Pesquise neste blog

quinta-feira, 21 de julho de 2016

EDUCAÇÃO: CEM 01, mais conhecido como Ginásio, se torna centro das atenções em 2016


O Ginásio conta com 170 profissionais da educação trabalhando na instituição

Juntando os turnos matutino, vespertino e noturno, a instituição possui 2.400 alunos
 
 
 (*) Higor Sousa/JS
 

Com meio século de idade, o CEM 01 (Centro de Ensino Médio 01) de Sobradinho, mais conhecido como Ginásio, esteve no holofote da mídia nesses últimos meses. Um dos motivos é que a instituição foi a campeã das escolas públicas do Distrito Federal em aprovar alunos para o PAS (Programa de Avaliação Seriada) da UnB (Universidade de Brasília). Outra razão foi o fato de a direção ter sido afastada por 30 dias sob suspeita de possíveis irregularidades.

 

A instituição, que completou 50 anos em janeiro, foi uma das referências de escolas públicas em todo o Distrito Federal por ter aprovado tantos alunos para o PAS. De acordo com o diretor do CEM 01, Ari Luiz Alves Pae, esse foi o maior presente que o Ginásio poderia ter recebido. “Foi uma emoção muito grande quando ficamos sabendo. Nós conseguimos aprovar 64 estudantes em primeira chamada e mais cinco na segunda chamada. No total foram 69 aprovados”. Para conseguir esse feito, o Centro de Ensino Médio 01 conta com 170 profissionais da educação trabalhando na instituição, entre eles servidores e terceirizados. “Juntando todos os três turnos, nós temos 2.400 alunos”, explicou o diretor.

 

Sobradinho conta com 46 escolas, sendo seis de Ensino Médio. O Ginásio é a segunda instituição de ensino mais antiga da cidade. Segundo a Regional de Ensino de Sobradinho, o CEM 01 (Centro de Ensino Médio 01) foi criado pelo Decreto número 481 do dia 14 de janeiro de 1966 e autorizado pela Portaria “E” número 11/66 da Secretaria de Educação com a denominação de “Ginásio Provisório de Sobradinho”. Pelo Decreto número 698 de 24 de janeiro de 1968, passou a ser conhecido como “Ginásio de Sobradinho”. “Teve sua denominação transformada para Centro Educacional 01 de Sobradinho pelo Decreto número 3547 de 03 de julho de 1977 e no decorrer do ano de 2000 passou a se chamar Centro de Ensino Médio 01 de Sobradinho, muito embora a comunidade ainda reconhece como Ginásio”, informou em nota o assessor jurídico da Regional de Ensino da região, Alexandre Galdino.

 

Conforme relatou o diretor do CEM 01, Ari Luiz Alves Pae, que também é professor de Português e está na instituição desde 1997, antes de se tornar Centro de Ensino Médio, a escola era Centro Educacional. “Antes, eram dois níveis, Fundamental e Médio. A escola já está há 16 anos sendo somente Ensino Médio. Grandes referências já passaram por aqui, como por exemplo, Dr. Michel (ex-deputado distrital) que agora é conselheiro do TCDF (Tribunal de Contas do Distrito Federal) e Paulo Tadeu”.

 
 Antes de se tornar Ensino Médio, o Ginásio era Centro Educacional e atuava nos dois níveis, Fundamental e Médio.

 
“Dedicação e muito estudo” foram alguns requisitos que ajudaram a estudante Ana Izadora de Oliveira, de 18 anos, a conquistar uma vaga no curso de engenharia civil da UnB (Universidade de Brasília) através do PAS. “Fui aluna no Ginásio e tive ótimos professores. Iniciei meu curso já no primeiro semestre deste ano e estou muito feliz. Acredito que o meu esforço, juntamente com a dedicação dos professores, foi o que me garantiu essa aprovação”, declarou a estudante.

 

A notícia de ter aprovado tantos alunos no PAS era o que faltava para a bancária Fernanda Fernandes, de 45 anos, decidir matricular sua filha de 14 anos, Luana Almeida, no próximo ano no Centro de Ensino Médio 01. “Eu ainda estava em dúvida sobre em qual escola colocar minha filha. Assim que iniciar o processo de matrículas, vou enfrentar a fila para garantir a vaga. Acredito que assim como muitos conseguiram, minha filha também conseguirá tirar ótimas notas no PAS”, declarou a bancária.

