Pesquise neste blog

sábado, 25 de julho de 2015

MEIO AMBIENTE/ SOBRADINHO: Entulho da construção civil terá destino certo em Brasília



Cedida pela União, área vai fortalecer o serviço de limpeza da cidade; no Núcleo Bandeirante, outro terreno será destinado a resíduos volumosos e recicláveis



Assinatura do termo de cessão de terrenos, na sede do SLU

Brasília ganhará o primeiro espaço específico para a destinação do lixo proveniente da construção civil. A área de transbordo, triagem e reciclagem de resíduos (ATTR) será em uma fazenda de Sobradinho, de 11 hectares, cedida pela Secretaria do Patrimônio da União ao Serviço de Limpeza Urbana (SLU). O termo de cessão do terreno, assinado nesta sexta-feira (24), contempla outra área de 7,4 hectares, no Núcleo Bandeirante, para a construção de um ponto de entrega voluntária.

O SLU terá o prazo de dois anos para dar início às duas obras, inéditas na capital. A diretora-geral da autarquia, Kátia Campos, afirma que a área resolverá o problema de coleta de entulho da parte norte de Brasília. De acordo com ela, só em 2014 foram recolhidas 722 mil toneladas de resíduos da construção civil em Brasília, a um custo de R$ 20,35 milhões. Cerca de 65% desse total estava depositado em mil pontos irregulares da cidade. Todo esse material ainda é levado para o Lixão do Jóquei, na Estrutural. “Essa nova obra também trará economia considerável aos cofres públicos.”

Os pontos de entrega voluntária são áreas onde a população poderá depositar resíduos volumosos (móveis, galhadas e podas), recicláveis (papel, plástico, vidro e metal) e materiais da construção civil provenientes de pequenas reformas. “Tínhamos, no passado, pontos alternativos de entrega, porém, esse novo será definitivo”, ressalta a diretora-geral. O espaço também receberá uma horta comunitária, um jardim e um ponto de encontro comunitário (com equipamentos de ginástica). “Queremos transformar esse local em um espaço de convivência para a população.”

O superintendente da Secretaria do Patrimônio da União, Sérgio Gonçalves, explica que ambos os contratos têm especificados a finalidade e o prazo de início das obras. “A política dos resíduos sólidos tem avançado muito em Brasília e estamos ajudando nisso.” Para o vice-diretor do Meio Ambiente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal, Luciano Alencar, os empresários do ramo têm muita dificuldade em lidar com o lixo proveniente da construção civil na capital e o novo espaço será importante, uma vez que esse material poderá ser reaproveitado em outras obras.

Lixo

Os moradores de Brasília descartam 2,7 toneladas de lixo diariamente. Mais de 70% — 1,9 tonelada — são provenientes de resíduos da construção civil. Existem hoje quatro ATTRs, nas regiões do Gama, de Brazlândia, de Sobradinho e da Asa Sul. Nenhuma, porém, é específica para entulhos de obras.







(*) Kelly Crosara, da Agência Brasília/Fotos: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Nenhum comentário: