Pesquise neste blog

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

MÚSICA

  

Destaque no The Voice Brasil, Dhi Ribeiro anuncia o lançamento do seu DVD ao vivo
Destaque no time de Carlinhos Brown, no The Voice Brasil, Dhi Ribeiro tem 30 anos de carreira, 3 vezes trilha sonora da TV Globo, 3 álbuns, já se apresentou por quase todo o Brasil e esteve em turnê internacional na África.

Brasiliense por opção, a carioca Dhi Ribeiro(52), foi destaque nesta 6ª edição do The Voice Brasil ( TV Globo ) e em 2018 lançará seu DVD ao vivo, que é um marco nos seus 30 anos carreira
Em junho de 2017, Dhi Ribeiro subiu ao palco do Clube do Choro de Brasília para a gravação do DVD Leme de Libertação. Essa produção independente evoca a questão da consciência negra, que tem norteado a trajetória da cantora. O DVD de Dhi Ribeiro será lançado em 2018.

Nascida no Rio de Janeiro, criada em Salvador e estabelecida em Brasília, essa é Dhi Ribeiro, que já esteve em programas de peso da TV Globo, como “Domingão do Faustão” e “Programa do Jô”. Foi também destaque e Cantora Revelação no projeto “Mulheres que Brilham” e tornou-se jurada no quadro no Programa Raul Gil, do SBT.

Dhi Ribeiro foi três vezes trilha sonora da TV Globo. Ela lançou seu primeiro álbum em 2009, “Manual de Mulher”, que foi trilha sonora da novela Tempos Modernos (2009) – com a canção Aula de Matemática. Depois, com Para Uso Exclusivo da Casa, foi trilha das novelas Lado a Lado (2012) e A Força do Querer(2017).

Na época em que vivia na Bahia, Dhi foi modelo na mesma agência da técnica Ivete Sangalo. Elas se reencontraram no palco do The Voice Brasil, em um momento nostálgico.

No The Voice Brasil 2017, que segue atualmente na grade da emissora, Dhi fez parte do Time de Carlinhos Brown, levando sua musicalidade para o reality da Globo.

Dhi Ribeiro já transitou por vários estilos musicais até estabelecer-se no samba, tornando-se sua grande intérprete. Dhi escolheu o samba carioca, com o seu afoxé. Uma mulher de uma voz inconfundível que foi apadrinhada por Jorge Aragão, quando assinou contrato com a gravadora Universal Music, lançando seu álbum “Manual da Mulher”, que está disponível em todas às plataformas digitais. Lançou também o CD independente “Uma Voz e Sete Cordas” com o violinista Félix Júnior.

O samba de Dhi Ribeiro já circulou o Brasil, recebendo em seu palco nomes como Noca da Portela, Arlindo Cruz, Luiz Carlos da Vila, Toninho ­Geraes, Monarco, Almirzinho e Leci Brandão.

:: Turnê internacional

Dhi Ribeiro apresenta-se regularmente no continente africano, tendo passagens por Angola e Moçambique. E em 2018 deverá estender ainda mais sua música para o exterior.


:: O The Voice Brasil

Nas audições, Dhi Ribeiro interpretou Caetano Veloso, com a canção Milagres do Povo e, para abrilhantar sua participação com chave de ouro, interpretou a canção “Muito obrigado Axé”, do seu técnico Carlinhos Brown.
O The Voice Brasil, através do site Gshow, contou mais sobre a história de Dhi Ribeiro, veja detalhes no link: https://gshow.globo.com/realities/the-voice-brasil/noticia/dhi-ribeiro-saiba-mais-da-historia-da-participante-do-the-voice-brasil.ghtml



:: Contato para Shows

Fonte: Eldo Gomes -  Eldo.Gomes@gmail.com

CONVITE AOS SOBRADINHENSES



Dani Machado, estrela internacional, é atração do Arte na Praça no sábado

DANI MACHADO - uma refinada intérprete de Jazz, MPB e clássicos mundiais - será a grande atração do show principal do Projeto ARTE NA PRAÇA, às 19h do sábado 02/12, na Praça das Artes, Quadra 8  de Sobradinho).

DANI vem de uma longa experiência nos Estados Unidos, onde passou dez anos apresentando-se nas em casas noturnas e eventos nas maiores cidades da Flórida e de outros estados.

De volta ao Brasil, em 2010, instalou-se em Sobradinho, fez shows nos melhores  espaços culturais e noturnos da capital e percorreu parte do Brasil em turnês muito elogiadas pela crítica, sobretudo, pelo bom gosto do seu repertório.

Ao lado de Ricardo Bap (guitarra); Sidney Sheikor (baixo) e Solimar (batera), DANI vai interpretar clássicos da MPB e do pop-rock nacional e internacional, no show do próximo sábado. Imperdível.