 

Na visão da estudante Lorrane Ângelo, de 16 anos, que cursa o 1º ano do Ensino Médio no Ginásio, a instituição tem professores gabaritados que conseguem transmitir aos alunos os assuntos mais cobrados no Programa de Avaliação Seriada. “Eu quis estudar aqui porque meus amigos falavam muito bem da escola e dos professores. Pretendo cursar nutrição e acredito que com o empenho dos professores e com o meu aprendizado, conseguirei ótimas notas no PAS”.

 

Saiba o que é o PAS

 

O PAS (Programa de Avaliação Seriada) é a modalidade de acesso ao Ensino Superior que surgiu por iniciativa da UnB (Universidade de Brasília), abrindo para o estudante do Ensino Médio as portas da Universidade de forma gradual e progressiva. A dinâmica do PAS comporta três avaliações, realizadas ao término de cada série do Ensino Médio, as quais constituem os Subprogramas (triênios) do PAS. Cada avaliação determina uma etapa do respectivo Subprograma, em que a nota final configura-se na soma das notas das três etapas.

 

Para participar do PAS, o candidato deve estar regularmente matriculado na 1.ª série do Ensino Médio, em escola pública ou particular, cuja modalidade de ensino seja regular, de três anos completos, ou na 2.ª série, em escola com estrutura curricular de quatro anos completos para se inscrever na 1ª Etapa de um Subprograma do PAS. Caso o candidato já esteja na 2.ª série do curso regular, no primeiro caso, ou na 3.ª série, no segundo, e ainda não esteja inscrito no PAS, mesmo assim poderá inscrever-se na segunda etapa. Nesse caso, à primeira etapa do Subprograma será atribuída a nota zero.

Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número do CPF do aluno. Os matriculados na Rede Pública do Distrito Federal estão dispensados do pagamento da taxa de inscrição e os da rede particular bolsistas podem solicitar o pedido de isenção.

 

Sobre o número de vagas, o site da Universidade de Brasília informa que no primeiro semestre de cada ano letivo, 50% das vagas oferecidas para cada curso de graduação da UnB destinam-se aos candidatos aprovados pelo PAS realizado no semestre anterior.

É importante frisar que o participante do PAS não está impedido de concorrer também pelo vestibular tradicional.

 

Processo

 

No meio do ano de 2016, a direção do CEM 01 (Centro de Ensino Médio 01) de Sobradinho foi suspensa por 30 dias, acusada de possíveis irregularidades. No dia 6 de junho, o diretor da instituição, Ari Luiz Alves Pae, e a vice-diretora, Fabianny Wilmaria Almeida Sousa, viram seus nomes no DODF (Diário Oficial do Distrito Federal) com a suspensão. Em nota, a SEDF (Secretaria de Educação do Distrito Federal) informou que o afastamento de ambos foi um ato legal, decorrente da apuração de um PAD (Processo Administrativo Disciplinar), no qual foram garantidos a ampla defesa e o contraditório. “Para as funções, foram nomeados servidores efetivos da pasta em portaria publicada em 16 de junho”. Entre as acusações, estão a privatização de área pública, PPP (Projeto Político-Pedagógico) em desacordo com a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) e desobediência.

 

Para esclarecer tudo isso, o Jornal de Sobradinho ouviu o assessor jurídico da Regional de Ensino da cidade, Alexandre Galdino, e o diretor do CEM 01 de Sobradinho, Ari Luiz Alves Pae. Segundo o assessor jurídico, ele, juntamente com o coordenador da Regional, Marco Aurélio, assumiram o cargo em janeiro de 2015. “Fizemos uma reunião com as direções das escolas e constatamos irregularidades no CEM 01. Vimos que o Ginásio era campeão em ouvidoria, sendo a maioria por arbitrariedade da direção e descumprimento do regimento escolar”. De acordo com Galdino, a direção do CEM 01 tem um sistema de avaliação chamado Ponto a Ponto, que está em desacordo com a legislação. “O aluno recebe dois pontos de uma forma geral. Então toda e qualquer matéria vai valer oito pontos. Esses dois pontos é um conjunto de atribuições que o aluno tem de seguir. É nesse conjunto de atribuições que está o erro. Não se pode deixar que os professores avaliem os alunos com menos pontos, ou seja, oito. Outra coisa, você não pode tirar ponto do aluno por causa de falta e eles estavam fazendo isso. Antes de tomarmos providência, nós chamamos a direção para uma conversa”, enfatizou o assessor jurídico.

