Pesquise neste blog

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Mudas doadas ao Projeto Produtor de Água no Pipiripau chegarão a 100 mil


Mais de 50 espécies nativas do Cerrado são usadas para compor áreas de preservação em propriedades rurais

A Secretaria de Agricultura (Seagri), juntamente com parceiros da Unidade Gestora do Projeto (UGP), alcançará a marca de 100 mil mudas doadas ao Projeto Produtor de Água do Pipiripau, até o fim de dezembro. São mais de 50 espécies de árvores nativas do Cerrado, como jatobá, peroba, angico, ipê verde, caju do cerrado, cagaita e buriti, usadas para compor áreas de preservação em propriedades rurais.
  

As mudas são produzidas na Granja do Ipê. O local possui cinco estufas, com capacidade para produzir, em média, 16 mil mudas, cada uma – além de dois viveiros, com capacidade para produzir 350 mil mudas. Cerca de 20 pessoas, entre servidores da Seagri e terceirizados, trabalham diretamente na produção, fazendo a coleta, o preparo e semeadura das mudas, entre outras coisas.
  

Para o chefe do Núcleo de Produção Vegetal da Granja do Ipê, Cláudio Silva, é gratificante trabalhar em algo que deixará um legado à sociedade. "É muito importante. Não estamos fazendo isso para a gente e sim para os nossos filhos, nosso futuro", afirmou.
  

Devido à parceria da Seagri com a Rede de Sementes do Cerrado e com o Sesi, houve melhorias na infraestrutura da Granja do Ipê, que saltou na produção de 40 mil mudas ao ano para 140 mil no biênio 2014-2015. A expectativa é que produção cresça ainda mais e alcance as 210 mil mudas para a estação de plantio 2015-2016.
  

A Rede de Sementes do Cerrado recebe recursos do Sesi, que são investidos na infraestrutura da Granja do Ipê. Foram implantados estufas e viveiros. Também houve a reforma de três tratores e do prédio que abriga os serviços administrativos, num investimento de R$ 100 mil.

  
O transporte, o plantio e a manutenção ficam a cargo do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), por meio do Programa Água Brasil, parceria que também conta com a Agência Nacional de Águas (ANA) e Banco do Brasil (BB). O Água Brasil é financiado pelo BB e Fundação Banco do Brasil.

  
Para apoiar o trabalho, os parceiros no Produtor de Água e a Seagri também disponibilizam van para transporte dos trabalhadores e caminhonete para a coleta de mudas e sementes, insumos destinados à produção de mudas e implementos para a manutenção e limpeza dos viveiros, além de um trator agrícola.
  

Após germinarem e estarem prontas, as mudas são levadas às propriedades dos agricultores dos núcleos rurais Pipiripau e Taquara – ambos em Planaltina – que aderiram ao Produtor de Água. Com a assistência técnica da Emater, as mudas são plantadas.
  

PRODUTOR DE ÁGUA – O Produtor de Água é uma iniciativa da Agência Nacional de Águas (ANA), que tem como objetivo a redução da erosão e assoreamento dos mananciais nas áreas rurais. O programa, de adesão voluntária, prevê o apoio técnico e financeiro aos produtores rurais, à execução de ações de conservação da água e do solo, como a construção de terraços (também conhecidos como curvas de nível), bacias para infiltração da água, readequação de estradas vicinais, recuperação e proteção de nascentes, reflorestamento de áreas de proteção permanente e reserva legal e saneamento ambiental.
  

No Distrito Federal, o projeto está em execução na Bacia do Ribeirão Pipiripau, que abastece mais de 200 mil pessoas das regiões de Sobradinho e Planaltina. Atualmente, cerca de 90 produtores estão inscritos voluntariamente no projeto e já adotam práticas de preservação ambiental. A expectativa é que o numero triplique em 2015. Os pagamentos variam de R$ 80 a R$ 200 por hectare, a depender dos serviços ambientais prestados pelo agricultor. O programa é realizado por meio de uma UGP.

  
Além da Seagri, fazem parte da UGP a Semarh, a Emater, a Adasa, o DER, a Caesb, o Ibram, a Terracap, Ministério do Meio Ambiente, Agência Nacional de Águas, Sudeco, Banco do Brasil, Embrapa, UnB, Sesi, WWF, Fundação Banco do Brasil, TNC e Rede de Sementes do Cerrado.


Fonte: Secretaria de Agricultura /Foto: Rubens Shinkai/SAGRI Arquivo

Nenhum comentário: