Pesquise neste blog

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

EDUCAÇÃO / MEIO-AMBIENTE

Crianças da rede pública de ensino ajudam a plantar 1,5 mil mudas no Distrito Federal
Até 11 de dezembro, 15 propriedades às margens da Bacia do Ribeirão Pipiripau serão beneficiadas com a iniciativa
(*) Vinícius Brandão
Até 11 de dezembro, 350 estudantes de 13 escolas públicas e privadas do Distrito Federal plantarão pelo menos 1,5 mil mudas de espécies nativas do Cerrado em 15 propriedades rurais às margens da Bacia do Ribeirão Pipiripau.
Até 11 de dezembro, estudantes de escolas públicas e privadas do Distrito Federal plantarão pelo menos 1,5 mil mudas de espécies nativas do Cerrado em 15 propriedades rurais às margens da Bacia do Ribeirão Pipiripau.
O coordenador de Programas Especiais da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), Miguel Sartori, ressalta que a bacia é responsável por parte do abastecimento de água de Sobradinho e de Planaltina.
“Toda a população residente na região é beneficiada com o plantio. No entanto, é preciso saber que o Cerrado é importante para o mundo inteiro”, reforça.
A ação faz parte do projeto Produtor de Água Mirim, que leva crianças de escolas públicas e particulares de Brasília para as áreas das bacias hidrográficas. Os alunos são orientados sobre a importância do reflorestamento de árvores nativas do Centro-Oeste para a preservação dos mananciais e a conservação do solo.

Na edição de 2018, a ONG Pede Planta forneceu 10 mil mudas de 13 viveiros pedagógicos — as 1,5 mil a serem plantadas até dezembro e 8,5 mil que serão distribuídas para o plantio nas áreas centrais da região.
O projeto Produtor de Água Mirim é desenvolvido sempre no início do período chuvoso no DF, favorável para a plantação das mudas.
Na primeira edição, em outubro e novembro de 2017, envolveu 240 estudantes na plantação de 1,2 mil mudas de árvores nativas, em 12 propriedades rurais da região.
Participam da ação a Adasa, o Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF) e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), que integram o Grupo de Trabalho de Educação Ambiental do programa Produtor de Água do Pipiripau.
Alunos visitaram Assentamento Oziel Alves III
“O que é uma bacia hidrográfica?”, perguntou Louise Kaiser, assistente técnica da Adasa, para os 15 estudantes que visitaram o Assentamento Oziel Alves III na Bacia do Ribeirão Pipiripau, em 20 de novembro.
O questionamento é importante porque o ribeirão abastece a área do Centro de Ensino Fundamental 3 de Sobradinho, escola das crianças.
Os alunos foram para o local para plantar cem mudas de aroeira, ipê, mogno, pequizeiro, cajuzinho, angico, buriti, gueroba e jerivá — todas plantas de grande porte típicas do Cerrado.
A fazenda visitada é do produtor Robemario Ribeiro de Souza, de 49 anos, que reconhece o valor do auxílio tanto para o trabalho dele como para o meio ambiente.
“Antes eu não recebia ajuda nenhuma, agora ainda melhoramos o acesso à água para a vegetação.”
Souza produz hortaliças entre linhas de agroflorestas e sabe que as águas da bacia são importantes para o cultivo. “Por causa do desmatamento na região, a água que estava a cerca de 7 metros abaixo da superfície, agora está a 14 metros. A cada ano fica 1 metro mais funda.”
Programa Produtor de Água no Pipiripau funciona em sete frentes
Coordenado pela Adasa, o Produtor de Água do Pipiripau foi constituído em 3 de fevereiro de 2012 para fazer a manutenção da bacia hidrográfica do Ribeirão Pipiripau.
O projeto é dividido em sete Grupos de Trabalho:
  • GT 1 – Conservação do Solo
  • GT 2 – Reflorestamento
  • GT 3 – PSA
  • GT 4 – Canal Santos Dumont
  • GT 5 – Monitoramento
  • GT 6 – Educação Ambiental
  • GT 7 – Comunicação e Marketing
Fazem parte do GT 6:
  • Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa)
  • Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb)
  • Emater-DF
  • DER-DF
  • Rede de Sementes do Cerrado
  • Rede Planta
  • World Wide Fund for Nature (WWF)
(*) Vinícius Brandão, Edição: Marcela Rocha, Fotos: Pedro Ventura/Agência Brasília

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

PMDF APREENDE DIVERSAS AVES EM CRIATÓRIOS SEM AUTORIZAÇÃO EM SOBRADINHO


Policia Militar Ambiental apreendeu na manhã de quinta-feira (29), em duas ocorrências, várias aves da fauna brasileira. As ações ocorreram na Vila DNOCS e quadra 01 de Sobradinho.

Na Vila DNOCS, por volta de 9h30, durante o patrulhamento, a equipe verificou que em uma residência havia algumas aves. Segundo a proprietária do imóvel, os 3 pássaros seriam de propriedade de seu filho e que ele não possuía autorização para cria-los. Nesse caso a moradora assinou o termo circunstanciado de ocorrência, onde poderá responder por crimes contra a fauna.

Mais tarde, às 11h, a mesma equipe, encontrou em uma casa na quadra 1 da cidade, 12 aves também sem autorização. O mesmo procedimento foi adotado.

Fonte: PMDF

OAB / DF - ELEIÇÕES

Chapa “Independência na Ordem” é eleita para o triênio 2019/2021

Candidatos receberam 9.805 votos
  

Délio Lins e Silva Junior (foto) foi eleito, nesta quinta-feira (29), presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Distrito Federal. A chapa “Independência na Ordem” recebeu 9.805 dos votos válidos. A diretoria que comandará a entidade no triênio 2019/2021 é formada também pela vice-presidente Cristiane Damasceno, pelo diretor-tesoureiro Paulo Maurício Braz Siqueira, pelo secretário-geral Marcio de Souza Oliveira e pela secretária-geral adjunta Andrea Saboia Fonseca.

O segundo candidato mais votado foi Jacques Veloso, da chapa “Quem sabe faz a Ordem”, com 9.557 votos válidos, seguido pela candidata Renata do Amaral Gonçalves da chapa “Ordem Democrática, que recebeu 1.912 votos válidos. Em quarto lugar ficou a chapa “Somos Todos OAB”, de Max Telesca, com 1.597 dos votos válidos. Houve 475 votos brancos e 497 nulos. No total, compareceram às urnas 23.843 advogados. A votação ocorreu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, nas subseções e em alguns locais de forma descentralizada.

Fonte: OAB/DF - Comunicação social - jornalismo

CONVITE AOS SOBRADINHENSES


Pedro Paulo e Matheus no Arte na Praça neste sábado


Pedro Paulo & Matheus – a dupla sertaneja brasiliense que conquistou o Brasil , surgida nos bares e butiquins de Sobradinho – será a atração principal do Projeto Arte na Praça, na Quadra 8 de Sobradinho, às 20h30, deste sábado 1º de dezembro.
 
Pedro Paulo & Matheus
Intérpretes do hit Saudade (César), cujos versos do refrão:

Ai eu choro, choro, sofro, sofro e choro

Morro de saudade com vontade de te ver

caíram na boca do povo, a dupla encontrou o sucesso depois de ter a coragem  de gravar, em 2008, um CD/DVD  denominado Ao Vivo em Brasília, que os levaram para a gravadora Som Livre e, daí,  para mídia nacional.

Um ano depois, por este Ao Vivo em Brasília, a dupla recebeu o Disco de Ouro no festival Caldas Country, um dos eventos mais importantes do calendário nacional, realizado em Caldas Novas.