Após o show de DANI, o palco do ARTE NA PRAÇA será ocupado pelo DJ HOOL RAMOS, que, ao lado do roqueiro Angelo Macarius, da cantora Paula Gaby e da backing Stella, apresentará discotecagem de clássicos da House Music, em disco de vinil 12 polegadas, a partir de suas potentes picapes.

O ARTE NA PRAÇA começa às 11h, com Feiras de Hortifrútis, de Artesanato e Oficinas Temáticas.  Informações: https://artise8.wixsite.com/artenapraca


Por Jose Edmar – Jornalista /Folha da Serra

BOLSAS DE ESTUDO PARA ESCOLAS PARTICULARES EM SOBRADINHO

Educa Mais Brasil disponibiliza bolsas de estudo em escolas particulares para 2018
As vagas são para todo o país e vão do berçário ao Ensino Médio.




A preparação educacional vem sendo cada vez mais fundamental à frente do grande impacto da educação brasileira que cresce todo ano, como o reflexo da evasão escolar e o alto custo mensal nas escolas particulares. Por isso, semear a importância da educação básica de qualidade é a alternativa para modificar esse cenário, porém este investimento tornou-se um desafio aos pais quanto às condições de arcar com a mensalidade integral.

Entendendo essa realidade e com compromisso de fazer o mundo melhor por meio da educação, o Educa Mais Brasil em parceria com mais de 18 mil instituições de ensino em todo país, entre elas escolas particulares, torna a educação básica acessível. “Uma das maiores preocupações dos pais é a de não poder oferecer aos seus filhos um ensino qualificado que os impulsionem para um futuro promissor. Com esse benefício, o programa facilita o acesso à escola, aumentando as oportunidades para crianças e jovens”, explica a diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil, Andréia Torres.

Para 2018, o programa de inclusão educacional já está com as inscrições abertas e disponibiliza bolsas de estudo com 50% de desconto em todo o Brasil. Só para o Distrito Federal, estão sendo ofertadas mais de 25.240 mil oportunidades e Sobradinho está entre as cidades contempladas com possibilidades de matrículas para Berçário, Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Os pais ou responsáveis podem realizar a inscrição do candidato por meio do site www.educamaisbrasil.com.br/educacao-basica. As vagas são para quem não possui condições de pagar o valor integral da mensalidade. Em caso de dúvidas ou mais informações consultar a central de atendimento pelos telefones 4007-2020 para Capitais e Regiões Metropolitanas ou 0800 724 7202 para demais localidades.

Saiba mais sobre o Educa Mais Brasil

O Educa Mais Brasil já beneficiou mais de 450 mil alunos em todo o país durante os seus 15 anos de atuação e também concede bolsas de estudo de até 70% de desconto para Graduação, Pós-Graduação, Cursos Técnicos, Idiomas, Preparatório para Concursos, Cursos Profissionalizantes, EJA – Educação para Jovens e Adultos e Pré-Vestibular/Enem. Além disso, dispõe do portal “E+B Educação” https://www.educamaisbrasil.com.br/educacao com informações sobre cursos, carreiras, dicas e notícias na área de educação.

Fonte:  Fabiane Araújo

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA / MORADIA / CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS / LEI de MUROS


Entidades que querem Lei de Muros e Guaritas entregam projeto para o governador do Distrito Federal

Após análise e aprovação do executivo, projeto de lei será encaminhado para Câmara Legislativa para votação


O governador Rodrigo Rolllemberg recebeu, no dia 28/11, no Palácio do Buriti, uma comissão de representantes do Movimento Popular pela Lei de Muros e Guaritas. O objetivo da reunião foi a entrega do projeto da Lei de Muros e Guaritas. Também esteve presente o presidente da Terracap, Júlio César de Azevedo Reis.

A presidente da União dos Condomínios Horizontais – Única-DF, Júnia Bittencourt, garantiu ao governador que o projeto entregue foi um trabalho da sociedade que reivindicam há muito tempo essa regularização. “Quase 30 entidades representativas colaboraram com a proposta e o nosso objetivo e ajudar. Queremos definitivamente resguardar os muros e guaritas dos parcelamentos e ajudar em uma proposta que não seja questionada”, disse Júnia Bittencourt.

O projeto de lei elaborado pelo movimento foi amplamente discutido com a sociedade civil e as entidades apoiadoras. Após análises e debates, o projeto foi entregue em mãos ao governador do DF. “Temos plena consciência que esse projeto será analisado e trabalhado pela Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação – SEGETH e as sugestões dos órgãos envolvidos serão acrescentadas para que não haja nenhum questionamento futuro”, expressou a presidente da Única-DF. Segundo Júnia Bittercourt, também é sabido que serão necessárias audiências públicas.

