instituto Brasília Ambiental.

Localizado nas quadras 10/11 da Avenida do Contorno, o parque ecológico recebe intervenções como pintura, conserto de banheiros, retirada de restos de poda de árvores caídas, troca das lixeiras antigas por contêineres fechados, pintura da quadra de esporte, construção de estacionamento e pista de skate, portão de entrada, reforma da ponte de madeira, remoção de formigueiros e finalização do parquinho infantil.

O parque ocupa uma área de 11 hectares que abriga mata ripária, predominantemente conservada, por onde flui o Ribeirão de Sobradinho. O parque possui árvores de grande porte – como a que o nomeia, o jequitibá – e outras espécies típicas, o que compõe um cenário de beleza aos visitantes.

O espaço ecológico também oferece brinquedos para crianças, pistas de skate, trilhas ecológicas e espaços que servem para apresentações culturais de talentos da comunidade em geral. Com entrada franca, o parque fica aberto diariamente, das 6h às 18h.

Com informações da Agência Brasília

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

SEGURANÇA / REGIÃO NORTE DO DF / ACONTECENDO...

                        OPERAÇÃO PRIORIDADE 2 

A Polícia Militar do Distrito Federal deflagrou nesta quinta-feira (17), em frente à Administração Regional de Sobradinho II, a OPERAÇÃO  PRIORIDADE 2  que visa intensificar o patrulhamento preventivo em pontos estratégicos nas regiões de Sobradinho I, Sobradinho II e Fercal. A ação contou com a participação do Coronel do 13º Batalhão da Polícia Militar, Genilson Alves o Administrador Regional de Sobradinho II, Osmar Felício, também o Administrador Regional de Sobradinho I - Coronel Nascimento e o da Fercal - Fernando Gustavo,  bem como demais autoridades.








CLDF

 Câmara Legislativa derruba veto ao projeto que cria o serviço de coleta itinerante de sangue no DF 

A proposta do deputado João Cardoso tem objetivo de aumentar os estoques de sangue do Hemocentro de Brasília, além de incentivar ainda mais a cultura da doação de sangue e medula óssea no Distrito Federal.

 

Buscando assegurar regularidade ao estoque de sangue da Fundação Hemocentro de Brasília, a Câmara Legislativa rejeitou na tarde desta quinta-feira, 17/09, o veto do Governador ao Projeto de Lei nº 436/2019, de autoria do deputado João Cardoso (Avante), que cria o serviço de coleta itinerante de sangue no Distrito Federal, o qual deverá funcionar com agenda de coleta previamente programada, podendo atender a chamadas oriundas de residências, empresas públicas ou privadas, órgãos públicos, além de outras localidades em que for solicitado.

 

O serviço contará com veículos utilitários devidamente adaptados, contendo os equipamentos necessários, além de profissionais capacitados para efetuar a coleta. O serviço será implantado e gerido pelo Hemocentro, que, para o seu bom funcionamento, deverá disponibilizar números telefônicos e profissionais qualificados para atendimento exclusivo às chamadas oriundas de doadores, além de endereço na rede mundial de computadores e contatos nas redes sociais.

 

Por meio do serviço será realizado o cadastramento de doadores de órgãos, tecidos e medula óssea, cuja finalidade é atender e suprir as necessidades da população do Distrito Federal e Região do Entorno.

 

O autor da proposta afirma que não vislumbra apenas o momento crítico gerado pelo novo Coronavírus, mas o futuro, pós pandemia, tendo em vista as dificuldades encontrada pelo Hemocentro para manter um estoque de sangue que possibilite o atendimento adequado das pessoas que necessitam do insumo. "Volta e meia nos deparamos com notícias dando conta do baixo estoque de sangue na Fundação Hemocentro de Brasília, fato que leva os meios de comunicação a convidar os possíveis doadores a comparecerem aos locais de coleta para fazer a doação, pois, como bem sabemos, o sangue é um produto extremamente importante para a garantia da vida de muitas pessoas hospitalizadas nos estabelecimentos de saúde do Distrito Federal", acrescenta o Parlamentar.