De lá pra cá, a dupla tem emplacado sucessos como Eu Vou Te Buscar (Flávio Brasil), Fica comigo (Flávio Brasil), Lágrimas Geladas (Rio Negro), Não Sei Se Vou Lá (Pedro Paulo), Na Pancada do Bailão (Pedro Paulo), Aô Trem Bão (Pedro Paulo), Paixão Gostosa (Pedro Paulo).

Hoje, com cerca de 19 shows por mês, a PP & Matheus traz novos sucessos, como as canções Bruto De Bão (com participação de Rio Negro e Solimões) e Quem Me Dera Eu (com participação de João Neto e Frederico).

São estes dois garotos de ouro que vão cantar pra vocês, no sábado, 1º de dezembro, às 20h30, na Quadra 8 de Sobradinho. Não percam essa.

Outras opções - As atividades do Projeto Arte na Praça, no entanto, têm início bem mais cedo e oferecem opções variadas à população.

A praça da alimentação, por exemplo, começa a servir a partir das 16h e prossegue até à meia-noite. As feiras de artesanato e ortifrutis, também, começam às 16h e as oficinas e palestra vão das 18h30 às 20h30.

A programação musical da noite ainda terá mais opções. Após o Show de Pedro Paulo & Matheus, no palco principal, outros artistas se apresentarão na área da praça de alimentação, a partir das 21h30. Venham!

(*) Por José Edmar Gomes, jornalista em Sobradinho

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

LUOS / CLDF

Conheça o projeto da Luos, a lei que atualiza usos e parâmetros de ocupação do solo no DF

Fórum debateu a LUOS na Câmara Legislativa

No Distrito Federal, há lotes que podem ser usados apenas para residência e outros que permitem abrigar também algum tipo de atividade econômica. Além disso, dependendo da localização, as normas para as edificações – a exemplo da altura máxima permitida ou a previsão de construção de marquise – variam. Tudo isso é assunto do projeto da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), em discussão ao longo desta segunda-feira (26), no auditório da Câmara Legislativa, em fórum organizado pela Comissão de Assuntos Fundiários (CAF).

Desde que foi enviado pelo governo do Distrito Federal no final do ano passado, o texto passou por extensa análise técnica, recebeu diversos questionamentos e foi tema de 20 reuniões envolvendo técnicos da Casa, assessores parlamentares e representantes da Secretaria de Gestão do Território e Habitação (Segeth). O resultado dessa articulação foi a apresentação de uma emenda substitutiva (Emenda nº 41) ao texto original do Buriti (PLC nº 132/2017), à qual ainda devem ser propostas algumas alterações.

A Lei do Uso e Ocupação do Solo (Luos) está prevista na Carta Magna do DF, a Lei Orgânica, e ela alcança todos os parcelamentos urbanos registrados em cartório e os núcleos urbanos implementados e consolidados pelo Poder Público, à exceção da área do perímetro tombado – a qual deve ser disciplinada por outro instrumento: o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB). A Luos não abrange, ainda, áreas rurais e/ou de proteção ambiental integral.

É esse instrumento que vai guiar o desenvolvimento e o ordenamento das regiões administrativas do DF nos próximos anos. Como aponta a subsecretária de Gestão Urbana da Segeth, Cláudia Varizo, a Luos trata de 360 mil lotes, os quais hoje são regidos por 420 normas urbanísticas, muitas das quais desatualizadas.


Texto – O projeto prevê os seguintes usos para os lotes: comercial, serviços, institucional, industrial e residencial, estabelecendo algumas combinações possíveis entre eles – a depender da localização e do tipo de atividade econômica envolvida. Por exemplo, em áreas enquadradas como "residenciais exclusivas", é proibido qualquer outro tipo de uso para o lote; já em zoneamentos classificados como "residenciais obrigatórios", é possível conciliar moradia e atividades "pouco incômodas", como serviços de manicure e aulas particulares.

"A distribuição dos usos seguiu a lógica espacial e a estrutura viária, ficando para áreas periféricas as atividades mais incômodas. Próximas às residências estão as atividades mais compatíveis com a área", explica a subsecretária.

Cláudia Varizo destaca também que a Luos estabelece diversos parâmetros de ocupação do solo: entre eles, taxas de ocupação máxima e de permeabilidade; ou seja, o quanto é possível ocupar com uma edificação e o quanto deve ficar livre para infiltração; a altura máxima das construções, e a possibilidade de galerias ou marquises. Além disso, o projeto trata de parâmetros para a ocupação de áreas no subsolo e de vagas para carros e bicicletas.

"É um assunto extenso e um pouco árido. Mas o que muda com a Luos? A gente pode ter um benefício muito grande com essa lei, como a distribuição equilibrada da atividade econômica, a diminuição dos deslocamentos, a otimização do uso da infraestrutura urbana, e mais responsabilidade ambiental", ressalta a subsecretária de Gestão Urbana. Ainda segundo Varizo, devem haver ganhos com a celeridade no licenciamento, a clareza dos parâmetros urbanos e a isonomia dos critérios.


Substitutivo – O secretário da Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) da CLDF, Fábio Fuzeira, explica que a emenda substitutiva não altera o mérito ou a essência da proposta, contemplando ajustes necessários à redação, à técnica legislativa e a outros instrumentos legais, como o código de edificações. Segundo ele, ainda não houve consenso com relação a alguns pontos. "O que diz respeito ao cercamento de lotes, por exemplo, está muito genérico e simplificado, e o tema deveria ser tratado em legislação específica", aponta.

"A Luos é muito importante, mas é muito polêmica. Tem áreas que estão sendo alteradas sem que a população tenha conhecimento", lamenta o vice-presidente da CAF, deputado Lira (PHS). Já a presidente do colegiado, Telma Rufino (Pros), argumenta que a proposta está há oito anos com o Executivo, "e que todo mundo teve a oportunidade de participar". "O que tiver de consertar vamos consertar. A Luos não está aqui para tratar do ‘umbigo de cada um' e, sim, do coletivo", dispara a distrital.

Por Denise Caputo - Fotos: Rinaldo Morelli -Comunicação Social - Câmara Legislativa

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Processo de regularização do Condomínio Pôr do Sol chega a 100%


Parcelamento, no setor Boa Vista, é o sexto condomínio a ser regularizado na Fazenda Paranoazinho



Há dez anos a Urbanizadora Paranoazinho (UP) se dedica para a regularização de todos os parcelamentos existentes na área da antiga Fazenda Paranoazinho. Agora chegou a vez dos moradores do condomínio Pôr do Sol, no setor Boa Vista, comemorarem a conquista da escritura de seus lotes. O condomínio é o sexto parcelamento a atingir 100% de regularização.



O parcelamento, que teve seu projeto urbanístico aprovado em maio de 2018, conta com 17 lotes e é um ótimo exemplo de trabalho bem-sucedido realizado pela empresa. “Apesar de pequeno, o Pôr do Sol tem um grande significado para os moradores e para a UP, pois é o sexto condomínio a ser regularizado na Fazenda Paranoazinho”, diz o diretor-presidente da UP, Ricardo Birmann.



Na visão do sindico do condomínio, Fernando Silva, a legalização dos lotes é uma forma de aumentar a segurança. “Estar com o imóvel escriturado dá uma tranquilidade muito grande em relação a segurança jurídica”, declara o síndico. A regularização só traz vantagens para toda a sociedade. É um passo que ajuda a solucionar deficiências urbanísticas, ambientais e de infraestrutura, além de produzir ganhos econômicos, sociais, de qualidade de vida e de cidadania. “Agora vamos esperar benefícios que virão com a regularização. Um pedido antigo dos moradores é uma melhor sinalização tanto na BR-020 entre o condomínio Morada dos Nobres e o nosso condomínio, como nas marginais de um lado e outro”, afirma.



Quando a subsíndica do condomínio, Valdeia de Oliveira, foi morar na região, seu lote não oferecia nenhuma garantia para que ela pudesse construir sua casa ali. “Comprei o direito de posse, mas não sabia a quem pertencia a terra, não tinha segurança alguma.” Com a regularização, Valdeia tem certeza que muitos benefícios e melhorias virão. “Fico bastante satisfeita por mim e pelos meus vizinhos. Nada paga a tranquilidade de chegar em casa e saber que ninguém poderá tirar nossas famílias dali, pois o lote não está mais em situação irregular”, reitera.



Os benefícios da regularização



Regularização significa valorização do patrimônio, preservação do meio ambiente e melhoria na qualidade de vida das pessoas. Porém, ainda existe resistência em muitos moradores e desconhecimento por parte de alguns. Uma das metas da UP é conscientizar que quanto mais cedo o morador iniciar a negociação, melhores serão as condições oferecidas. “O objetivo é recuperar a plena legalidade no uso do solo da Fazenda Paranoazinho e valorizar toda a região”, afirmou Ricardo Birmann. O diretor-presidente ressalta que regularizar vai além da escritura. “É valorização do patrimônio, responsabilidade com a cidade e com o meio ambiente. Fortalece todos os aspectos que fazem com que sejamos uma sociedade”, expôs.



Fonte: Karolina Kopko/Santafeideias.com.br

UTILIDADE PÚBLICA / SAÚDE

Chuvas deixam o Distrito Federal em alerta contra o mosquito da dengue

Apesar da redução dos casos da doença em 2018, quatro regiões estão em risco pela chance de proliferação do mosquito


Alívio para os reservatórios, as fortes chuvas que caíram sobre o Distrito Federal poderão trazer outro vilão para os brasilienses: o mosquito Aedes aegypti. Mesmo com uma redução de 45% dos casos de dengue neste ano, três regiões da capital estão nas áreas de risco por causa das proliferações da larva do inseto.

De acordo com a secretaria de Saúde, a maioria das residências do Lago Norte, Fercal, Lago Sul e Sobradinho II apresentaram altos índices de infestação predial (IPP). A amostragem mede a quantidade de imóveis com a presença de recipientes com larvas do Aedes.

Conforme os dados divulgados pela pasta, o Lago Norte teve 8,73% dos imóveis inspecionados com infestação, seguido da Fercal (5,41%), Lago Sul (4,78%) e Sobradinho II (4,54%). Além dessas, outras 12 regiões do DF estão em alerta, pois apresentaram IPP entre 1 e 3,9.

Segundo o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, cada região apresenta um motivo para justificar o aumento no índice. "Nos Lagos Norte e Sul, tivemos infestação maior em vasinhos de plantas, que acumulam água. Na Fercal, o maior número de focos foi encontrado no lixo e, em Sobradinho II, tivemos mais registros em reservatórios localizados no solo, como em barris e tonéis para acumular água", apontou.

O último boletim epidemiológico do DF apontou que foram registrados 3.338 casos prováveis de dengue. Em comparação com o ano passado, houve uma redução de 45% nos números da doença. No mesmo período de 2017, eram 5.731 infectados.

"Mesmo com a redução em 2018, precisamos que população tome consciência e faça a vistoria para evitar um aumento no número de casos em 2019. Todos temos de agir para impedir que a larva do mosquito nasça e se prolifere", disse Fonseca.

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Gestão, Meio Ambiente, Ordem Pública

“Este governo vai continuar atuando [para coibir novas expansões sem autorização] até 31 de dezembro deste ano”, garantiu a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro.
Agefis retomou mais de 44 milhões de m² de terras públicas em quatro anos
Dados de 2015 a 2018 foram apresentados no 3º Seminário de Combate à Grilagem de Terras, nesta terça-feira (27). O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou do evento
(*) Maryna Lacerda
Como forma de alertar a população para a necessidade de manter a política de combate às invasões de terras públicas, a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) apresentou o balanço de quatro anos de gestão, nesta terça-feira (27).

Dados de 2015 a 2018 foram apresentados no 3º Seminário de Combate à Grilagem de Terras, nesta terça-feira (27). O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e a diretora-presidente do órgão, Bruna Pinheiro, participaram do evento. 
De 2015 a 2018, foram retomados 44.569.218,68 metros quadrados de terrenos pertencentes ao Poder Público. “Evitamos uma expansão territorial irregular equivalente à Samambaia, Recanto das Emas e Gama”, comparou a titular da Agefis.
A divulgação dos dados de produtividade ocorreu no auditório José Nilton Matos da Academia do Bombeiro Militar, no Setor Policial Sul. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e a diretora-presidente do órgão, Bruna Pinheiro, participaram do evento.
Os danos causados pela ocupação irregular são de curto e longo prazo, de acordo com Rollemberg. “A grilagem se apropria de um patrimônio público e desorganiza o futuro da cidade”, ressaltou.
44.569.218,68metros quadrados de área pública recuperada pela Agefis de 2015 a 2018
O período eleitoral foi especialmente delicado para o combate à grilagem no Distrito Federal. A fiscalização teve de ser intensificada em áreas como Riacho Fundo, Samambaia e os assentamentos 26 de Setembro (entre Vicente Pires e Brazlândia) e Santa Luzia (na Estrutural).
“Este governo vai continuar atuando [para coibir novas expansões sem autorização] até 31 de dezembro deste ano”, garantiu a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro.
A melhoria dos métodos de atuação da Agefis foi o ponto de partida da atual gestão. Isso porque, em 2014, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios elaborou um relatório em que apontava a importância de melhorar o monitoramento da área pública do DF e priorizar o trabalho de prevenção a novas invasões.
(*) Fonte: Maryna Lacerda, Edição Amanda Martimon, Fotos: Pedro Ventura/Agência Brasília

terça-feira, 27 de novembro de 2018

EDUCAÇÃO

Parceria Votorantim pela Educação difunde a leitura no Centro-Oeste e Norte

Iniciativa da Votorantim Cimentos já realizada em Tocantins foi promovida pela primeira vez em Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal

Leitura na praça, reforma de biblioteca, feira literária e outras atividades gratuitas promovidas para estimular nas pessoas o gosto pela leitura. Em 2018, o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE) estimulou a criação de iniciativas para sensibilizar os estudantes da rede municipal de educação, e a comunidade em geral, sobre a importância da leitura na formação do indivíduo. Idealizado pelo Instituto Votorantim e realizado em todo o país desde 2008, o programa passou neste ano de 51 para 100 municípios. De responsabilidade da Votorantim Cimentos são 25 municípios.


A expansão do programa é uma iniciativa do Grupo Votorantim, que neste ano celebra o seu centenário. A empresa escolheu a educação como causa legítima de suas ações para continuar deixando um legado para a sociedade. Na região Centro-Oeste, o PVE estreou neste ano em três Estados e no Distrito Federal, nos municípios de Nobres (MT), Corumbá e Ladário (MS), Edealina (GO) e Sobradinho (DF). No Norte, o programa foi promovido pelo segundo ano consecutivo em Xambioá (TO).

Somados, os municípios beneficiaram, direta e indiretamente, mais de 10 mil alunos e mais de 360 profissionais da rede municipal de ensino. A analista de Responsabilidade Social, da Regional Centro-Norte, da Votorantim Cimentos, Fernanda Deleu Recife, diz que as iniciativas desenvolvidas a partir do PVE nos municípios irão continuar beneficiando alunos, professores e toda a população.

“O PVE contribui para os profissionais da Educação aperfeiçoarem suas práticas pedagógicas para melhorarem o ensino em sala de aula. Além disso, o programa mobiliza a população a participar de transformações concretas na Educação e isso aconteceu em todas as localidades em que o PVE foi lançado neste ano. As revitalizações dos espaços para leitura, os eventos literários e outras ações entraram para o calendário escolar e de eventos, o que contribui para fortalecer ainda mais a Educação nos municípios e, futuramente, gerar resultados positivos nos indicadores de qualidade”, afirmou Fernanda.