 

Sobre o Ponto a Ponto, Ari Luiz Alves Pae esclarece que esse programa não foi feito por ele e não foi criado em sua gestão. “O Ponto a Ponto existe desde 2003 e foi elaborado pelos professores do Ginásio. Desde aquela época, ele (projeto) foi andando até atingir a escola inteira. Mas começou no noturno. A Regional quer eliminá-lo, mas não tem um novo projeto para propor. Sou o diretor da escola há um tempo, quando fui eleito e reeleito pela gestão democrática”. O diretor também explicou sobre o nome do programa. “O nome Ponto a Ponto é porque ele é feito por várias mãos. Não é Ponto a Ponto por causa de nota não. Antes de 2012 o Ponto a Ponto estava nos três turnos do Ginásio, sendo colocado em prática pelo conselho de classe”. Em relação aos dois pontos que o aluno já inicia o ano, o diretor esclareceu que para o estudante mantê-los, ele precisa cumprir três quesitos. “Assiduidade, tarefas e disciplina”.

 

Conforme informou o assessor jurídico da Regional, Alexandre Galdinno, de forma “arbitrária e sem avisar”, o diretor do CEM 01 cortou o fornecimento de água para a biblioteca e para o CEI (Centro de Ensino Infantil 04), ambos situados dentro da área especial 04. “A biblioteca ficou 52 dias sem água. O argumento foi que ele estava arrumando uma caixa d’água. Mas nós temos duas caixas d’água. Com muita insistência, ele deixou a diretora do CEI 04 ligar a água por uma hora com uma mangueira”. Em sua defesa, o diretor do Ginásio alega que houve sim uma suspensão na água, mas foi em época de férias, para poder reformar o reservatório de água. “Nós comunicamos a eles (biblioteca e CEI 04) que iríamos interditar para fazer restauração no reservatório e isso aconteceu durante férias escolares. Mas a Regional veio com essa história de que eu deixei as pessoas sem água”.

 
Regional de Ensino questiona a direção do Ginásio sobre o alambrado que impede, segundo a Regional, estudantes de entrarem na biblioteca pelo estacionamento que fica ao lado da entrada CEM 01

 

Outro ponto questionado pela Regional de Ensino é sobre um alambrado que foi colocado em frente à biblioteca, o que impede os estudantes de entrarem no local de estudo pelo estacionamento que fica ao lado da entrada do Ginásio. “O argumento dele é segurança. Tudo isso foi feito sem autorização de ninguém, pois nem o setor de Engenharia e nem nós, da Regional de Ensino, fomos consultados. Toda e qualquer obra dentro de uma escola precisa de um parecer da Engenharia”, completou Galdino. Segundo o diretor da escola, a entrada da biblioteca não é a que a Regional de Ensino informa, e sim, a de trás. “Estão dizendo no processo que eu fechei a entrada principal da biblioteca. E aquela não é a entrada principal porque aquilo dali é simplesmente usado pelos funcionários da biblioteca para irem ao banco tirar extrato. Quando eu ampliei o alambrado, foi para proteger os professores e os alunos, que ficam nas quadras tendo aula, das pessoas que ficavam usando drogas ali perto”, defendeu Pae.

 
(*) Por Higor Sousa/JS ( texto e fotos) - Exclusivo para o Jornal de Sobradinho Edição 303 de Julho - Referente a Segunda Quinzena de 2016

Um comentário:

José Carlos Franklin disse...

Senhor Higor e meu amigo Júnior Nobre. A partir de amanhã o Ginásio começará a contar um pouco de seus 50 anos de história. Para inaugurar esse projeto o Toninho de Sousa fará uma bela pintura mural juntamente com as 48 turmas do diurno. É um bom momento para o registro das boas coisas que a escola oferece.