 

A coleta itinerante irá até o doador com toda a estrutura necessária, uma vez que, segundo Cardoso, as pessoas nem sempre dispõem de tempo livre para doar sangue, tendo em vista seus compromissos profissionais, escolares ou mesmo domésticos, fato que nos levou a propor esta alternativa, a qual proporciona um meio mais adequado para se fazer a coleta.

 

O estoque do Hemocentro de Brasília abastece todos os hospitais públicos do DF e algumas unidades conveniadas, como o Hospital das Forças Armadas (HFA), o Hospital Universitário de Brasília (HUB), o Hospital Sarah Kubitschek e o Instituto de Cardiologia (ICDF). O monitoramento das reservas é feito diariamente. No último dia 31 de agosto, o estoque do hemocentro registrava baixa em todos os tipos sanguíneos, principalmente dos tipos A+, A-, B+ e B-.

 

O projeto será agora promulgado e transformado em lei.

 

 

Fonte:Ana Helena Araújo

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

CIDADE SERRANA

 SOBRADINHO É PRESENTEADO, PELO GDF, COM UM NOVO COMPACTADOR DE MASSA ASFÁLTICA

A NOVACAP fez a entrega oficial ao Administrador Regional de Sobradinho, Coronel Nascimento, de um novo compactador de massa asfáltica, o conhecido "rolinho". O ato ocorreu na tarde desta quinta-feira (17).

De acordo com o Coronel Nascimento, a nova máquina chega como um reforço e deve entrar em operação já na próxima segunda-feira (21) para ampliar as operações tapa-buracos.

"Temos um compactador antigo, com a vida útil comprometida, e já apresentando alguns problemas que limitam os trabalhos. Com esta nova máquina, quase que duplicaremos a nossa capacidade de atender às demandas da cidade no que diz respeito a este serviço", disse o Administrador.

O Coronel Nascimento fez questão de agradecer o empenho do GDF - por meio da NOVACAP, da Secretaria de Governo e da Secretaria de Cidades - para aquisição do novo compactador.

"Agradecemos também o apoio do deputado Cláudio Abrantes (PDT) que fez gestão junto a esses órgãos para que a cidade de Sobradinho fosse contemplada", enfatizou o Coronel Nascimento.






SAÚDE / DF

 Renovação de acordo mantém servidores da saúde no DF

 

Após trabalho de Claudio Abrantes, Termo de Cooperação entre Secretaria de Saúde do DF e Ministério da Saúde garante atuação de quase 700 servidores no DF por mais três anos

 

A revalidação de um Termo de Cooperação entre a Secretaria de Saúde do DF e o Ministério da Saúde vai garantir a atuação de quase 700 servidores da área no DF por mais três anos. A assinatura do novo Termo de Cooperação ocorreu na tarde da última quarta-feira (16).

 

O Termo de Cooperação anterior tinha validade até o próximo dia 27. Agora, com o documento firmado, 681 servidores do Ministério da Saúde que atuam no combate à dengue ou são lotados em hospitais e postos de saúde, mais 12 servidores da SES lotados na pasta federal, poderão permanecer onde estão.

 

“Trabalhamos pela assinatura do novo termo de forma intensa, ao lado tanto do Executivo distrital quanto do Executivo federal. Fizemos várias reuniões com as duas pastas, levamos a elas a importância de manter esses servidores, e felizmente fomos ouvidos nesta demanda”, comemorou Claudio Abrantes.

 

O convênio foi assinado pelo Secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, e pelo coordenador geral de Pessoas do Ministério, Ademir Lapa. “Agradeço ao secretário Osnei e ao coordenador Lapa por atenderem aos nossos pedidos, por entenderem a importância do prosseguimento desse acordo”, disse Claudio Abrantes. O novo termo tem validade por mais 36 meses.


Foto de reunião com os servidores no ano passado. Por isso, estão sem máscara!

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

CASO DE POLÍCIA

 35ªDP/PCDF PRENDE EM FLAGRANTE UM TRAFICANTE COM GRANDE QUANTIDADE DE DROGAS E UMA ESTUFA COMPLETA PARA PRODUÇÃO DE MACONHA. 


A SRD/35ªDP/PCDF, após receber denúncias de populares prendeu em flagrante um traficante que comandava a distribuição de droga na região de Sobradinho ll. O traficante se fingia de entregador de alimentos por aplicativo para fazer um delivery de droga, principalmente de maconha.

 

O traficante utilizava uma motocicleta e uma caixa térmica personalizada do Ifood pra se disfarçar, inclusive por ocasião da prisão fora encontrado no interior da caixa de entregas, 1Kg de maconha em uma embalagem de hambúrguer. 


No morro do Sansão, na casa do traficante fora encontrado uma estufa completa, com vasos, adubação, ventilação, iluminação e diversas mudas de maconha plantadas. 


Com o traficante foram apreendidos diversos artefatos voltados à plantação, preparação e embalagem da droga para venda. 

O traficante de 24 anos utilizava uma motocicleta para o delivery de drogas e com ele fora apreendido aproximadamente 7kg de maconha, aproximadamente 100G de cocaína pura, bicarbonato de sódio, 3 balanças de precisão, embalagens e máquina para venda em cartão. 


O preso já contava com passagens por roubos e furtos.

SOBRADINHO II / VEM AÍ...

 

CASO DE POLICIA

 PM prende quatro homens que transportavam arsenal e carne de caça ilegalmente 

Os policiais do Grupo Tático Operacional Rodoviário (TOR) prenderam quatro homens que transportavam, em uma camionete, sete armas de fogo, cerca de 300kg de carne de exótica e um filhote de javali vivo. Os homens têm entre 35 e 45 anos e são de Pernambuco.

 

O grupo foi detido em Planaltina, por volta das 20h, desta terça-feira (15). Os homens transportavam quatro espingardas calibre 12, uma pistola, um revólver e um rifle. O arsenal era composto ainda de 130 projetis de espingarda, 76 de pistola, 28 de revólver e 214 de rifle.

 

De acordo com a equipe do TOR, os homens estavam no Goiás realizando caçadas na região e passaram pelo DF no momento da abordagem. “Eles não tinham autorização do Ibama para caçar, nem permissão do dono da fazenda”, explica.

 

O grupo disse que abateu 15 javalis. Eles foram conduzidos à 16ª Delegacia de Polícia, em Planaltina. Os homens vão responder por porte ilegal de arma de fogo e por crime ambiental.

 

Por Alan Borges/PMDF

sábado, 12 de setembro de 2020

EM CIRCULAÇÃO...


EXTRA, EXTRA!

Já nas bancas e revistarias de Sobradinho I, II, Grande Colorado, Condomínios Horizontais e órgãos públicos a edição de número 377 referente 1ª Quinzena de SETEMBRO de 2020.


Essa é uma cortesia dos apoiadores, patrocinadores e do editor deste veículo de comunicação. 







Essa é uma cortesia dos apoiadores, patrocinadores e do editor deste veículo de comunicação.

Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

GERAL

Povos tradicionais, os quilombolas retiram seu sustento do Cerrado

 Nesta sexta-feira comemora-se o Dia Nacional do Cerrado

Para marcar o Dia Nacional do Cerrado, comemorado hoje (11), a Agência Brasil publica a última reportagem em homenagem ao bioma. O tema da quarta matéria são os povos e comunidades tradicionais que vivem no Cerrado.

 

Muito se fala em preservar a flora e a fauna do Cerrado, mas pouco se fala dos povos e comunidades tradicionais que vivem desse bioma, que sobrevivem dos recursos naturais como indígenas, quilombolas, geraizeiros, ribeirinhos, babaçueiras e vazanteiros. Todos detêm conhecimento tradicional da biodiversidade e fazem parte do patrimônio histórico e cultural do Brasil.

Apresentação cultural do povo quilombola Kalunga, durante Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, na Vila de São Jorge, município de Alto Paraíso de Goiás - Marcello Casal JrAgência Brasil

O governo brasileiro, no entanto, ainda não tem o mapeamento dos povos tradicionais. Não se sabe ao certo, quantos são e onde vivem exatamente.

Em uma iniciativa inédita no país e com o apoio de diversas entidades governamentais e não governamentais, o Ministério Público Federal desenvolve, em parceria com o Conselho Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT), uma plataforma digital para mapear e disponibilizar amplo acervo de dados georreferenciados de áreas ocupadas tradicionalmente por esses povos e comunidades.

O Cerrado gera renda para as comunidades tradicionais. Esses povos têm uma relação de pertencimento de seu território com suas raízes, com a família, modos de vida e sua identidade. O conhecimento popular sobre a biodiversidade do Cerrado é vivenciado no seu dia a dia dessas comunidades.

O agroextrativismo de produtos da flora, fauna, frutas, sementes, fibras, cascas e mel fortalece a economia dessas comunidades e contribuem para a segurança alimentar além de expressar a cultura e a identidade de cada povo.

Comunidade de descendentes de escravos Kalunga - Marcello Casal Jr/Agência Brasil

 

Cerrado bom é Cerrado vivo

Maria do Socorro Lima, quebradeira de coco no Tocantins, é presidente da Rede Cerrado. Durante a Roda de Conversa Elos do Cerrado, evento virtual promovido pelo Instituto Cerrados, ela contou que a na sua comunidade foi implantada a prática de agroecologia para evitar queimadas, e preservar as águas onde elas estão e a ecossistema da região.

“Cerrado é bom é Cerrado vivo, é Cerrado de Pé. Eu vivo do babaçu. Eu vivo dos remédios que vem da natureza, da terra, do Cerrado que a gente coleta pra fazer nossos medicamentos. É o Cerrado que me dá a condição de sobrevivência. Lutamos no combate ao desmatamento, nossas comunidades cuidam do Cerrado.”

A quebradeira de coco convida o povo urbano a conhecer o modo de vida dos povos tradicionais para sensibilizá-los e despertar a importância da preservação do bioma.

“Dinheiro e poder nós não temos, mas somos guardiões do Cerrado então temos que lutar pela preservação. Nosso valor é vida e isso não tem preço. E vida depende de água pra beber, da floresta viva, dos animais vivos. É importante conhecer o Cerrado de pé. É preciso unir todo povo brasileiro para preservar o bioma, convidar o povo urbano para conhecer o nosso modo de vida, nossa água limpa, nosso alimento sem agrotóxico, nosso remédio natural.”

O bioma

Cachoeira do Abismo, vista do Mirante da Janelo, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Segundo o Mapa Biomas e Sistema Costeiro-Marinho do Brasil, elaborado pelo Instituo Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE), o Cerrado é o único bioma presente nas cinco regiões do país. Ele ocupa 23% do território nacional, mas apenas 8% está protegido.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o Cerrado é considerado um dos hotspots mundiais de biodiversidade. Isso significa que é uma área rica em espécies endêmicas, mas que sofre com alto grau de ameaça na perda de habitat.

De todos os biomas presentes no Brasil, apenas o Cerrado e a Caatinga não são considerados Patrimônio Nacional. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 504 tramita no Congresso Nacional desde 2010 para garantir que os dois biomas se juntem à Amazônia, Mata Atlântica, Pantanal, Zona Costeira e Serra do Mar garantidos no Artigo 255 da Constituição brasileira.

Incluir o Cerrado e a Caatinga como Patrimônio Nacional é importante porque assegura – na forma na lei - a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso de recursos naturais.

Veja na TV Brasil

Confira o programa Caminhos da Reportagem | Um gole de cerrado, exibido em 2017, quando o Distrito Federal passou por uma crise hídrica.

 

Por Liliane Farias - Repórter da Agência Brasil – Brasília, Edição: Denise Griesinger

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

ACONTECENDO...

 Escolas do DF terão horta com captação de água da chuva

Projeto da Emater-DF vai proporcionar conhecimento a estudantes e professores sobre práticas de plantio e sustentabilidade

Projeto de captação inclui calhas, caixa d’água de 10 mil litros, bomba e kit irrigação | Foto: Emater-DF

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) já  instalou 30 equipamentos de captação de água das chuvas e de irrigação de hortas em escolas espalhadas por todo o Distrito Federal. O projeto de captação inclui calhas, caixa d’água de 10 mil litros, bomba e um kit irrigação. Na segunda etapa serão entregues insumos como sementes e adubos para finalizações das hortas. O objetivo é auxiliar os alunos nas tarefas de educação ambiental e sustentabilidade.

O projeto vai proporcionar conhecimento a estudantes e professores sobre práticas de plantio e sustentabilidade. A presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, e o deputado distrital Leandro Grass, foram conferir, nesta quarta-feira (9), a instalação em duas escolas na Fercal, núcleo rural de Sobradinho.