Júnia Bittencourt lembrou ao governador que já foram feitas outras tentativas de produzir uma lei que contemplasse o tema, mas foram infrutíferas. “Tudo o que faltou nesses projetos e tudo o que foi questionado pelo Ministério Público foi incorporado nesta proposta”. Foram três leis de iniciativa do legislativo e três do executivo. “Sabemos que esse tipode lei não pode ser de iniciativa da Câmara Legislativa e os que vieram do executivo estavam com excesso de emenda, falta de audiências públicas e falta de emendas que garantissem que o fechamento não atingir a cidade”, explicou Bittencourt.

A vantagem do projeto produzido pelo movimento é que ele atinge parcelamentos em regularização e o s que já estão regularizados. “Não haverá enfrentamentos com questões urbanísticas, pois estamos criando uma situação aceitável pelos urbanistas de Brasília e que aceite as discussões do MPDFT”, expôs Júnia.

O govenador Rodrigo Rollemberg, afirmou que, mesmo não existindo ainda uma posição formal do governo, ele é a favor da regularização dos muros de condomínios que foram criados dessa forma. “Eu acredito que esta é uma situação que está consolidada e nós sabemos que os muros e guaritas dão segurança aos moradores”, disse. Rollemberg garantiu montar um grupo de trabalho que reúna especialistas da Segeth, Casa Civil e outros órgãos para que o projeto seja analisado. “É uma forma de dar um retorno objetivo e rápido definindo se vamos ou não encaminhar. Eu, pessoalmente, gostaria muito de encaminhar e vou trabalhar para isso.” O governador irá ouvir a Procuradoria do Distrito Federa para entender se é possível juridicamente. “Vou defender essa tese internamente e se tiver amparo jurídico, vamos caminhar nesse sentido”, declarou.

Para o diretor-presidente da Urbanizadora Paranoazinho – UPSA, Ricardo Birmann, é notório que a regularização dos muros e guaritas vem sendo um desejo da maioria dos governadores e políticos de Brasília, mas que o governo atual possui uma oportunidade que os outros não tiveram. “Todos percebem o compromisso com a boa técnica, segurança jurídica e o com o devido processo que esse governo tido é a peça que falta para que esse assunto seja resolvido”, relatou. Birmann ainda afirmou que essa não é um ponto político e sim, técnico. “Se for discutida como uma questão técnica de uso do solo, seguindo todo o rito, eu acredito que o MPDFT não será oposição e apoiará e endossará o projeto.”

Mobilização e divulgação


Junto à proposta que o Movimento vem desenvolvendo de maneira colaborativa, foi entregue ao governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, um abaixo assinado virtual, com as assinaturas de todos aqueles que apoiam a aprovação do projeto. Para mais informações sobre a proposta foi criado um site, que pode ser acessado por meio do link: https://www.leidemuros.com.br.


(*) Fonte: Stefane Maia, Karolina Kopko – santaféideias

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

HABITAÇÃO / DF

Governo de Brasília envia texto da Luos para apreciação da Câmara Legislativa
Secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, esclareceu pontos do projeto complementar de Lei de Uso e Ocupação do Solo na tarde desta quarta (29). Expectativa é que votação ocorra em 2018

(*) AMANDA MARTIMON

O governo de Brasília enviou à Câmara Legislativa, na tarde desta quarta-feira (29), o projeto de lei complementar da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). A expectativa é que o tema, que tramitará em regime de urgência, vá à votação em 2018 para que seja debatido com os deputados distritais.
O secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, esclareceu pontos do projeto complementar de Lei de Uso e Ocupação do Solo em coletiva nesta quarta (29).
 A futura legislação vai unificar cerca de 420 normas urbanas e seis planos diretores locais vigentes.
Com isso, aproximadamente 365 mil lotes urbanos registrados em cartório terão regras mais claras sobre aspectos como limitações de altura e de área construída e de quais atividades econômicas são permitidas no local.
 “Hoje há uma série de instrumentos dispersos. Muitas vezes o próprio poder público tem que fazer uma grande pesquisa para saber qual norma se aplica”, exemplificou o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, em entrevista coletiva na tarde de hoje, na sede da pasta.
 A medida, segundo Andrade, abarca 90% dos moradores do Distrito Federal. As necessidades de cada região administrativa foram avaliadas e estudadas para a proposta do projeto.
 Assim, por exemplo, o texto definirá as regiões do Lago Sul, do Lago Norte e do Park Way como áreas de residência exclusiva. Ou seja, não serão permitidos comércios, exceto os já estabelecidos e que estejam devidamente licenciados.
  Cada localidade tem um tipo de uso definido pelo governo — que considerou a realidade já existente no DF.  Há espaços comerciais e de serviços que podem ser também residenciais, e outros que são apenas para equipamentos públicos, por exemplo.
 Um dos pontos estudados para atender a população foram as alturas máximas de edificações. “Tinham alturas muito conservadoras e que eram desrespeitadas havia décadas. Criamos uma fórmula para corrigir essas distorções”, explicou o secretário.
 Assim, cidades como Estrutural, Ceilândia e Riacho Fundo terão parâmetros maiores, e as construções passarão a ter, uma média, de 10,5 metros de altura permitida.
 Outra mudança que terá efeitos para os moradores do DF é a flexibilidade adotada para equipamentos públicos. Antes, um lote com essa destinação era muito específico. Definia, por exemplo, que um determinado espaço era destinado à construção de uma escola classe.
 “Tornamos mais flexíveis para que não seja tão específico. Isso vai dar celeridade e garantias para que o governo preste seus serviços públicos”, avaliou Andrade.