Mobilização para leitura e gestão com foco na aprendizagem 

As ações para a leitura foram realizadas por meio da frente de Mobilização Social, que visa engajar a comunidade a participar de ações por uma educação de qualidade. Também foi realizado por meio dessa frente o concurso Desafio Criativos da Escola, iniciativa que envolve o protagonismo de professores, pais, alunos e comunidade na elaboração de projetos que transformem realidades de pessoas, espaços públicos ou escolas é também parte da mobilização.

Em outra frente do PVE, de Fortalecimento da Gestão, técnicos das secretarias de Educação, gestores educacionais e escolares participaram de consultorias especializadas e capacitações sobre o tema “Gestão com Foco na Aprendizagem”. Os profissionais tiveram a oportunidade de aprimorar as metodologias de ensino, revisando os planos de ação em diagnósticos desenvolvidos, com apoio de formadores do programa para identificarem os desafios em sala de aula e, assim, elaborarem grades curriculares que atendam com mais assertividade às necessidades dos alunos.

Principais ações impulsionadas pelo PVE – Regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil

Edealina (GO):
Projeto “Leitura: Ler é aprimorar” para alunos do maternal ao quinto ano;
- Programa “Varal e Árvore da Leitura”, no qual crianças e pais escolheram uma obra literária na árvore ou no varal e liam para os demais colegas;
- Revitalização da Biblioteca Pública Municipal José Balduíno de Moura.
Nobres (MT):
Lançamento da Feira Literária de Nobres.
Corumbá (MS):
Construção do Plano Municipal do Livro e Leitura (PMLL), com o intuito de formalizar uma política pública voltada para o incentivo à leitura em Corumbá;
- Realização da Semana de Patrimônio Cultural;
- Arraiá de São João, com barracas de contação de histórias, produção de brinquedos e outras atividades de inserção de leitura.
Ladário (MS):
– Realização de Sarau Literário, para incentivar o compartilhamento de livros e, consequentemente, incentivar a leitura entre os participantes.
Xambioá (TO):
Restauração da Biblioteca Municipal Professora Nazaré Resplandes

Sobre a Votorantim Cimentos

Fundada em 1933, a Votorantim Cimentos se tornou uma das maiores empresas globais do setor. O portfólio de materiais de construção vai além dos cimentos e inclui concretos, argamassas, agregados e insumos agrícolas. São quase 12 mil empregados e uma receita líquida de R$11,1 bilhões em 2017. As unidades da Votorantim Cimentos estão estrategicamente próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e presente em 11 países, além do Brasil: Argentina, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Índia, Marrocos, Peru, Tunísia, Turquia e Uruguai. Se no passado a Votorantim Cimentos tinha orgulho de ter contribuído para o desenvolvimento e industrialização do país, hoje a empresa constrói o futuro com parcerias, inovação e sustentabilidade, sempre focada em seu propósito: a vida é feita para durar.


Fonte: Rosana Terra

TJDFT / SOBRADINHO - DF - JUSTIÇA


Acusado de matar esposa enquanto dormia é condenado a 30 anos

O réu foi sentenciado por homicídio triplamente qualificado

Na segunda-feira (26) o Tribunal do Júri de Sobradinho condenou Misael William Matos, acusado de matar a esposa com uma facada nas costas enquanto ela dormia, à pena de 30 anos, dois meses e 20 dias de reclusão.

Em plenário, o Ministério Público sustentou a pronúncia. O réu, em sua defesa pessoal, afirmou não se recordar do fato. Por sua vez, a defesa sustentou a inimputabilidade do acusado, a inexistência de dolo e a retirada das qualificadoras e da causa de aumento de pena.
 
Fórum de Sobradinho/DF
Os jurados acataram integralmente a tese acusatória do Ministério Público e condenaram Misael por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminicídio, em razão da condição do sexo feminino, envolvendo violência doméstica e familiar e na presença dos filhos do casal.

Ao dosar a pena, o magistrado ressaltou que a conduta social do acusado é ruim, pois: “Embora relatos testemunhais dessem conta de que se apresentava de forma pacífica fora de casa, os filhos da vítima e a funcionária da casa afirmaram que, durante todos os vinte anos de casamento, Misael era autor de violência psicológica e moral contra a vítima”.

O juiz também comentou a personalidade do réu: “Conforme laudo de exame psiquiátrico juntado aos autos, Misael simulou psicopatologia ou alegada loucura durante a entrevista, fornecendo respostas incoerentes a fim de convencer o entrevistador de suposta loucura – o que não existe”.

Sendo assim, Misael cumprirá a pena inicialmente em regime fechado e não poderá recorrer em liberdade.


FONTE: TJDFT – PROCESSO: 2016.06.1.004758-8

IPVA 2019

IPVA 2019 começa a vencer em 18 de fevereiro
Calendário foi definido de acordo com o número final da placa do veículo. Imposto poderá ser pago em até quatro parcelas
A Secretaria de Fazenda divulgou nesta segunda-feira (26) as datas de vencimento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em 2019.
Os prazos foram definidos de acordo com o número final da placa do veículo. Os primeiros pagamentos vencem em 18 de fevereiro — data estipulada para os que têm placas terminadas em 1 e 2 (veja cronograma completo abaixo).
O tributo poderá ser pago em até quatro parcelas. No entanto, cada prestação não pode ser inferior a R$ 50. Caso o valor do imposto seja menor do que R$ 100, a cobrança ocorrerá em cota única.
Segundo a pasta, não haverá reajuste de alíquotas, somente revisão da base de cálculo pela tabela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A expectativa de arrecadação é de R$ 1,127 bilhão.
As datas da cobrança constam da Portaria da Secretaria de Fazenda nº 356, de 22 de novembro de 2018, publicada no Diário Oficial do DF desta segunda-feira (26). 
De acordo com o texto, um edital com as normas da cobrança será publicado pela pasta. A partir disso, o contribuinte terá 30 dias para apresentar reclamação contra o lançamento, por meio do Atendimento Virtual da Fazenda (assunto: IPVA; tipo de atendimento: Impugnação de Notificação de Lançamento IPVA – serviço).
Na reclamação deverá constar cópia de documento de divulgação pública que tenha o valor venal do veículo ou de similar.
(*) Samira Pádua, Edição Amanda Martimon/ Agência Brasília

CURSOS em SOBRADINHO/DF

Senac divulga cursos para dezembro em Sobradinho

A unidade do Senac em Sobradinho está com as matrículas abertas para cursos que iniciarão em dezembro. São quatro opções, dentre elas Maquiagem Social, Costureiro, Excel, e Análise em Faturamento Hospitalar. Para matrícula, é necessário ir até a Central de Relacionamento da unidade, de segunda a sexta-feira, com os seguintes documentos e cópias: RG, CPF, comprovante de escolaridade e comprovante dos requisitos do curso escolhido. Mais informações: 3313-8877.

Início dia 3 de dezembro

Maquiagem Social – 60h
Costureiro – 212h
Excel – Criando Planilhas Interativas com Dashboard – 20h
Início dia 17 de dezembro
Análise em Faturamento Hospitalar – 60h


Por Fabíola Souza

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

EM CIRCULAÇÃO...


EXTRA, EXTRA!


Já nas bancas e revistarias de Sobradinho I, II, Grande Colorado, Condomínios Horizontais e órgãos públicos a edição de número 348 referente a 2ª QUINZENA de NOVEMBRO de 2018.

Essa é uma cortesia dos apoiadores, patrocinadores e do editor deste veículo de comunicação.


Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!  









Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!