“Temos 700 alunos. A ideia é trabalhar com as turmas e dividir entre as que vão adubar, plantar e cuidar da colheita. A estruturação de uma horta por eles será uma oportunidade muito boa de aprendizado”

Sandra Harumi, diretora do CED Fercal

As unidades de ensino público CED Fercal e CEF Queima Lençol foram contemplados pelo projeto por meio de emenda parlamentar destinada pelo deputado, verba que também vai beneficiar outras 15 escolas. Hoje, a rotina anual da Emater-DF é atender a mais de 150 hortas por ano, com instalações, assistência e entrega de insumos.

“Quando a gente traz essa oportunidade da criança fazer uma horta, conhecer o valor nutricional dos alimentos e as formas de produzir com sustentabilidade, é muito gratificante e importante. É um processo de transformação necessário diante de um mundo que precisa cada vez mais de consciência ambiental e práticas sustentáveis”, ressaltou a presidente da Emater-DF.

“A gente está muito feliz de ver esse trabalho acontecendo. Muito em breve, os meninos estarão aqui colocando a mão na terra, colocando a mão na massa. Esse é um projeto pedagógico muito legal”, ressaltou o deputado durante a visita ao CED Fercal. Ele agradeceu a parceria com a Emater e a aceitação das escolas à proposta e lembrou que o projeto vai ter início apenas na volta às aulas, com ações dos próprios alunos.

“Temos 700 alunos. A ideia é trabalhar com as turmas e dividir entre as que vão adubar, plantar e cuidar da colheita. A estruturação de uma horta por eles será uma oportunidade muito boa de aprendizado”, disse a diretora da escola CED Fercal, Sandra Harumi.

No CEF Queima Lençol, a diretora Lindonor Maria ressaltou: “Esse projeto da Emater veio para somar e foi providencial aqui para a escola”.

A diretora e a vice do CED Fercal receberam a presidente da Emater, a gerência de Agricultura Urbana da empresa e o deputado Leandro Grass | Foto: Emater-DF

Para as escolas, além de servir como aprendizado aos alunos, o projeto vai proporcionar economia de água da Caesb. Na época da chuva, a água captada vai servir para limpeza das instalações dos centros educacionais, já que a água da chuva servirá como irrigação direta para a horta, conforme lembrou o extensionista da Emater-DF Cleison Duval, que também esteve no encontro.

Coordenador do Programa de Agricultura Urbana da empresa, o engenheiro-agrônomo Rogério Vianna explicou que, diante das metas sustentáveis, o projeto é de extrema relevância. “Abrange a gestão dos recursos hídricos, o aproveitamento de água, a sustentabilidade, segurança alimentar, educação ambiental. Esses são todos os aspectos que o projeto engloba”, destaca.

Cada metro quadrado de telhado resulta numa economia de mil litros de água por ano, conforme explica Vianna. A caixa de armazenamento da água tem capacidade para armazenar 10 mil litros, disse o assessor da Emater Tiago Leite. O projeto está alinhado ao Plano Estratégico do Governo do Distrito Federal no âmbito da ampliação do manejo da água e do solo.

Escolas atendidas

Pelo projeto, são beneficiadas escolas de Taguatinga, Fercal, Piriripau II, Taquara em Planaltina, Cruzeiro, Gama, Santa Maria, Rio Preto em Planaltina, Recanto das Emas, Samambaia, 113 Norte no Plano Piloto, 308 Sul no Plano Piloto, Lago Norte, Queima Lençol em Sobradinho e Vale Verde em Planaltina.

 

O projeto está sendo viabilizado por meio de destinação de emendas parlamentares dos deputados distritais Leandro Grass (Rede), Reginaldo Sardinha (Avante) e Claudio Abrantes (PDT). “Em um período em que estamos com pouco recurso, é fundamental uma emenda como essa”, ressalta Rogério.

Semelhante às hortas que serão instaladas nas escolas, recentemente o projeto foi implantado em hortas comunitárias no Guará pela Emater-DF. Também já foram iniciadas tratativas para implantação das estruturas de cultivo em Ceilândia e no Paranoá.

 

*Fonte: agência Brasília, Edição: Fábio Góis, com informações da Emater-DF