Como fica a Luos para áreas já construídas e as não regularizadas

A Luos foi feita com base nos lotes já existentes no DF. Ela não muda nem cria novos espaços. As mudanças também não retroagem. Ou seja, elas não valem para edifícios já construídos.
 Quanto às áreas ainda não regularizadas, o projeto já apresenta um rito que deverá ser seguido quando forem legalizadas para que adotem as metodologias da Luos.
 A proposta enviada hoje à Câmara Legislativa não inclui o conjunto urbanístico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
 Dessa maneira, estão fora da legislação o Plano Piloto, o Cruzeiro, a Candangolândia e o Sudoeste. Essas áreas seguem as regras do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCub), que está sendo construído pelo governo com a participação da sociedade.

(*) fonte: AMANDA MARTIMON,  EDIÇÃO: RAQUEL FLORES, Fotos: Andre Borges/Agência Brasília

SAÚDE / TRANSPLANTE / SOBRADINHO


PM salva homem de perder transplante de coração por causa do trânsito

Morador de Sobradinho ficou preso no congestionamento da BR-020 até ser socorrido por uma viatura da corporação, que o levou ao hospital

(*) Maria Eugênia

Um morador de Sobradinho de 65 anos por muito pouco não perdeu a chance de receber um novo coração. Na fila de transplante há dois anos, ele recebeu uma ligação do Instituto de Cardiologia do DF (ICDF) de que poderia fazer a cirurgia nesta quarta-feira (29/11), desde que chegasse à unidade até as 7h. O telefonema foi dado às 6h. Porém, em função do congestionamento na via que liga a cidade ao hospital, viu que não chegaria a tempo.

A mulher dele acionou a Polícia Militar e o casal foi resgatado por uma viatura da corporação e conseguiu chegar no horário determinado. Segundo o ICDF, o paciente entrou no centro cirúrgico por volta das 11h30.

O hospital informou que é normal que as pessoas que aguardam transplante na fila sejam acionadas a qualquer hora do dia ou da noite, já que não há previsão de quando um coração será disponibilizado. Caso o doente da vez não possa receber o órgão, o seguinte da fila é acionado.

O sargento Valdireno, que atuou na ocorrência, contou que a mulher do paciente chamou um táxi assim que o hospital fez contato. Ao chegar na BR-020, entretanto, o motorista viu que não daria tempo de chegar no horário previsto. Desesperada, ela ligou para o 190 e pediu ajuda.

“Pisa fundo”

“Ficamos muito sensibilizados. Tentamos acionar o helicóptero, mas a logística poderia demorar ainda mais. Então, coloquei o casal na viatura e falei para o meu parceiro ligar a sirene e pisar fundo no acelerador. Chegamos em 15 minutos”, disse.

O militar lembrou que o homem até que estava calmo diante do problema. “Mas a mulher dele estava em pânico. Eu falei para ela ter fé em Deus que tudo daria certo”, completou.


(*) Fonte:  Maria Eugênia/Metrópoles

MÚSICA / SHOW em SOBRADINHO

Dudu Nobre se apresenta de graça neste sábado, Dia Nacional do Samba

O evento tem início às 10h, com apresentações locais, brinquedos infláveis, exposição e oficinas de música abertas à comunidade, como aulas de violão e de cavaquinho

Para comemorar o Dia Nacional do Samba, a Fundação Cultural Palmares (vinculada ao Ministério da Cultura) realizará neste sábado (2/12), a partir das 10h, uma mega festa no estacionamento do Estádio Augustinho Lima, em Sobradinho. A programação reúne diversas atrações de cultura, esporte e lazer, que inclui apresentações locais e nacionais de samba e pagode. As atrações principais são Dudu Nobre e Marquynhos SP, que se apresentarão a partir das 20h. O evento é gratuito e conta com o apoio do Governo de Brasília e da Administração de Sobradinho.

A festa promete ser movimentada com muita música e dança, brinquedos infláveis, pista de skate, muro de escalada, palestras, videokê e aulas de cavaquinho e de violão. Ao longo do dia, o público também poderá conferir de perto, curiosidades sobre o samba, como fotos históricas, CDs, camisetas e objetos que revelam a identidade do gênero musical. Homenagens a grandes nomes do samba e do pagode também devem marcar a programação, com a participação de convidados especiais entre os intervalos das apresentações de rodas de samba.

O objetivo do evento é difundir o samba tradicional e fomentar a cultura afro. A expectativa de público é de 5 mil pessoas, segundo a organização. O Dia Nacional do Samba surgiu em 1940 em homenagem ao compositor mineiro Ary Barroso, quando visitou pela primeira vez Salvador (BA).

Um dos maiores sambistas brasileiros, o cantor e compositor carioca Dudu Nobre subirá ao palco com repertório que mescla sucessos antigos e atuais, como as músicas “Perdido no Mar” e “Favo de Mel”. Em seguida, Marquynhos SP dará continuidade à festa com músicas que ganharam a cena musical de Goiânia e de diversos cantos do País, como “Conselho” e “Festa VIP”. A abertura ficará por conta dos grupos de Sobradinho: Nascente do Samba, Neneu Vida e Banda, e Rodrigo Sampaio e Banda.



Informações:

Data: 2 de dezembro de 2017 (sábado)

Hora: 10h

Shows: a partir das 20h

Local: Estacionamento do Estádio Augustinho Lima (Sobradinho)

Entrada: franca

Mais informações: (61) 98424-8537 / rceproducoes.eventos@hotmail.com (61) 3453-9117 / Assessoria de Comunicação – Administração de Sobradinho.



Fonte: Bruna Nascimento/ Chefe da Assessoria de Comunicação da Administração Regional de Sobradinho I

CONVITE AOS SOBRADINHENSES


ESPORTE: ÚLTIMAS do LEÃO DA SERRA

Túlio Guerreiro se licencia da presidência do Sobradinho/DF para ser dirigente no Goiás
Sobre a proximidade do Sobradinho EC com a equipe do Goiás, uma parceria que já existe

(*) Sérgio Porto

Na manhã desta terça-feira a notícia que balançou as bases do Sobradinho Esporte do Clube, da cidade de Sobradinho/DF foi a licença do presidente Túlio Lustosa, o Túlio Guerreiro, ele que deixou o clube candango. Seu destino é ser gerente executivo de futebol no Goiás Esporte Clube.

Falando rapidamente à Rádio DF10 de Brasília, à caminho de Goiânia, o agora gerente de futebol do Goiás disse que: “Estou chegando à Goiânia para ser apresentado no Goiás. Recebi a proposta do clube e acabei aceitando. No meu lugar no Sobradinho ficará o Washington Borges. Ele dará continuidade aos trabalhos no clube”, disse Túlio Lustosa.
 
Túlio Guerreiro se licencia da presidência do Sobradinho/DF para ser dirigente no Goiás

Sobre a ação que impetraria no STJD no Rio de Janeiro, ainda em função dos clubes que representarão Brasília na Copa Verde 2018, Túlio disse que: “Vou continuar com ação sim. Mesmo à distância do Sobradinho vou acompanhar tudo que acontece. É uma briga que já comprei e agora vou até o final com ela”, disse Túlio Lustosa.

Sobre a proximidade do Sobradinho EC com a equipe do Goiás, uma parceria que já existe, Túlio disse que: “Esta parceria comigo no Goiás a partir de agora, a tendência que fique mais forte. Vamos trabalhar para que o Sobradinho possa receber apoio do Goiás”, encerrou Túlio Guerreiro.

O Sobradinho estreia no Candangão 2018 dia 20 de janeiro frente ao Formosa/GO, no estádio Augustinho Lima, em Sobradinho/DF. Seu comandante será Vitor Santana que era auxiliar técnico de Augusto Cesar, hoje nas divisões de base do Goiás Esporte Clube.


(*) Fonte:  Sérgio Porto/ Futebol Interior - www.futebolinterior.com.br

terça-feira, 28 de novembro de 2017

CONVITE AOS SOBRADINHENSES

Programação Cantadores Repentistas

Data: Sexta, 01/12/2017
Hora: 20 h
Local: Casa do Cantador do Brasil - Ceilândia Sul - Brasília - DF

SOCIAL


Mais de 67 mil famílias do Distrito Federal vivem em extrema pobreza
Dados do Ministério do Desenvolvimento Social mostram que mais de 67 mil famílias da capital federal vivem em situação de extrema pobreza. Moradores de Ceilândia, Samambaia, Planaltina, Santa Maria e Taguatinga concentram a busca por auxílio do governo

(*) Otávio Augusto

Quase cega por conta do diabetes, Djanira Matias do Nascimento, 73 anos, mora com os dois netos e a filha: R$ 600 por mês para viver em um barraco na divisa entre Sobradinho 1 e 2

Hora do almoço na casa de Djanira Matias do Nascimento, 73 anos. Sobre o fogão de quatro bocas, duas panelas contrastam com outras vazias. Naquele dia, no barraco de madeira localizado na divisa entre Sobradinho 1 e 2, a única refeição foi arroz e abobrinha refogada. Ela, os dois netos e a filha sobrevivem com um benefício social de R$ 600. Todos procuram emprego. Em muitos dias do mês, as panelas ficam vazias ou com restos. O drama não é exclusividade daquela família. A história se repete um sem-número de vezes na capital do país.

A miséria e a fome ainda são desafios que o DF precisa superar. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, 67.312 famílias do DF estão em situação de extrema pobreza — quando têm renda mensal de até R$ 85 por pessoa. Já em situação de pobreza (de R$ 85,01 a R$ 170) são 34.227 famílias.

Distante 35km da casa de Djanira, no setor Santa Luzia, área mais carente da Estrutural, Ana Flávia de Souza, 29, também vive sob o risco de não ter o que comer. São R$ 670, 30 dias e 12 bocas para alimentar. Ela recorre à boa-fé dos outros para colocar comida em casa. A estudante sobrevive com a bolsa que recebe de um curso técnico. No casebre, vivem muitas crianças e idosos. São seus filhos, primos e pais. O orçamento não fecha.

Os economistas são categóricos: a crise política e financeira vitimou os mais vulneráveis. Falta emprego, acesso a políticas públicas de saúde e educação e perspectivas. O contexto faz com que sonhos e projetos sejam adiados, à espera de dias melhores. Além disso, as agruras do presente encurralam famílias inteiras. Muitas, sem opção, recorrem à assistência social do governo.

Na capital, o Programa Bolsa Família e a suplementação do DF sem Miséria amparam essas famílias. A procura por esse tipo de auxílio aumentou. A comparação entre o primeiro e segundo quadrimestres deste ano — dados mais recentes da Secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos — revelam a escalada de 37%. Os novos cadastrados passaram de 5.517 para 7.590.

A tendência é evidenciada mensalmente. Para se ter ideia da procura, o número de novos inscritos subiu 54% entre julho e agosto. Saltaram de 1.350 para 2.089. Em toda a região, 77.710 pessoas recebem o auxílio médio de R$ 132,22. Ceilândia, Samambaia, Planaltina, Santa Maria e Taguatinga centralizam os cadastrados. O Correio pediu aos governos federal e local o comparativo entre 2011 — quando foi criado o Plano Brasil Sem Miséria e o DF sem Miséria — e 2017 de famílias cadastradas em programas como o Bolsa Família. Até o fechamento desta edição, nenhum órgão apresentou o comparativo.

Crise é o termo utilizado para exemplificar situações diferentes, mas com um denominador igual: desaceleração do crescimento das economias, seja governamental, pessoal ou familiar. É o termo que mais Djanira e Ana Flávia repetem. “A cada dia que passa, as coisas estão mais difíceis. Há mais gente pobre, e aqueles que já eram pobres, ficam ainda mais pobres”, conta Ana Flávia. Apesar das dificuldades, ela mantém um projeto de evangelização e ajuda 48 crianças. “Quando os mantimentos acabam, saio pedindo para quem pode nos doar”, destaca a mulher, que vive há cinco anos naquele local.

Djanira também parte para o corpo a corpo para driblar a fome. Contudo, tem de enfrentar as adversidades da idade avançada. Quase cega por conta do diabetes, ela não se locomove com segurança. “Nunca imaginei passar por isso”, conta, com a voz embargada. Ela emenda. “Tem dias que eu penso que não vai ter nada para comer e eu já não tenho mais o que fazer”, conclui.

A pobreza extrema é evidenciada na porta do barraco: piso de chão batido, fendas nas paredes e telhas remendadas. “Quando chove, tudo fica molhado. Tenho até medo de um curto-circuito. Quando tem ventania, peço a Deus para ter piedade”, detalha Djanira. Apesar das dificuldades, ela é resignada. “Os meninos (netos e filha) vão arrumar emprego e a situação vai melhorar. Pelo menos estamos comendo isso”, comemora, ao apontar as sobras do almoço.

Crise
O Banco Mundial calcula que cerca de 28,6 milhões de brasileiros saíram da pobreza entre 2004 e 2014. Mas a entidade também avalia que, em 2016, entre 2,5 milhões e 3,6 milhões de pessoas voltaram a viver abaixo do nível de pobreza.

67.312
Famílias do DF que estão em situação de extrema pobreza

37%
Crescimento na procura pelo Programa Bolsa Família no DF entre o primeiro e segundo quadrimestres deste ano

77.710
Famílias que recebem o auxílio do Bolsa Família


Maior desigualdade
O Distrito Federal foi uma das primeiras cidades do Brasil a superar as metas do Objetivo 1 do Milênio — Acabar com a fome e a extrema pobreza, assumidas pelo governo federal junto às Nações Unidas, em julho de 2014. Naquele ano, o DF tinha menos de 3% da população com renda inferior a R$ 140 per capita, superando tecnicamente a extrema pobreza e a pobreza, segundo os parâmetros estabelecidos pela ONU. Contudo, a capital federal voltou a ser a unidade da Federação com a maior desigualdade de renda no país.

A população que se encaixa no perfil de pobreza e pobreza extrema representa 3,38% dos habitantes do DF — 101.539 famílias. Ao todo, a cidade tem 3 milhões de moradores. Embora em termos de renda média o DF detenha valor elevado, ao desagregar os dados por região administrativa, um novo contexto aparece, evidenciando uma grande desigualdade.

O Coeficiente de Gini, divulgado pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), mostra o desequilíbrio da renda familiar per capita na cidade. A discrepância chega a 18 vezes quando se compara o Lago Sul (a maior renda) com a Estrutural (a menor renda).

(*) Fonte: Otávio Augusto/CB

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


VEÍCULO COM RASTREADOR É RECUPERADO EM SOBRADINHO II, APÓS SER ROUBADO NA ASA NORTE, E MENOR É APREENDIDO POR ROUBO E RECEPTAÇÃO.

Por volta das 14h de sexta-feira, 24/11, policiais militares do 13º Batalhão de Sobradinho, equipe composta pelos sargentos Carias, Eliel e soldado Torres, apreenderam um menor de idade por roubo e receptação. O menor foi flagrado com um veículo VW Saveiro, placa PAO 3850, com rastreador, roubado na Asa Norte e em seu apartamento os policiais localizaram duas bicicletas, produtos de roubo/furto.

A equipe recebeu a informação do COPOM sobre um roubo de veículo na Asa Norte e que o veículo estava com rastreador, indicando o local exato do veículo. Com apoio do proprietário os policiais localizaram o veículo no Setor Contagem de Sobradinho II e dois menores de idade empurrando-o. Um dos menores foi reconhecido pela a vítima de roubo e em seu apartamento, foram localizadas duas bicicletas, também roubadas. O menor foi conduzido à DCA e atuado por roubo e receptação.


 Fonte: Claudio Martins/ Informativo Flagrante

domingo, 26 de novembro de 2017

EDUCAÇÃO / SOBRADINHO / ACONTECENDO...

Projeto Escola Morro do Sansão


Em cumprimento a lei 10639/2003 que obriga as ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS A TRABALHAREM A CULTURA "Afro-brasileira e africanas".

A Escola Classe Morro do Sansão trabalha com o projeto "Abayomi" palavra em Iorubá que tem como significado alegria, encontro precioso e o melhor de mim. Esse projeto tem como objetivo ressignificar e valorizar a cultura das matrizes africanas que formam a diversidade cultural brasileira.

Para abrilhantar o nosso projeto contamos com a colaboração da Dra. Denise Costa antropóloga da UnB, da renomada escritora de literatura Afro-brasileira Madu Costa e da Dra. Márcia Maria psicóloga, Coordenadora da Articulação Nacional de Psicologia e integrante do GT racismo e saúde mental do Ministério da Saúde.

Dra. Denise Costa Antropóloga UnB e Equipe E.C. Morro do Sansão


Escritora Madu Costa encantando as crianças com suas belas histórias

No canto superior direito podemos ver Professora Antônia Pádua, Professora Ana Marques, Escritora Madu Costa e Dra. Márcia Maria psicóloga.

Concurso da beleza negra

Madu Costa com as crianças e Professora Ana Marques


(*) Fonte:  Antônia Pádua - antonia.padua@hotmail.com

MEIO AMBIENTE / Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Apesar do verde, regeneração completa da Chapada pode levar até uma década
A vegetação de campo, rasteira, é que se recupera com mais rapidez, mas a vegetação mais sensível, das veredas e das matas de galeria demoram mais

(*)  Renato Alves


Os brasilienses Samuel de Lucas e Renes Costa tiveram uma grata surpresa ao visitar o Vale da Lua

Nem tudo são flores e fartura. Os incêndios de outubro têm consequências graves. Tanto que ainda não é possível precisar o tamanho do estrago na biodiversidade do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. O certo é que muitos animais e plantas morreram. Espécies podem ter sido extintas na unidade de conservação. O levantamento dos prejuízos começou, mas pode demorar meses ou anos para ser concluído. A regeneração completa da flora pode levar até uma década.

A vegetação de campo, rasteira, é que se recupera com mais rapidez. A vegetação mais sensível é a das veredas e das matas de galeria, onde nascem e passam os córregos, ribeirões e rios. A recuperação dessas áreas depende das chuvas e de novas sementes. “A nossa preocupação maior é com os solos de turfa: são locais com muita matéria orgânica, como as raízes das plantas e micro-organismos e com muita capacidade de armazenar água, inclusive na seca. A gente diz que é a caixa d’água da Chapada. Vimos fumaça desses locais até oito dias depois do fim do fogo”, conta o diretor da reserva, Fernando Tatagiba.

O parque é a maior unidade de conservação de cerrado do mundo. Considerado Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), abriga três aquíferos: o Guarani, o Urucuia e o Bambuí. No cerrado ficam as nascentes de seis das oito bacias hidrográficas brasileiras: Araguaia, Tocantins, Atlântico Norte, Nordeste, Bacia do Parnaíba, São Francisco, Atlântico Leste, Bacia do Rio Paraná. O parque da Chapada tem centenas de nascentes, cursos d’água e rochas com mais de um bilhão de anos. Ele abriga espécies ameaçadas de extinção ou endêmicas (que só existem no local), como o cervo-do-Pantanal, lobo-guará, pato-mergulhão e a onça-pintada, maior mamífero carnívoro da América do Sul.

Chuvas em Cavalcante enchem mananciais, como o conjunto de cachoeiras vizinho à Pousada Veredas


Menos dinheiro
Em 2016, mais de 60 mil turistas visitaram o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros para conhecer suas belezas. O comércio na região movimentou mais de R$ 70 milhões. Mas os números devem ficar aquém em 2017, por causa dos incêndios. Pousadas tiveram 80% menos hóspedes nos fins de semana de outubro e nos três mais recentes feriados prolongados— Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro), Finados (2 de novembro) e Proclamação da República (15).

O empresário Fernando Couto ressalta que as perdas do turismo refletem em toda a região da Chapada dos Veadeiros, em especial em Alto Paraíso. O setor responde por 80% do Produto Interno Bruto (PIB) do município de pouco mais de 7 mil habitantes, que depende do repasse anual de R$ 20 milhões do Governo Federal para se manter. “Com 250 mil visitantes por ano, o turismo emprega 1,5 mil pessoas diretamente e rende R$ 100 milhões para Alto Paraíso, cinco vezes mais do que o repasse federal”, destaca Couto, ex-secretário de Turismo do município e dono de um restaurante no centro de Alto Paraíso e da Cachoeira dos Cristais, complexo com sete quedas d’água, restaurante, bar, espaço para festa e área para campismo. “Só eu emprego 51 pessoas”, completa.

Couto diz que, no feriado de Finados de 2016, a maioria das 80 pousadas, dos 15 campings e 13 hostels de Alto Paraíso registrou 100% de ocupação. “Este ano, por causa do incêndio, teve estabelecimento que não recebeu hóspede”, conta. No bar do Vale da Lua, toda a bebida comprada para atender os visitantes de Finados serviu para a demanda daquele feriado e de todos os dias seguintes, até ontem, segundo Robson Noberto da Silva, um dos responsáveis pela propriedade. “A gente teve uma queda de 70% em Finados e na Proclamação da República. Agora, apostamos no réveillon”, observa ele. A atração, que cobra R$ 20 pelo acesso, costuma receber até 300 pessoas em um dia de feriado ou fim de semana.

Visitação

·         O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros abre de terça-feira a domingo. Em janeiro e julho, fica aberto todos os dias, por se tratar de férias escolares. Os visitantes têm das 8h às 12h para entrar na reserva, e devem sair até as 18h. A entrada é gratuita e não há obrigatoriedade da companhia de um guia.

·         A visitação é limitada de acordo com a capacidade das trilhas. A Trilha dos Saltos pode receber até 250 visitantes por dia. A Trilha dos Cânions, 200. Já para a Trilha da Seriema, são permitidas só 30 pessoas por dia. Na Travessia das Sete Quedas são liberados até 20 visitantes acampados durante a noite.

Memória

Fogo após ampliação

O maior incêndio do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros começou em 17 de outubro e terminou em 2 de novembro. Ele queimou 66 mil hectares, o equivalente a 28% da área total da unidade de conservação, que ocupa 240 mil hectares. Mas o estrago foi bem maior. Somados os outros quatro incêndios iniciados e apagados desde 10 de outubro, foram queimados cerca de 75 mil hectares. Em todo o ano, o fogo consumiu 82 mil hectares, mais do que toda a área antiga da reserva, que era 65 mil. O tamanho foi ampliado por meio de portaria assinada pelo presidente da República, Michel Temer, em julho. O balanço, no entanto, não leva em conta a área queimada fora do Parque Nacional. Fazendas e reservas particulares também sofreram com uma série de incêndios, em outubro. O Vale da Lua, um dos mais famosos atrativos turísticos da região, foi o mais atingido. O fogo chegou a uma pousada vizinha, onde queimou um bangalô.

Os paulistas Thais e Guilherme passaram uma semana na região


Lugar sagrado

O Jardim de Maytrea é um lugar considerado sagrado para os praticantes de diversas correntes de misticismo. Muitos acreditam haver um campo de força magnética no local. Maitreya ou Maitria é como é designado o renovador do budismo, o próximo Buda, que reiniciará o atual ciclo iniciado por Sidarta Gautama, quando os ensinamentos deste tiverem sido esquecidos neste mundo. Muitos cálculos têm sido apresentados para quando este renovador do budismo deverá renascer: por exemplo, daqui a 30 mil anos. 

Fonte: Renato Alves / Correio Braziliense